Prevenção de violência

É compreensível que haja uma revolta latente na sociedade, e que esta se possa tornar violenta. Afinal, os trabalhadores, os jovens, os precários, os desempregados, os estudantes, os professores, os funcionários públicos, boa parte da classe média, toda uma imensa massa de gente que vê um futuro cada vez mais negro e sem esperança, todos eles foram traídos por gente sem escrúpulos que mentiu, enganou, e se serviu deles, da sua boa-fé, e da boa-fé do sistema democrático, para avançar as suas agendas submissas ao grande capital, aos banqueiros, ao FMI, aos grandes empresários exploradores, ao capitalismo liberal e selvagem, ao assistêncialismo degradante.

Quando se promete uma vida melhor e se trai essa promessa de maneira tão descarada, entregando as riquezas da maioria a uma minoria de poderosos de sempre, e depois se tem a suprema lata de vir clamar que nos defendem, que é para nosso bem, é natural que o ressentimento e a revolta  se acumulem e possam acabar por explodir de maneira violenta e imprevisível. É por essa razão, e para evitar vítimas e destruição de propriedade, que o governo tem de estar muito atento a eventuais ataques às sedes do PCP e do BE. Afinal, mesmo os piores oportunistas têm direito a serem protegidos da revolta do povo, por muito justa que seja.

48 thoughts on “Prevenção de violência”

  1. O governo tem é que estar atento ao trabalho que lhe compete fazer para evitar que o País se afunde ainda mais.

    Coisa que evidentemente não aconteceu com o anterior.

  2. E atento às delegações do PS, porque já tivemos uma amostra de intolerancia nos comicios do PS e “ninguém fez nada”.
    A imprensa da direita, que é toda, se encarregará de direccionar os ataques e mostrar o rostos dos culpados pela situação: os mesmos que fizeram e quiseram o “25A”. Conseguirão demonstrar por a+b ao povo, graças ao Face Boook da presidencia e aos pregadores como Marcelo e Marques Mendes que o descalabro da pátria começou com o 25A. Ainda houve um intervalo de uma década brilhante, (85-95) em que o cavaquismo “segurou as pontas”. Depois foi o arraso completo, com destaque para a famosa “década perdida” deste primeiro milenio em que o país regrediu em todos os setctores da sociedade: saúde, educação, burocratização até ao absurdo do estado (agora para abrir uma empresa demora-se mais de ano e meio e para obter uma simples certidão passa-se um verdadeiro calvário!), deixou-se de investir na ciência como nunca havia sido feito; não se tentou uma única alternativa aoc combustiveis fósseis etc etc etc.

  3. Há um artigo do Alfredo Barroso no Expresso de 30/7, que refere as teorias e práticas do ídolo e modelo do nosso Super-Álvaro: Domingo Felipe Cavallo, economista e político argentino, que foi também presidente do Banco Central da Argentina, ministro da Economia, atravessando vários governos entre os anos 80 e 90. A sua receita (que o nosso Àlvaro aplaude) , conhecida por Plano Cavallo foi brutal: “despedimentos em massa; privatização a toque de caixa dos serviços de utilidade pública, designadamente, correio, gás, electricidade, água, telefones e companhias petrolíferas (40 mil milhões encaixados pelo Estado evaporar-se-iam na paisagem); (neo)liberalização intensiva da economia e do comércio externo; restrições brutais aos levantamentos bancários e congelamentos de fundos (…)lei do défice zero (…).
    O resultado destas “doses” de Cavallo foi desastroso.”
    Lembramo-nos: os argentinos nas ruas assaltando supermercados, a declaração de estado de sítio, vários mortos e feridos, a dívida externa a passar ” de 7,6 para 132 mil milhões de dólares;os argentinos em situação de pobreza extrema passaram de 200 mil para 5 milhões”.

    Como a receita foi um sucesso, o dito Cavallo publicou em 2010 uma obra com o seguinte título “Making fiscal consolidation work in Greece, Portugal and Spain: Some lessons from Argentina”. Exactamente, um dos livros de cabeceira do nosso Àlvaro, que, aliás, já o citou largamente em obras-réplica suas…

    Enfim, veremos até que ponto o povo é sereno…ou apático.

  4. isso que dizes é quase como fazer campanhas se conduzir não beba e vender álcool, inclusivé a menores, uma fonte de receitas à descarada. (anota aí a prevenção fingida) :-)

  5. se o ps gosta tanto da esquerda e é tão de esquerda pq será que os seus apoiantes militantes gastam tanto tempo a atacar o be e o pcp? se fosse apenas por se sentirem traídos, talvez votassem mais vezes ao lado deles no parlamento, mesmo quando estão na oposição. pelo contrário, sabe-se que é bem maior o número de vezes que votam ao lado do cds

  6. porque, nm, o be e o pcp não são de esquerda, da esquerda como eu a entendo, aquela que trabalha para o progresso social das nações. Embora gostem muito de se fazer passar por tal. Não se trata de atacar, trata-se de denunciar fraudes. Como se viu no abrir caminho à direita.
    ___
    edie, a experiência argentina foi brutal, sem dúvida, mas é muito citada por todos os economistas, incluindo os que eu aprecio, como um caso de sucesso em salvar o país.

  7. e tu, Vega, diz lá o que não percebeste. diz, que a Sinhã explica. :-)

    (eu até acho piada a essa coisa de andarem a cheirar, uma espécie de homossexualidade de blogue, o cu uns aos outros) :-D

  8. mas qual abrir caminho à direita, mesmo quando quando está sem responsabilidades políticas o ps vota muuuuito mais vezes com o psd e o cds. quer isso dizer que o psd e o cds é que são de esquerda?

  9. do tipo; “como afundar um país para depois testar a aplicação de uma teoria de salvação, a ver se resulta?” (só por teima…)

  10. o belarmino apoia o movimento onze de merda, bora lá escaqueirar a concorrência que alargou a cobertura de risco perdas por danos. e a jonete a esfregar as mãos.

  11. A Sinhã é a única que dá alguma pica cá ao vitelo. Nem mais.

    Oh Vega ooo9, V.X. não quer o PC na esquerda? E com que merda de sabedoria programa tal imbecilidade ?

    Quanto ao mais vá direito ao assunto, estes filhos de puta não são melhores que o Sócrates? E depois?

    Só temos estes filhos de puta no governo porque o nosso partido só há toscos de panelairagem sem tomates para correrem com os merdas em fim de ciclo, em tempo útil.

  12. sim,anonimo, precisa-de mais pobrezinhos para aumentarmos a caridadezinha…ah, perdão, assistencialismo é que é o novo termo.

  13. O´sinhã, vamos lá ter maneiras! Eu nem o teu cu cheirava quanto mais o do Vega…Podes crer que não estou na fila. Nem por um cu cheiroso.

  14. maneiras vê lá se começas a ter tu e os outros que enfiarem o meu til – eu não falei contigo, falei com o Vega, e usei uma metáfora.

    (cambada de homens desburilados)

  15. Vomitas e destilas ódio.
    Revanchista cobarde, nem cara tens para levares umas lambadas na tromba.
    Escreve a tua revolta escroque é aquilo que te resta.
    Não aprenderam nada.
    Nem podiam.

  16. Se o Alvaro Cunhal fosse vivo há muito tempo que tinha dado um pontapé no cu nesta direcção de maricas politicos que o PC tem hoje. O velhote lá de Cuba, já reconheceu o tempo que perdeu e o Cunhal seguramente que não seria diferente.
    Estes “camaradas” passam a vida inteira a falar nas “politicas de direita” dos outros mas não teem capacidade para ver que na prática as politicas de direita são deles.
    Foi com o contributo deles que hoje estamos a sofrer.

  17. jojo, o teu vómito é que cheira mal à distância. Diz lá então o que é TU aprendeste com o contributo que o teu PC deu para termos esta merda de governo que temos agora. Já sei, vais dizer que são todos iguais, são todos de direita, mas o que é que a tua “esquerda” fez para evitar o desastre?Acontece que essa chafurdice de partido que defendes só vive bem no desastre. Sem crise, não há luta, não é?

  18. sem despedimentos não há contribuições para os sindicatos comunas. onde é que esconderam o mário nojeira e os seus 300k?

  19. edie,
    Olha em volta e diz-me qual a diferença.
    Podem carpir à vontade, PSD/PS/CDS vandalizaram a país a seu belo prazer, serviram-se de todos os cargos que em compadrio dividirão entre si para por este país na miséria.
    Negociarão, intrujaram, esbulharam o povo até ao ultimo cêntimo.
    Serviram-se de órgãos que supostamente deveriam regular, para intrujar e manipular a seu belo prazer.
    E vocês que os defendem são tão vândalos como eles.
    Em por aqui me fico que tenho nojo, de falar com esta gandulagem miserável.

  20. no aspirina distraem-se sempre com os meus comentários quando lhes pergunto pq é que sendo o ps tão de esquerda, acaba na esmagadora maioria das vezes por votar ao lado do cds e do psd, será por serem menos imbecis que o be e o pcp?

  21. Se não viesse aqui ao Aspirina ficava sem saber que afinal quem assinou o acordo da Troika ao lado do PSD e do CDS foram o PCP e o BE.

  22. edie, não conheço a fundo o que se passou na Argentina, mas creio que não foi o tal ministro a afundá-la, foi uma politica teimosa de paridade com o Dólar. Quanto a “afundar um país para testar uma teoria de salvação”, nada mais apropriado para este post.
    ___
    nm, quer simplesmente dizer que o PS não é autista, fechado nos seus jardins imaginários perfeitinhos.
    ___
    ovitelo, se achas que são iguais ao Sócrates, enjoy the ride.
    ___
    jojoratazana, precisas de um lenço para esse nariz, ou a manga serve?
    ___
    Sinhã, não percebo, mas está bem. :)
    ___
    antónio diogo, essa entrevista do Castro foi espantosa, e acho que muito poucos se aperceberam do que significava, muito menos os nossos pobres diabos. De resto, perfeitamente de acordo.

  23. Dédé, quando a troika veio, fugiram como cãezinhos de colo assustados que sempre foram, dando latidos inconsequentes da segurança das casotas. Agora diz-me, quem é que votou de certa maneira sabendo que o resultado seria a vinda da troika? Consegues nomear-me os partidos?

  24. PCP e BE há muito que pararam no tempo. Já não têm volta a dar e o único caminho é um lento desaparecer , quando os poucos que ainda os apoiam se fartarem da mesma lenga lenga sem acção nem noção da realidade.

  25. Dédé, esses são os partidos que honram os compromissos que assinaram com a troika, como todos os partidos responsáveis.
    Não me respondeste à pergunta, quais foram os partidos que votaram, não as medidas da troika, porque isso foi posterior, mas a própria vinda da troika?

  26. Vega, segundo o mesmo artigo (confesso que não investiguei mais), foi o próprio do Cavallo, com a bênção do FMI que, adoptou o sistema de paridade fixa entre o dólar e o peso, o que teve como brilhante resultado dar cabo das exportações…

  27. Mas, isto tudo pra dizer que o actual modelo de governação com a doutrina adjacente seguida de forma acéfala não é dos melhores preventores de violência. A questão é que o sofrimento social não faz, simplesmente, parte da equação destes economistas. Digamos que para eles, as pessoas são algo que pode ser abordado de duas maneiras: quanto custa ao Estado, quanto podemos sacar-lhe? (esta segunda opção não se coloca se se estiver perante alta finança,especuladores, grandes empresários e assim…)

  28. edie, investiguei um pouco, e sem entrar em detalhes para além dos meus limitados conhecimentos de economia, o artigo de Barroso não me parece muito correcto, sobretudo quando aponta várias medidas de Cavallo como se fizessem parte de um único plano, quando na verdade há duas épocas de Cavallo, aquela onde se fez a paridade da moeda para estancar a inflação, que era em média 230% ao ano, e as medidas tomadas depois do colapso da economia. O livro citado por Barroso, cuja súmula está aqui, é demasiado técnico para o poder comentar, mas parece-me mais um apanhado de lições do colapso argentino que podem ter a sua utilidade, embora as veja com muita desconfiança.
    No resto, concordo, uma das grandes diferenças entre este governo e o anterior é a atitude perante o potencial das pessoas. Estes tipos assumem, como medíocres que são, que somos feitos para baixos salários e industria indiferenciada.

  29. Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, um dos responsáveis máximos pela decisão política que será levada à Concertação Social, defendeu no seu blog que uma das medidas que melhorará a competitividade da economia” tem de ser, sem sombra de dúvidas, a “desvalorização fiscal, em que a TSU paga pelos empregadores é reduzida de 23,75% para 8,75%, como contrapartida de um aumento dos impostos ao consumo e de uma descida das despesas públicas”.
    (In Dinheiro Vivo, hoje)
    Pronto, é isto…claro que não se coloca a questão de como se vai financiar a Segurança Social, que essa é para acabar.

  30. Vega, stupid me, então houve uma votação para vir a troika e eu não dei por nada. Já agora onde é que foi essa votação? Na AR ? No Largo do Rato?

  31. Espero que a violência não chegue a este país de brandos costumes, pois a última a que assistimos, salvo erro, foi a do 31 de Janeiro, no já longínquo ano de 1891.
    Seria bom que quem estivesse no governo olhasse para a raiz desta violência que vem assolando os países ditos desenvolvidos, pois certamente parando para pensar um pouco fará com que ela não se alastre pandemicamente.
    Se ela por aqui aparecer, não esqueçam que todos vamos pagar por ela, pois o que me é dado ver, é que são justamnente as classes mais desprotegidas que se atiram às suas congéneres do degrau superior ou seja, os desfavorecidos socialmente atiram-se à classe média em vez de se preocuparem em atacar efetivamente os centros do poder.
    Agredir o comerciante que nos vende as alfaces e destruir-lhe a loja só o vai tornar mais pobre, outrossim atacar a polícia que só lá está porque lhe foi ordenado e para garantir a segurança das pessoas e bens é um disparate que trará pesadas consequências.
    Se atacarem o dinheiro, acreditem que é aí que mais dói aos que nos tentam dominar através da boca ou da saúde, talvez por aí cheguem a algum lado.
    Lembrem-se que a melhor violência é a não-violência!
    Gandhi venceu um império com essa teoria, utilizem-na.

  32. Vega e Eddie, o problema é que por mais que Google não encontro a tal votação na AR para vir a Troika. Têm a certeza que houve mesmo na AR uma votação para “A PRÓPRIA VINDA DA TROIKA”, ou só ouviram dizer?

  33. Vega, compreendido, afinal como suspeitava NÃO houve mesmo na AR uma votação para “A PRÓPRIA VINDA DA TROIKA”, foste só tu que imaginaste.

  34. Vega, então agora é que vens dizer que a votação para “A PRÓPRIA VINDA DA TROIKA” afinal foi no kindergarden do Aspirina? Podias ter dito logo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.