Aonde é que eu terei errado, Deus meu?

Excelência

A resolução, para a qual nos convocou, dos problemas gerados pela actual situação do País, já que todos temos vivido acima, muito acima, das nossas possibilidades, criou neste pobre idoso um insustentável sentimento de culpa do qual passo a dar conta a V. Exª.

Então é assim. De imediato me dirigi ao leito aonde até à meia-noite conservei os olhos no tecto em profunda introspecção. Devo confessar-lhe que nada encontrei nos recônditos mais profundos do meu passado que apontasse para este amargo sentimento de culpa. Não tenho dívidas, nem telemóvel, a viatiura auto-própria na qual me locomovo tem quase vinte anos, 20. Tenho em dia as contas com o fisco. Nunca joguei na bolsa ou especulei em títulos ao abrigo de qualquer informação privilegiada. Consumo apenas produtos de marca branca, almoço na Junta de Freguesia e uso apenas lâmpadas de 20W. Aonde é que eu terei errado, Deus meu?

1 da manhã.
Inicio uma noite de voltas na cama. Ao meu lado a patroa começa a protestar à medida que se avolumam as minhas culpas e interrogações.

2 da manhã.
Começa a assaltar-me a dúvida se num dos meus passeios semestrais ao Guincho, onde fico a ouvir o relato enquanto a patroa faz o seu ponto-cruz, não terei sido visto por alguns dos que tanto trabalharam em prol dos país e de si próprios, pensando que este pobre idoso ía entrar no dito Hotel ou quiçá no Porto de Santa Maria.

O sentimento de culpa não me deixa dormir. Porquê eu? Não sou depositante do BPN ou do BPP, não conheço o Moraes, nunca falei ao Lima, não sou utente da Brisa, nunca me cruzei com o Amarral, só recebo uma reforma. A patroa ameaça fazer-me a cama no “ólio” de entrada onde temos um divã para quando nos visitam uns parentes afastados da provícia.

3 da manhã.
Levanto-me e vou ao WC, tropeço no gato, espremo a próstata, não consigo urinar. O sentimento de culpa reteve-me as urinas. SOCORRO!!!

4 da manhã.
A patroa cumpre a ameaça. Faz-me a cama com o respectivo resguardo para qualquer eventualidade.

5 da manhã.
Faço uma lista, aproveitando a iluminação pública que penetra numa das janelas, de medidas de ajustamento. Entre elas conta-se a redução a metade da comida, alimentando-me eu e a patroa em dias alternados. Aos domingos comemos os dois a mais o gato. Em caso extremo usaremos o granulado do bichano, depois de devidamente humedecido para não danificar as placas, numa nutritiva “omileti”.

6 da manhã.
Levanto-me. Não faço a barba e vou à Portela ver se apanho o voo que chega às 7 do Brasil para ir buscar o Ensonso e o Martelo que foram passar o réveillon a Terras de Santa Cruz. Devem ter discutido imeeeensas medidas de ajustamento… para nós, é claro.

No caso de os apanhar sempre poupam o dinheiro do táxi.

7 da manhã.
Não vieram, ou perderam o avião, ou já se foram embora. Que pena!!!

Excelência, não aguento mais este sentimento de culpa que me inunda o ser. Rumo à Igreja dos Santos Reis Magos do Campo Grande, paróquia do meu nascimento, a adorar o Santíssimo. Se Ele estiver exposto, pode ser que me fale. Se o não estiver, dado a sua omnipresença, com toda a certeza será o meu amparo. Se, por acaso, não me passar cartão, lavo a cara na pia baptismal e regresso a penates a Alcântara.

Poupe-me Excelência, não aguento esta culpa.

E.R.M. (Espero Real Mercê)

Oferta do nosso amigo jafonso

5 thoughts on “Aonde é que eu terei errado, Deus meu?”

  1. É terrível de “angústia para o jantar” o humor superiormente corrosivo deste texto.
    Sinto-o como se fosse meu e vou guardá-lo para o ler ao longo do ano. nos dias ou nas noites de idêntica dúvida.
    Onde é que também eu errei, eu que terei a mesma idade, só um pouco melhor da próstata? Felizmente.
    Jnascimento

  2. ai que graça! :-)

    eu vou dizer-te, jafonso, onde tu erras: devias aproveitar o par de pés a mais que tens na cama para fazeres cafoné e cadeirinha, ao mesmo tempo que mandavas o gato ir às filhós. nos entretantos, já a próstata estava espremidinha depois de teres rezado, cheiinho de convicção, que é no amor que dás e que recebes que avalias, e alivias, a tua consciência – deixando para trás essa coisa de ficares a olhar para o tecto, não para o céu, a ver, não estrelas, culpas. :-)

    (depois diz-me se resultou, caso me leves a sério) :-)

  3. boa mensagem de ano novo. a solução passa por uma jafonso bv sediada na holanda, só assim conseguirás uma expiação perfeita.

  4. E levem o Barreto, da fundação barrete, ou fundição barrete, tanto faz, que esta Terra fica mais limpa !
    Deixei de comprar Pingo Doce desde hoje, deixei de comprar Belmiro tempos atrás, e voltei a comprar”Zèzinha”, na minha praceta suburbana, pelo sorriso patriótico dela.
    Jnascimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.