24 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Qualquer futebolista bom de bola, por exemplo, Figo, ou Ronaldo .
    Simão Sabrosa dava um bom Ministro dos Negócios Estrangeiros. Já Bruno Alves, esse dava para Ministro do Interior …

  2. um gajo que pusesse o país a cantar fado às 8 da manhã, representar gil vicente à tarde e a declamar camões à noite. a vazcongrêllos tinha arcaboiço para isso, mas estragou tudo com a cena da mochila.

  3. até parece que o presidente já nomeia ministros. entendo que o costa dê conhecimento prévio ao presidente de quem vai nomear, mas não percebo porque é que a presidência dá a notícia primeiro.

  4. Não vejo outro que não seja Cavaco Silva, agora liberto das funções de PR.
    Sem aumento de despesa para o Estado.

  5. Como a cultura teve em 2012- 2015 um orçamento de cerca de 100 milhões de euros precisamos é de um ministério da falta de cultura. Qualquer militante do paf serve. Por exemplo o Duarte Marques ou o Dandy de Joane davam bons ministros da santa ignorância.

  6. “Para mim o ministro da Cultura seria o António Vitorino de Almeida.”

    … joão malheiro a secretário de estrado e eusébio em mi tintol. ganha juízo pá.

  7. Ignatx, já tratas os meus desejos e alvitres como eventuais possibilidades, agora so falta distinguires o ” mode”.

  8. ò nhanha, este tamém servia pra menistro da cultura.
    “… ameacei partir uma garrafa de tinto na cabeça do Cunha Teles que, impensadamente, me chamou oportunista. Não sou uma natureza agressiva, antes pelo contrário, mas ser insultado por um manhoso negociante é coisa que me põe fora de mim.” – césar monteiro em http://bibliomanias.no.sapo.pt/jcmonteiro.htm

  9. Leio as sugestões e só posso chegar a uma conclusão: neste país quando alguém ouve falar em cultura puxa logo do seu futebol — com as minhas desculpas a Hanns Johst [*].

    E pensando melhor, acho que têm razão. Em Portugal qualquer coisa serve. Francamente, futebol ou festivais transsexuais à moda da CML, tanto me faz. E já sabemos com que podemos contar: como o Jean-Luc Godard, no Mépris, punha um produtor a dizer: «sempre que ouço falar em cultura, puxo logo do livro de cheques»…
    ___________________________________________________

    [*] Não, Valupi, não era o Goebbels, nem o Goering, nem sequer o tio Adolfo que dizia que puxava da pistola, contrariamente ao que ouves no canal da História e nas entrevistas da Pimentel. A boutade é de uma peça de Hanns Johst sobre aquele rapaz executado em 1923 por actos de resistência, que aliás deu o nome de baptismo à nossa orgulhosa NRP Sagres, o Albert Leo Schlageter.

  10. Sim, Ignatz, concordo. Esse também seria um óptima escolha, mas infelizmente é tarde demais.

  11. “até parece que o presidente já nomeia ministros. entendo que o costa dê conhecimento prévio ao presidente de quem vai nomear, mas não percebo porque é que a presidência dá a notícia primeiro.”

    Eheheh O despertar de um anjinho.

  12. Tanta admiração por ser a Presidência da República a dar a notícia sobre
    a escolha do novo Ministro da Cultura mas, anda todo o mundo distraído?
    Só falta ao Presidente Marcelo um cavalo branco, pois estamos a ensaiar
    o caminho para uma mudança de regime, lembram-se do Sidónio Pais?
    Acho que o País ganhava com a mudança para um regime Presidencial ao
    invés do semi- parlamentar mais propício às crises e birras dos vencedores
    depois derrotados … topam ???

  13. Para a cultura terá de ser um gajo bem culto.
    O Passolas de Massamá será pois a pessoa indicada.
    Até leu Freud e tudo, o gajo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.