Como baixar salários e ser aplaudido por isso

Se dúvidas houvesse sobre o Processo de Liberalização em Curso, eis o pré-aviso do fim do 13º e 14º mês. Não vão ser obviamente cortados assim a frio, que ninguém está para tumultos e isto é governo de gente séria, honesta e transparente. Vai ser um processo subtil, bem descrito aqui pela pena de Bagão Felix. Funciona assim: para “facilitar a gestão de tesouraria” das empresas, o subsídio de férias e Natal passam a ser pagos todos os meses. Ninguém perde dinheiro, os empresários passam a pagar os subsídios a prestações, e os trabalhadores recebem um pouco mais todos os meses, passando a ser sua responsabilidade poupá-lo. Coisa que, como quem se desunha para esticar o salário até ao fim do mês sabe, é bastante fácil e nada dado a tentações.

Isto acaba, de forma indolor e provavelmente com alguns aplausos,  com a ideia bastante enraízada de receber salários a dobrar duas vezes por ano. Uma vez a ideia aceite e posta em prática, esses items passam a estar “incluídos” nos salários existentes e, estando aqui a beleza da coisa, nos salários dos novos contratos, salários esses que naturalmente, por força do mercado, da crise e da competitividade, baixarão para os valores anteriores, ou próximos. Passam é a ser com “subsídios incluídos”, até um dia se resolver acabar com essa “relíquia”. Exceptuando, claro está, o salário mínimo que desta forma “sobe”, dando por outro lado uma boa desculpa para estar uns anos sem o actualizar. Porque como nos diz o bom Bagão, “O SMN de 485 € pago em 14 mensalidades é o mesmo que 566 € por 12 meses“. Aqui está o aumento do salário mínimo muito para além dos 500 Euros exigidos. Quem é amigo, quem é? Não me digam que ainda o vão querer subir mais?

E assim se acaba com este disparate de subsídios “reveladores de uma lógica de consumo sazonalizado“. Como há uns dias me dizia um amigo, pequeno empresário, “então um tipo fica sem a funcionária e ainda tem de lhe pagar? Era o que faltava”.

Quanto a ir efectivamente de férias, ou a oferecer presentes de Natal, é simples: poupas religiosamente, todos os meses, uma parte dos teus 566 euros, ou dos teus 1166 euros, se fores um dos afortunados da “geração mil euros”. E rezas para que resistas à tentação quando chegar o “acerto” da EDP, ou outro acidente do género. Se não conseguires, problema teu. E a praia, de qualquer maneira, é para reformados estrangeiros.

19 thoughts on “Como baixar salários e ser aplaudido por isso”

  1. Estás com medo? Queres Europa mas só no que te interessa? Já trabalhaste no estrangeiro? E recebias 14 meses e só trabalhavas 11? Qual o problema, acho muito bem! Pagar 14 miseráveis é que é enganar o trabalhador.

  2. Se isso alguma vez for avante, vai ser desastroso para todos os trabalhadores, pois tal sistema vigora nas empresas de trabalho temporário (ETT). Ou seja, pretender-se-á democratizar a precariedade…
    É de lamentar que em Portugal sejam sempre os mesmos a pagar a crise, i.e., os mais desfavorecidos…

  3. Este Marito não percebeu , coitado…e assim se vão cortando direitos, paulatinamente como quem não quer a coisa. E se o povão até aplaude ainda mehor !
    Não esperem é depois simpatia quando estiverem com o rabito a arder…

  4. Mas qual gestão de tesouraria? Este Félix pensará que está a falar para labregos como ele? As empresas já contabilizam esses subsídios de forma duodecimal ao longo do ano…
    O objectivo é claro, mas tresanda…

  5. Boa análise Vega! Ou melhor boa interpretação da desfaçatez de gente que bate com a mão no peito, como dizia o meu avozinho para se referir aos falsos ……

  6. E digam lá que eles não têm imaginação?Eles sabem muito;e não precisam de quem os ensine, precisam é de quem os ajude.Infelismente têm muito palerma que,inconscientemente,julgo eu,o continua a fazer.É lamentável, porque depois todos sofremos,mas acontece.

  7. Excelente post. estou farto de fradalhões tipo Bagão.

    E quanto ao Vítor Gaspar, tenham medo, muito medo. A entrada em cena deste tipo, faz-me lembrar Salazar em 1928.

    P.S. – Marito, por que é que em vez de vires para aqui bolsar, não te dedicas a bater sarapitolas?

  8. Há que fazer algo, isto está a passar os limites.
    Este país já não tem ponta por onde se lhe pegue. está a ser completamente destruído. Onde andam os comentadores de serviço? Foram de férias? Estão a banhos? Gostam que lhes vão ao rabo? E o PCP? Onde está? E o BE? Foi para a praia? Grandes tesos contra o Sócrates, minoritário, e agora uns merdosos até dizer chega.
    E o Nogueira? Onde pára esse canalha? E o Carvalho? Onde anda esse fala-barato? E o PR? Que não permitia mais sacrifícios aos portugueses? Onde anda essa canalhada?

  9. E diria mesmo mais: a taxa social única é devida na proporção do trabalho, logo, faz parte do rendimento deste. É bem simples gente. O único problema é que estamos todos num faz de conta que só ilude quem é mesmo lorpa.

    As contas são simples: o empregado paga (x) para o sistema da segurança social, o patrão paga (y) para a segurança social do trabalhador. Logo, se for descontado tudo ao trabalhador, temos que este paga (x+y) (que seria uma pipa de massa) e objectivamente observável.

    O mesmo se passa com os ditos 13 & 14 meses, subsídios que em bom rigor são também fruto do trabalho, isto é remuneração pura do trabalhador.

    É nessa medida que se deve clarificar quem paga o quê. É sempre o trabalhador!…

  10. é uma perspectiva. os recibos verdes nunca receberam, nem recebem, para as férias nem para o natal nem para quando não têm trabalho e nem sequer são uma minoria pouco significativa. mas são portugueses, isso é certo. :-)

  11. Oh Sinhã! Porra, pá! Desembucha. O que é que tu queres? Vens para aqui encher chouriços, não dizes nada de jeito, não tens uma ideia. Diz duma vez o que queres. Quanto tempo mais temos que te gramar?
    Olha que é chato c*. O Val já te parar com os copos. Mas serão só copos? Ou queres mais alguma coisa.
    Vá não te acanhes e diz ao que vens. Estamos cá para te ajudar.

  12. olá, bom dia, fodilhão –sim, tens razão, eu não sou de vomitar ideias feitas pelos jornais nem de escovar o Aspirinão – sou pelo processamento livre e autónomo, ideias sem linhas que não cabem em cabeças formatadas como a tua; sou pelo ideiódromo criativo e não pelo comentadorismo mendigo – sou pela palavra vestida e pela ideia desnudada e nunca pela reprodução escrava. e bebo, sim, bebo da água do meu jardim, dos limões do meu quintal – bebo da produção caseira, limonada a preceito, sem caroços e sem acidez: bebo como se a beber limonada no leito – e assim me levanto e assim eu me deito. :-)

    (mas podes sempre pedir que me expulsem, usar esse tesão todo em bicos de pila, juntar forças deve ser fácil) :-)

  13. Eu não te queria expulsar sinhã. Uma pessoa com tão brilhantes ideias, que vê as coisas de cima, um ser superior, com ideias do catano, filósofa, nada vaidosa. Queria que fosses devagarinho, sorrateiramente, de modo a te esquecermos rapidamente. Quando eu era mais novo, por exemplo, nas reuniões quando aparecia alguém chato pra caraças como tu, que falava, falava, não dizia nada, que às vezes abria a boca só para dizer: faço minhas as palavras do orador que me antecedeu, havia uma forma de resolver o problema. Escrevíamos um bilhetinho a essa pessoa dizendo: “A sua presença está a importunar. Finja que vai cagar e ausente-se.”
    Pois sinhã podes aproveitar a dica e não finjas, vai mesmo.

  14. adorei os elogios, obrigada. só não entendo bem, com todas essas qualidades que me apontas, o que não suportas e o que te incomoda tanto em mim. de resto, essa vaidade que me apontas é do tipo colesterol bom: vaidade balastreira seria se exibisse mamas postiças. como não é o caso, sou toda mamas naturais, não tenho porque escondê-las. entretanto, se os donos dos posts também me tiverem, como tu, como insuportável que mo digam. não é que um ogre como tu não mo possa dizer, obviamente, mas serão palavras daquelas que seguem o caminho da tua dica.

    (e sim, fui mesmo. se quiseres mando-te fotografias dos polvinhos, dos meus. gostas de polvinhos, fodilhão?) :-)

  15. Gato Vadio o Marito percebeu e muito bem, até porque defende isso mesmo há muitos anos, e também “trabalha” assim há muitos anos, sou defensor de que o recibo do salário deveria reflectir a realidade do vencimento ou seja tudo aquilo que efectivamente custa ao empregador aquele trabalhador e mensalmente, sem 13º ou 14º. Por outro lado eu nunca disse que os salários (em Portugal) eram elevados, pelo contrário, mas isso não invalida que reflictam a realidade, aliás segundo julgo já há algumas empresas a fazerem exactamente isso e sem serem de trabalho temporário. Mas este é apenas mais um “complexo” da esquerda “já gasta” e sem ideias – porra durante + de 10 anos, é obra!
    Quanto ao amigo C.Serra, deveria querer dizer “bolçar”, pois, mas chafurde lá à sua vontade.

  16. “entretanto, se os donos dos posts também me tiverem, como tu, como insuportável que mo digam.”
    Andas a dormir na forma ou então assobias para o lado. Então o Val já não te disse várias vezes para deixares o vinho? E ficaste escandalizada por ele não te pedir desculpa? Tens uma memória de passarinho. Só te quis ajudar de modo a te portares como pessoa de bem. E fazendo um esforço até parece que és capaz disso. Como tens uma espécie de blog vai lá escreve umas merdas pode ser que um dia consigas ou então aproveita as novas oportunidades. Agora desampara a loja com comentários tão sem jeito. O melhor de ti são as cagadas que mostraste na espécie de blog que tens.
    E ponto final na conversa.

  17. ó fodilhão faz-de-conta, eu bem sei que dizem que a imitação é a melhor forma de elogio mas tu não caias nessa: isso só mostra que tens o cérebro do tamanho da pilinha de um bicho da seda. quanto ao vinho e ao ficar escandalizada, descansa, porque a questão é apenas esta – a de serem tão mas tão burros que se aproveitam do que ele diz ou deixa de dizer para se fazerem notar. ignorante, asno, Val gosta mais de mim do que de licor beirão e quero lá eu saber das desculpas dele: ele, tal como pude verificar, só as escreveria se fosse tótó – supostamente eu ofendi-o antes de ele me ofender a mim (mas só supostamente) :-). agora lava lá a boquinha antes de falares do meu blogue e dos meus polvinhos seu frustrado. e que seja a última vez que me abordas, senão dedico-te isto:

    http://youtu.be/tYQDfGOwVho

    :-D

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.