14 thoughts on “Serviço público”

  1. As escutas vieram minar o sistema todo. Ao mesmo tempo que só os torna mais preguiçosos. Há “investigações” a correr sem mais nenhum suporte. Imagine-se agora instigar a bufaria…

  2. Sem dúvida, Valupi. Serviço público do melhor. Embora eu gostasse de ler mais desenvolvidamente o PC dissertar sobre a timidez com que estes problemas que aqui enuncia, transpiram para o espaço público. Imagina que a AR, o Governo , ou o PR tinham os indices de popularidade e confiança que as sondagens atribuem à justiça: vinha abaixo o carmo e a trindade nos média de referência ! Assim, passam a informação estatistica e nem mais um piu! Claro que aqui não há matéria para “legitimamente” o MP suspeitar de trafego de influencias ou de recebimento de vantagem indevida, pois, como se sabe , a “cultura” da justiça até não alimentam as vendas dos jornais nem está ao serviço de nenhum projecto tenebroso de tomada de poder.

  3. Proença de carvalho não é qualificado para nada, salvo para defender banqueiros que se especializaram durante anos e anos a urdir uma “trama de subornos e de fugas de capitais para paraísos fiscais”, (Viriato Soromenho Marques, ontem no DN), que levaram à falência um banco e por arrasto uma das principais empresas do país.
    Para ele, PC, a justiça, que no fundo despreza, deve limitar-se a tratar das coisas do povo miúdo, e não se meter nem incomodar as pessoas de bem como ele e os seus amigos.

  4. I´m going down to shoot my lady
    You know I caught her messin `round with another man.
    Esperava um pouco mais, caro MRocha!

  5. Lopes, dude,
    Think of what you’re saying.
    You can get it wrong and still you think that it’s alright.
    Think of what I’m saying,
    We can work it out and get it straight, or say good night.
    We can work it out,
    We can work it out.

  6. Agora mais a sério, ò Lopes.
    1. Dizes que o PC “não é qualificado para nada” . Pronto. Dou-te essa de barato. Mas se tivesse sido o teu VSM a escrever aquilo, o que é que dizias ?
    2. Propala VSM que ( os tais banqueiros ) se especializaram durante anos e anos a urdir uma “trama de subornos e de fugas de capitais para paraísos fiscais”. Só os banqueiros ? Então e os merceeiros, os carteiros, os electrecistas ? Se o people do PSI 20 os liquidasse cá na paróquia, quanto é que isso pesava ? Sobre isso VSM tem o quê a dizer ?
    3. получать обратно, брать обратно ( “resumindo”) : todos temos agendas – PC terá as dele e VSM as suas.

  7. E então, como D.Sebastião emergindo do nevoeiro de guerra, eis que se começa a desenhar a sua figura, de cavaleiro real, retornado para salvar a pátria decadente. Está em marcha, para um massacre até as eleições, em cuja proximidade se iniciará, inevitavelmente, o julgamento que fará terminar uma era. Os partidos do centro, então mutuamente enfraquecidos, farão a aliança que se quer. E a fidalguia fará soar as trombetas da vitória.

  8. O que Proença de Carvalho diz com muita clareza é que, o M. Público não está
    organizado, falta-lhe liderança e que seja feita uma avaliação e escrutínio exte-
    riores e independentes! Logo, depreende-se que, os medíocres que levantam
    a bandeira do sindicato, terão uma agenda encomendada e à pala da corrupção
    estão a fazer “polítiqueira” atacando o PS pois, nunca se debruçaram sobre a
    teia de negócios da SLN criadora do BPN que vamos pagando com língua de palmo!
    Estamos perante uma campanha que visa neutralizar o PS que, começa no M.P-
    e acaba na SIC, até foram buscar a Boca guedes para deitar mais caca na ventoínha!!!

  9. Com tantos anos de escutas não era má ideia substituir os Magistrados do MP por operadores telefónicos. Sempre saíam mais baratos. Não vai ficar pedra sobre pedra… dois governos depois. Quer dizer que os trastes do Relvas e do Passolas só lá para a década de trinta.

    Mais a ´serio, de verdadeiramente novo na Justiça só esta aliança descarada com a imprensa tablóide. Também é verdade que Portugal nunca julgou um Primeiro. De resto e se ao nível da legislação – muita produzida depois da Revolução como o próprio Código Penal – somos verdadeiramente um país de 1º Mundo, é ao nível operacional que ainda se faz sentir e de que maneira quase meio século de autoritarismo. Não é por acaso que nunca deixámos de integrar os relatórios da Amnistia Internacional. Pois é! Alguns tiques levam mais tempo a passar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.