A sétima trombeta

O facto de Inês Serra Lopes continuar a ser chamada à televisão para largar sentenças a respeito da actualidade política entra na categoria do mistério. E tal acontecer na RTP, para onde vai parte dos meus impostos, convence-me de estarmos muito, muito, muito perto do fim do mundo.

Pois esta luminária, este paradigma falante da rectidão e bons costumes, esteve ontem na RTP-N a rir-se do Assis e da sua proposta de abrir o PS à sociedade, enquanto louvava Seguro pela qualidade do seu marketing.

Em condições normais, isto chegaria para decidir o páreo.

9 thoughts on “A sétima trombeta”

  1. Vaaaal, má man, Inês Serra Lopes não está na tua liga, companheiro, tens de entender isso, ela não é Assiada como tu, que queres que te diga, a moça não bebe; já tu Val, que enfrascas a cada passos, lá está, Val, não jogas pelo seguro, acordas alterado Val, e jamais serás suficientemente sóbrio para decidires o páreo, percebes Val?

  2. Como diz o grande poeta José do Carmo Francisco, isto está pior do que no Gabão. Eu até digo que está pior do que no Burkina Faso e sei bem do que falo porque tenho um amigo que esteve de férias em Ouagadougou no ano passado.

  3. Esta “jornalista” Serra Lopes foi condenada no âmbito do processo casa pia, onde o seu pai era advogado, por “…”frustar e iludir” a investigação das autoridades judiciárias competentes e dos OPC, a “fim de conseguir que Carlos Cruz pudesse ver alterado o regime de prisão preventiva em que se encontrava e evitar que ao mesmo arguido fosse ou viesse a ser aplicada uma pena”.”
    A paga pelo serviço é ser chamada às RTps para “opiniar”?

  4. paradigma falante da rectidão – que delícia de expressão para uma que, depois do pia, ainda pia. sempre a jogar pelo seguro, a Inês. :-)

  5. Caros,
    É repugnante ver a protecção corporativa que os jornalistas se autorgam entre si, dando voz assídua a tal desavergonhada criatura e outras que tais.
    Esta dona inventora aldrabona de notícias de descoberta de um “sósia” de C.Cruz para ilibar este que era é defendido pelo papá, e já depois de ter sido apanhada pela justiça metida na conspiração de Santana contra Sócrates no caso Freeport, tem a lata e é-lhe dado tempo de antena para continuar inventando, ficcionando e cagando postas de moral e “verdades” como Judas.
    A nossa actual imprensa, escrita, falada e vista é um reptil repugnante chafurdando num charco de merda que os jornalistas, eles próprios, vão construindo. E onde morrerão todos afogados por falta de quem olhe por eles.

  6. ..” e dos bons costumes”, Sinhã…

    vinha comentar a maravilha da frase,

    mas a Sinhã ja o tinha referido brilhantemente…

    Seguro, Tó Zé para os friends, dele,

    é brilhantina, restaurador Olex talvez,

    uma boquinha de qq coisa que nao me ocorre agora,

    e se a direita o elogia,

    se calhar a esquerda conservadora também…

    temos de novo o mesmo arco da santissima aliança

    que atirou o país para a crise presente…

    mas a luta continua

    abraço, Assis vencerá…

  7. Se ela opinasse no sentido “ASSISino” era a “maior”…

    Estas dores de cotovelo são no mínimo indecorosas e fiquem a saber que os sapos são muito indigestos.

  8. Claro como água. Se essa franca mulher critica o Assis e elogia o Seguro, mais uma razão para o PS perceber o que mais lhe convém escolher. Ao menos já sabe que o “projecto Seguro” tem Certificado de Garantia do “adversário”. Neste caso, em bom rigor, inimigo…

    Muito obrigado pela franqueza, Inês S. Lopes.

  9. O proprietario deste blougue devia activar um sistema de aprovação dos comentários que nele surgem.Não, evidentemente, para limitar a liberdade de opinião, mas sim para nos poupar aos textos dos mediocres que, incapazes de pensar, não conseguem ir mais longe do que recorrer aos insultos e a obscenidade.
    Quanto a senhora Serra Lopes a criatura causa-me simplesmente nauseas apenas superadas pela repulsa sentida pelos senhores da RTP que a convidam e lhe pagam a nossa custa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.