Um sonho para o BE

Sem Louçã, o que será o BE? Alguém imagina a manta de retalhos entregue ao Fazenda? Ninguém, a começar pelo próprio. Seria Pureza a solução? Seria, mas para o partido definhar sem excessos retóricos, com um vagido e meio sorriso. Aparecerá algum daqueles maluquinhos que só fizeram merda atrás de merda ao dirigirem a estratégia da campanha de Alegre, nem conseguindo os mínimos de conquistar o eleitorado do PS, quanto mais obrigarem a múmia de Boliqueime a uma 2ª volta? Serão estes os mesmos que decidiram não se coligarem com o PS para as autárquicas em 2009, assim levando o BE a desaparecer do mapa alfacinha? Serão ainda estes os mesmos que decidiram apresentar uma moção de censura ao Governo só para mostrarem que eram mais comunas do que os comunas? Ou todos eles apenas obedecem ao génio napoleónico de Louçã para todo o sempre na frente russa? Estará a Ana Drago em condições de superar o ontológico machismo da maltósia da extrema-esquerda? Nem pensar nisso, pois para além de ser uma chavala é ainda uma chavala. Ou alguém imagina que as estrelas mediáticas, Oliveira e Amaral Dias, no frenesim da sua produção industrial de opiniões superficiais e sectárias, têm algum voto na matéria sequer para influenciar os acontecimentos? Sequer o amigo Rui Tavares acredita nisso.

O meu sonho é o de ver o BE a ser coordenado pela Helena Pinto. Sou fã desta pessoa que tanto tem contribuído para a minha boa disposição. E a possibilidade de se vencer o inimigo através do riso é real, atenção, tendo já sido testada com sucesso pelos Monty Python nos idos de 70.

9 thoughts on “Um sonho para o BE”

  1. Hoje, no “i”, a Lili Caneças lançou a candidatura a subsituir o eterno Louçã, caro Val.
    Depois disso não sei se ainda manténs o voto na Helena Pinto.
    Cumprimentos

  2. Eu preferia o Macedo. Esse, sim, a seriedade em pessoa. Só lhe faltou o hábito e o capuz, quando fez reviver a Santa Inquisição numa comissão parlamentar de inquérito, que exigiu as escutas à vida íntima do PM e desceu ao pormenor do selo nas cuecas, para enxovalhar o herege…

  3. sei lá.. eu gostava do bloco ao principio, por causa do ivan , e às tantas , à cause do louçã , passei a achar aquilo pior que a igreja do 7º dia. não posso com igrejas. acho que o be só tem a ganhar com a saída de cena do padre cura. é repelente.

  4. ai , Sinhã , tu que es uma moça esperta , ainda não reparaste que se não formos agora nós a meter a mão na massa isto não vai lá ? tás a ver a história do aprendiz de feiticeiro e a cena do tem cuidado com o que desejas ? pois , lixámos tudo , já não há guerreiros , só lesmas. como é que isto aconteceu não sei , mas lá que ando a estudar o assunto , ando. e lá que tenho uma ideia que o “feminismo” , mulherame forte e independente até dizer chega , graças a zeus , mas com um calcanhar de aquiles bué doente pois não deixa de mimar o filhote ( a cena do amor por transferência : quanto pior é a relação do casal , mais a mãe transfere pró filho..o V explica. divorcio e tal às mãos cheias , topas ?) como se fosse o rei da casa, idiotizando-o e amolecendo-o , tem montes de peso no problema , tenho.

  5. de ti não sei mas eu só meto a mão na massa para fazer rissóis. e devo ser boa parideira porque saem às três dúzias de uma assentada – e isso, pelo contrário, não transfere o meu amor: complementa-o. e também não há-de ser motivo de divórcio – mas de mãos cheias sim, claro, quanto melhor o estômago mais gana pelas minhas catarinas. :-D

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.