13 thoughts on “Sporting 3 – Dinamarca 1”

  1. As agências de rating têm isto em consideração.
    O Paulo Bento tem que vir dizer: ahh… uma vitória, ahh… pois! era o objectivo, aaah, ganhámos, pois. Também podíamos, aah, ter desviado fluxos e contido expectativas mas não era o nosso objectivo, aahh. Só lhe falta dizer o óbvio: ahh… é o losango, estúpidos.
    Tornava-se poesia.

  2. Melhores em Campo:

    Nani e João Moutinho (a maçã podre)

    A verdade é que Portugal ganhou e jogou bem porque finalmente teve meiocampo, ou seja, teve João Moutinho…sim, esse mesmo que o fiasco chamado Carlos Queirós não levou ao mundial e não utilisou nos ultimos jogos.
    Deixemo nos de facciosismos, para isso já bastam os psdês na nossa sociedade, Nani foi o homem do jogo, sem dúvida, mas a entrada de João Moutinho para o meio campo foi a grande vitória de Paulo Bento sobre um tiririca chamado Queirós.

  3. Não, Val, há muito para dizer, tipo isto:

    «A escolha de Paulo Bento para seleccionador nacional só poderia vir da mesma moleirinha que queria Mourinho em fraction-time para dois jogos. São escolhas rigorosamente simétricas: o génio incomparável e a vulgaridade com génio, o favorito dos maiores clubes do Mundo e o que não treinou senão um clube em toda a sua mínima carreira. […]»

    Val in Aspirina B

    Poderia acrescentar muita coisa, mas num país onde os Paulos Bento são ridicularizados e os Mourinhos são idolatrados, recordo o resultado de hoje:
    Paulo Bento 3 / Mourinho 1.
    Porquê Pedro? (perguntareis)
    Porque Nani foi lançado no futebol profissional por Paulo Bento, C. Ronaldo foi colega de P. Bento no Sporting e «herdou» o número de Paulo na selecção nacional (o 17) e porque Ricardo Carvalho (o marcador do golo da Dinamarca) é uma aposta pessoal do «melhor treinador do mundo» que conseguiu perder uma Taça de Portugal com o Benfica de Camacho para além de até ter perdido um jogo em casa (como treinador do FC Porto) perante um Beira-Mar treinado por Sousa.

  4. Assim de repente e sem recurso a papéis foi o João Moutinho, o Cristiano Ronaldo, o Luís Carlos Cunha (NANI), o Silvestre Varela, o Carlos Martins – uma fornada completa. Lembro aqui João Couto que conseguiu fazer o Sporting esperar seis meses pelos documentos do Nani. Lembro Paulo Cardoso que assinou com Osvaldo Silva o primerio relatório sobre o CR. Lembro Marques de Freitas que pagou o bilhete do Funchal para cá do miúdo com 11 anos.

  5. e é o mais importante.

    Paulo Bento não passou a bestial, nem é uma besta.

    continua a ser uma escolha discutivel para selecionador.

    mas tem coisas boas (além da “tranquilidade”): é um lider e não inventa muito tacticamente (aliás, até inventa de menos, deve ser dos treinadores mais previsiveis para os adversários), o que é bom para uma equipa que apenas faz dois ou três treinos antes de cada jogo.

    ficou provado que a selecção não é para “cientistas” nem para “inventores”…

  6. Assim se estraga a selecção que devia ser de todos nós! Com clubites, ainda por cima de clubes falhados ou criados por despeito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.