Vale mesmo tudo no laranjal, tudinho

O Conselho Nacional do PSD aprovou hoje um voto de louvor ao militante Miguel Relvas, no dia em que este deixou o Governo, subscrito, em primeiro lugar, por Sabrina Furtado, Luís Montenegro e Luís Menezes.

O documento descreve a atuação de Miguel Relvas como “de inexcedível lealdade à causa pública posto ao serviço de Portugal e dos portugueses” e enaltece “o seu contributo como militante e dirigente do partido, particularmente nos últimos cinco anos”.

Fonte

__

Este PSD considera que Relvas respeitou a causa pública e serviu os portugueses enquanto trabalhou para a ida ao pote e depois de lá ter metido as manápulas e as beiças. Este PSD, portanto, premeia a ofensa soez e demente, o perjúrio na Assembleia da República, a colossal incompetência política e a chantagem a jornais e jornalistas. Confere.

A figurinha pacóvia e soberba não foi odiada, nem será. Foi apenas ridicularizada e de imediato será esquecida dada a sua irrelevância para o nosso presente e futuro. Mas o voto de louvor ao militante Miguel Fernando Cassola de Miranda Relvas merecia não mais ser esquecido enquanto os signatários tivessem o topete de continuarem a ir a votos como representantes dessa cultura decadente que aqui celebram num dos seus exemplos mais flagrantes.

4 thoughts on “Vale mesmo tudo no laranjal, tudinho”

  1. É isso mesmo, Herédia. O gajo saíu f… com os parceiros, que agora temem a vingança do relvinhas. Talvez um grande tacho acomode e acalme a figura. Ficamos à espera. Que se cuide aquele deu o empurrão decisivo. Gente como Relvas não brinca em serviço…da sacanagem.

  2. socras na rtp foi a ameaça, é bom que lhe continuem a obedecer ou correm o risco do gajo implodir belém com umas cargas de bpn ou um ataque de submarinos à dupla barroso/portas.

  3. Há tomates ou não?
    Também não percebo como num laranjal se pode criar tomates. Dizem que no PSD e nos seus deputados não os há. É evidente que sim. Se os houvesse há muito que o País tinha tomado outro rumo e tinham demitido Miguel Relvas. Assim não passavam pela vergonha de ter de lhe dar um voto de louvor. Alguns fizeram-no por convicção outros para segurar o tacho.
    Quem assiste a este vídeo e não tenha conhecimento das peripécias de Miguel Relvas julga que se trata de um programa de “apanhados”. Mas não. Trata-se simplesmente de homem que tudo tentou passar pelo que não é. E, como a mentira tem pernas curtas aqui está a verdade de Miguel Relvas e o ódio que criou nos portugueses.
    Como disse, esperava-se que os deputados do PSD tomassem uma decisão: mostrar que “os” têm no sítio. Mas eles foram parar a outro lugar. E, para incredulidade minha foram para a quem menos esperava: uma mulher.
    Virgínia Estorninho, de seu nome, mostrou no Conselho Nacional do PSD como se deve ser na política: integra.
    O chamar os bois pelo seu nome e no meio de uma massa de fanáticos e seguidistas de Relvas é de “os” ter no sítio. Meter-se com Relvas traz sempre consequências.
    Que o digam os jornalistas Maria José Oliveira e Nuno Simas. A vida deles foi devastada.
    Acredito que o mesmo vá acontecer a Virgínia Estorninho. Quem se mete com Relvas não fica incólume.
    Vou seguir este folhetim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.