Regresso ao futuro

Depois da aposta na ciência, universidades, investigação, eólicas e energias alternativas, educação, Magalhães, carros eléctricos, inovação tecnológica, simplificação do estado, e-government,   voltamos à era Portugal tem condições para ser (inserir ideia estúpida) da Europa.

Estamos bem entregues, sem dúvida.

14 thoughts on “Regresso ao futuro”

  1. Já estou a ver nós a fazermos figuração num qualquer “Miami Vice”.
    Vega9000, o autor do desejo se calhar devia ouvir a frase atribuída a Abel Salazar que diz que um médico que só sabe de medicina nem de medicina sabe…

    [Está um calor de ananases, mas com a crise deve ser só de abacaxis]

    :)))

  2. É o que faz andar pela estranja e não saber népia do país que se vai governar, a não ser o que se quer ler nas estatísticas.
    Este interessante personagem, desconhece porventura que os reformados europeus já descobriram Portugal há muitos anos, nomeadamente o Algarve.
    Outros optaram por outras áreas, conheço alguns que andam aqui pelo Minho, outros em Trás-os-Montes e Alto Douro e até na Estremadura. Já para não falar nos que se espalham pela Madeira e Açores.
    Se pos este tivermos de aquilatar os restantes… valha-nos deus…

  3. Vai ser giro o ministro todo concentradíssimo a trazer charters de reformados vindos da Europa…
    Este Governo ainda vai bater o recorde do estado de graça mais curto de que um Governo gozou na nossa democracia.
    Estamos feitos ao bife, estamos!

  4. Com este Governo, Portugal tem condições para ser o cú da Europa.
    Se calhar não ficou tão estúpido como eu estava à espera.

  5. Voltamos ao tempo, mesquinho, de só contar o cifrão; o deve e o haver. Ambição de grandeza, de ombrearmos com os melhores nas mais diversas áreas da educação, cultura, inovação, investigação e ciência, tecnologias de ponta, etc. etc., ….. “isso não pode ser para nós; temos (e só) um problema de deficite orçamental para resolver e umas tantas privatizações para beneficio dos nossos amigos; o país agora não pode pensar noutras coisas”.
    São estes os pensamentos dos novos governantes, os novos “velhos do Restelo”.

  6. Estava aqui a tentar construir uma frase, com sentido, que incluísse:
    “flexibilização dos despedimentos individuais” + “rejeição de um novo corte de salários”,
    não consigo, ultrapassa-me.

  7. Eu acho que o problema está no verbo “ser”ou “estar”…
    É que na frase está “Portugal tem condições…”
    E deveria estar “Portugal sem condições…”

  8. Safa, que só o olhar do bicharoco diz tudo! E eu diria que “Portugal tem condições para ser” tudo e mais alguma coisa, com este Governo, até uma gigantesca casa-de-putas (de preferência menores de idade), para ricaços californianos, do Ohio, ou da Florida. À mistura com um Casino e um “off-shore” gigantes… Assim como uma espécie de Talilândia, com uma pitada de Miami, de Ilhas Caimão e… muita “paprika”. Tem condições para vir a ser tudo isto… menos ser Portugal!

    Que falta de nível, nestes governantes (e nas nossas élites económicas e sociais, em suma, na actual classe dos poderosos)!

    Vamos a uma aposta que esta anedota é o primeiro cromo a ser remodelado (e recambiado para o país dos castores)?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.