Vamos lá a saber

A crise entre o Livre e a sua representação parlamentar irá enfraquecer o partido por suscitar descrença e originar divisões ou dar-lhe-á uma força que não conseguiria obter sem esta dilacerante polémica?

6 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Parece-me claro que enfraquece o partido Livre.
    O enfraquecimento do Livre é desejado por Joacine. A ideia dela é quebrar a espinha do partido promovendo o afastamento do Rui Tavares, a sua face mais visível. Joacine que liderar o Livre. Porém, os estatutos actuais não favorecem a liderança concentrada numa pessoa ainda menos numa pessoa que tem perfil autoritário, como é o caso da Joacine. Em todo o caso, Rui Tavares que já comido vai fazendo figura de tonto. O Livre não pode declarar quebra de confiança política na Joacine pois, apesar de tudo, que manter presença no Parlamento. Se o declarasse Joacine ficaria como deputada independente e o Livre desaparecia do mapa, coisa que não interessa ao partido.
    Só resta a Joacine criar um partido próprio, que é seu desejo íntimo. Um partido para agregar os negros e alguns brancos para enfeitar. Claro que ela não pode anunciar a coisa desta maneira, mas na prática é assim que vai funcionar.
    Mas Joacine não pode agora associar-se a um novo partido, sob pena de o seu mandato no Parlamento cessar tal como determinam as regras existentes. Isso não lhe interessa neste momento, primeiro porque quer manter a sua visibilidade pública de mulher negra rebelde, segundo porque o pilim que aufere lhe dá jeito.
    De forma súbita surge Mamadou na comunicação social dando conta de que se desvinculou do Bloco de Esquerda. Então Mamadou e outros podem criar um novo partido ficando a aguardar que passem os 4 anos da legislatura. Na parte final da legislatura, já em 2013, Joacine inscreve-se no novo partido, afastando-se do Parlamento e anunciando que não se revê no Livre como Mamadou diz agora não se rever no Bloco de Esquerda. E parte para a campanha eleitoral, já integrada na liderança do novo partido à espera da concentração de votos dos ditos cujos.

  2. Estou preocupadíssimo com o futuro do Livre, com as toilettes da Joacine, com a cor das meias e comprimento das saias do assessor, com o aquecimento global, os flatos das vacas e a cor e sexo do unicórnio que a Greta Thunberg montará na próxima etapa da sua heróica cavalgada climática. Na verdade, estou mais do que preocupadíssimo, estou veramente preocupeidadíssimo! Vou ali encher o isqueiro da vizinha e já volto.

  3. Cheira-me que toda esta trapalhada foi engendrada pelo Ministério Público. Ou então foi algum feiticeiro lá na Guiné! Talvez pedir ao Prof. Karamba para fazer alguma coisa para que a polémica deixe de ser dilacerante.

  4. parece é que o parlamento se terá de adaptar a toda uma nova cultura de fazer politica :l fora dos prazos e trapalhona e a dar nas vistas com “cores garridas ( ou saias) ) , tal e qual os estereótipos. e esta , hein?

  5. Vi agora na comunicação social:
    “Joacine escoltada por GNR no Parlamento para afastar jornalistas”
    Ah! Ah! Ah!
    Tudo isto me parece um circo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.