19 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Uma pergunta ingénua. O que acontece com estes fogos é ou não uma catástrofe tão grave ou maior que a do ano passado?
    Pergunta-se; o Presidente Marcelo demite-se ou não?
    Serão precisos mortos para o Presidente Marcelo cumprir a sua palavra de honra ou terão a GNR de correr a enxotar as pessoas das suas habitações, evitando assim a demissão de Marcelo?
    Coisas que me passam pela cabeça: vejo nitidamente o professor, ao telefone, dirigindo as operações da evacuação das casas, clamando: – tirem-me essa gente daí ou ainda terei de dar uma explicação e dar o dito por não dito.
    Eu não esqueço :)

  2. Não há dúvidas o António Costa aderiu ao sistema de governo do Trump,
    usa o “tweetar” para dar satisfações ao bom povo português ou seja passamos
    a ter uma governação virtual … não será muita modernice???

  3. O Costa tem de perceber que não pode fazer o mesmo que o Marcelo, nem um decimo aliás, a “comunicação social” não lhe vai dar essa bola.

  4. Fez mal. Muita gente deve ter-se sentido gozada, incluindo eu. Pareceram-me fotos de uma telenovela. A imitar Kim Jong-un? Só faltaram os assessores com um caderninho na mão para tomarem notas.

  5. Não foi ele certamente quem ilustrou o tweet, mas alguém do gabinete dele. E não há fotos que não sejam encenadas. Até os instantâneos o são.
    Se fizeram bem ou mal? Nem bem nem mal, não vejo o problema. Mas para os abutres políticos dos incêndios, tudo serve de pretexto, como se pode ver aqui pelos cu-mentários.

  6. So what? Um PM está nas “mãos” de consultores de imagem e speech writers, praticamente não tem controlo (porque o delegou) sobre a sua própria imagem. Kennedy não escreveu o “ich bin ein berliner” e outros discursos importantes, foi Sorensen. O que acontece é que as pessoas vivem numa ilusão do que é a politica e a encenação dos seus atos que são na maior parte simbólicos. O que o rotundo Costa devia comer eram grilos, tem uma “boneca” que alto lá.

  7. neste caso o abutre dos incêndios foi o pm . para além do ridículo , encenar fotos para fazer bonito no decorrer duma tragédia é dum mau gosto atroz . parolices.

  8. A próxima pergunta é se o presidente encara esta tragédia como um óbice à sua recandidatura, ou não. Não foi isso o que ele prometeu? se houver uma morte já não é tragédia que se equivale ao seu conceito de “tragédia”, que ele desenha? ou se se define tragédia pelos parâmetros consequencialistas: trinta mortes abaixo não é tragédia, acima já o é?

    Eu sei o que é. A pobre ênfase que ele evoca em matérias políticas é exatamente a mesma àquela usada nos gracejos que envia ao primeiro-ministro sobre as suas férias: embora perto não passa pelos sítios assolados pelos fogos, como se fossem longe.

  9. Não é exactamente para o Costa que estes abutres afiam o bico, é mais para o Marcelo, para terem enfim uma crise salvadora. Uma oposição desvairada que deposita a sua esperança em incêndios, sobretudo se houver mortos: metem simplesmente nojo, asco!

  10. Numa situação de catástrofe em curso, é desprezível a politiquice de criar casos com a maior ou menor felicidade da retórica dos intervenientes. Não há o que dizer. E é pornográfica a repetição em contínuo de imagens de fogo e de pergunta às vítimas “diga o que sente”, com casa ardida em fundo. Agora, antes da catástrofe, o Governo não deveria ter embandeirado em arco com as condições climatéricas favoráveis e reclamar méritos na reduzida área ardida até então. Desafiou a sorte e saiu-se mal.

  11. Fez mal. Deu o flanco a que gozassem com ele, sem necessidade.
    Os tweets bastavam, as fotos encenadas eram escusadas.

  12. Em relação à questão do Valupi, é uma questão que, muito francamente, integra várias visões. “O Macron fez bem, ou mal, em repreender o miúdo que abreviou-lhe o nome”? Novamente, há várias leituras que podemos fazer. Numa primeira, faço a de agradar ao eleitorado (mesmo que com algum vestígio de pretensiosidade). Estas figuras têm equipas de assessores que se dedicam à imagem e de como hão de aparecer. Numa perspetiva ética, Costa não fez mal nenhum em publicar essas fotografias. Podemos gostar, ou não, do estilo, mas ainda não li nenhum comentário válido que argumente o porquê de Costa ter agido erradamente com a demonstração do seu zelo. Apenas li respostas que se baseiam na estética, exemplo da do comentário anterior. Mas talvez seja sobre a estética que o Valupi se debata: está Costa bonito ou mal postado no centro da sala?

  13. Na primeira foto (a maior) o PM parece estar a tomar conhecimento do que se passa no terreno dos incêndios. E como o faz? Vendo um canal de TV! Ah! Ah! Ah!
    Na segunda foto tem à sua frente um monitor com um mapa da zona, onde aparece uma mancha a vermelho (assinalando onde estão os incêndios, talvez com 24 horas de atraso). E aponta o dedo para o ecrã, com o telemóvel na outra mão, como se estivesse a dar instruções aos operacionais que estão no terreno! (Onde é que obteve competência para tal?) Num mapa desactualizado, ainda que 24 horas? Ah! Ah! Ah!
    Na terceira foto já aparece com ar tranquilo. Afinal as suas ordens foram cumpridas e os incêndios regridem. Ah! grande PM. Você é mesmo bom!
    Você de incêndios não percebe nada, o que não tem nada de mal, não é esse o seu papel. Deixe isso para quem sabe e não esteja para aí a fingir. Vá gozar para outro lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.