Scolari, vai-te embora – II

Scolari anunciou que se vai embora no meio do exercício de funções de responsabilidade máxima: o comando da selecção num Europeu. Na prática, é um motim. Equivale a declarar que cessou o seu vínculo de responsabilização perante as autoridades que lhe têm pago o salário. A escolha da ocasião do anúncio revela perfídia, deixa ver um megalómano vingativo. E consegue, assim, atingir de soco e escarro o país que ainda representa.

45 thoughts on “Scolari, vai-te embora – II”

  1. não faz falta nenhuma.

    o mais giro, foi ele à dois anos, no mundial, ter-se apressado a dizer que não ia para o Benfica, por que o anúncio foi feito antes de tempo…

    agora deve ter sido feito no tempo certo…

    mas é de “heróis” destes que o povão gosta, com bandeirada e tudo…

    estava a torcer por ele ir para o Chelsea, para se ver o seu real valor como treinador. E vai uma apostinha que não vai aquecer o lugar?

  2. “não faz falta nenhuma.”

    Vice campeão Europeu
    Quarto lugar no Mundial
    Quartos de final, só com vitórias, no presente europeu.
    Nenhum treinador da selecção teve jamais um curriculum deste.

    (Eu sei, eu sei, qualquer outro treinador já seria campeão mundial e europeu com estes jogadores, que são os melhores do Mundo ;)

    Valupi, já percebemos que não gostas do Scolari. O homem tem este dom de ser pouco gostável para os portugueses. Se fizermos um inquérito na rua, 80% irá celebrar os êxitos da selecção, ao mesmo tempo que dirá mal de Scolari. Somos assim.

  3. “Ainda tenho um contrato com Portugal e vou respeitá-lo até o último dia. Aquilo que acontecerá depois, nós veremos…”, conta ainda o técnico.

    11.06.2008 – 21h16 Filipe Escobar de Lima (in Público)

    Portanto deixem-se de patriotismos rasca que ele vai para onde quiser, faz o que quiser e isso não irá perturbar em nada o seu desempeho actual. No lugar dele, fariam a mesma coisa… ou pior!

  4. Em vez de louvarem o desempenho do seleccionador nacional, não, põem-se com as críticas do português pequenino, pérfido e invejoso.
    Se fosse a ti, Valupi, demitia-me.

  5. pedro oliveira, vamos fazer um acordo: eu tento ser coerente e tu tentas ler o que eu escrevo antes de me comentar. Ora vê lá: onde é que me estou a lamentar pela saída do Scolari?! Estou a lamentar é que ele continue a sentar-se no banco depois de ter anunciado, a meio do Europeu, que já tem contrato assinado com outro empregador.

    É que não só cria uma situação de despeito para com a Federação e a tutela, como deixa os adeptos com um problema que nada justifica criar nesta altura.
    __

    Pedro, não gosto do homem (público) nem do treinador. Mas não tem nada a ver com o colectivo que somos, a menos que estendas a identidade ao Brasil. Lá também havia muitos e bons a não papar o estilo da figura: fosse o das equipas por ele treinadas, fosse o da atitude pacóvia de “Sargentão”.

    Mas digo-te: ele podia ser tudo e mais alguma coisa de asqueroso que teria a minha bênção caso não defendesse que o futebol já se cumpre com vitórias de “meio a zero”. Isso é que me dá vontade de fazer piquetes para que ele não entre nos estádios de futebol. Repara que com ele Portugal nunca fez grandes exibições, (nem o Brasil, de resto).
    __

    claudia, já me demiti há muito dessa triste sina de dar méritos a quem não os tem. O futebol é uma roleta, não te iludas com a sorte.

  6. “Isso é que me dá vontade de fazer piquetes para que ele não entre nos estádios de futebol.”

    Bem, Valupi, volto a dizer: o homem tem-nos dado muitas alegrias e tenho pena que ele se vá embora. Nunca me passaria pela cabeça impedir que ele entre num estádio de futebol. É um grande treinador, quer queiras, quer não (desculpa lá). Sabe motivar os jogadores, faz verdadeiras equipas (não conjuntos de jogadores) e os jogadores parecem adorá-lo e estar unidos à volta dele (chega a ser irritante aquele paternalismo dos “meus mininos, não é? pois é…). Se é verdade, ou não, não sei, mas é isso que transparece, e só isso já é grande mérito. Antipatizas com ele, e continuarias a antipatizar com ele e a justificar a tua antipatia, nem que ele fosse campeão do mundo por portugal. O Miguel Sousa Tavares, também não o engole, nem como molho de tomate. É uma condição, pronto.

  7. É verdade, Pedro, que o seu registo autoritário cumpre vários e bons objectivos. Mas não é disso que me queixo, antes de um ideal pobre onde vale tudo para ganhar, incluindo o jogar mal. E depois a vida parece confirmar o jogo: Scolari joga mal perante aqueles que se atrevem a apontar para os pés de barro da estátua, e joga muito mal perante si próprio, não admitindo ter uma natureza animal. Foi por isso que não conseguiu assumir a sua responsabilidade aquando da agressão. Tendo em conta a importância política da sua posição, essa falha de carácter não deve nunca ser esquecida – a menos que ele se arrependa publicamente.

  8. Ainda quanto ao assunto:
    Não acredito que o anúncio da contratação vá desestabilizar a equipa (desestabilza bloggers, that’s for sure…;)) os “meninos” são homenzinhos de negócios, com rodagem nestas coisas, que não se desestabilizam por o “patrão” anunciar que vai treinar outra equipa.

    Quanto a isto:

    “…caso não defendesse que o futebol já se cumpre com vitórias de “meio a zero”.

    Isso é mais coisa do Mourinho, que é mais cool. O Sargentão também por vezes é assim, mas outras vezes dá-lhe para ser melodramático: ainda há poucos dias disse que seria mais ou menos uma tragédia nacional se Portugal não passasse aos quartos de final. Enfim, o gajo sabe bem o rebanho que tem e tem sabido conduzi-lo.

    Vou resumir: eu sou um básico do futebol, um euro-grunho, que analisa as coisas nestes termos:
    Scolari= vitória=alegria=cervejola=cornetas&buzinas=MuitaFixe.

    Pedro

  9. Pedro, gosto da tua equação, mas vou “corrigi-la”, esperando que não leves a mal:

    escola de formação do Sporting=
    Futre, Figo, Sabrosa, Cristiano, Quaresma, Nani, Moutinho=
    um treinador qualquer=vitória=alegria=cervejola=cornetas&buzinas=MuitaFixe.

  10. Descansada? Olha que não, olha que não. Levas com as maiores críticas, serves de escudo à equipa – quando esta também não se vira contra o treinador, levas as bocas foleiras de Valupis. Não me parece que seja uma vida descansada e irresponsável…

  11. Pois, pois, Valupi, o que não falta por aí são grupos de gajos muita bons a jogar tão bem à bola que nem de treinador precisam. Em Portugal, então, és às mancheias. Já aí vem um gajo do FCP dar uma equipa dessas, espera aí… Basta o roupeiro à beira do campo para lhes dar aguinha, de vez em quando, né filho? (obrigado, zé mário branco ;). No público, hoje, pôem o Scolari com uma setinha para baixo, a dizer mais ou menos isso: qualquer caramelo treina aquela equipa. O Big Phil, aqui em Portugal, nem conseguia crédito de 100 euros da Cofidis para comprar uma bola de futebol.

    Pedro

  12. Reza a história que não nos governamos, nem nos deixamos governar, porém uma equipa precisa sempre de treinador. Não me venham cá com tangas.

  13. claudia, tens-me em conta demasiado elevada, se imaginas que as minhas bocas foleiras perturbam a tranquilidade dos cromos da bola. Olha que o circo não foi inventado recentemente, e sempre houve candidatos para palhaço.

    Se pensares no assunto, verás que um treinador passa os dias úteis a mandar uns gajos fazer ginástica e passar a bola uns aos outros, para chegar ao fim de semana e ficar 90 minutos sentado a ver o que acontece. No fim ainda pode repetir umas banalidades, aparecer na televisão e ser tratado como se fosse o presidente da república no café lá do bairro dele.
    __

    Pedro, o exemplo do Porto é igual e paradigmático: ninguém gosta do Jesualdo, mas os jogadores são mesmo bons para um campeonato onde a concorrência esteve completamente desorganizada. No Benfica, que conheceu 3 treinadores, a merda foi sempre em crescendo.

    E o Mourinho, esse génio que ganha a Taça dos Campeões com o Porto, mas nem à final consegue chegar com o Chelsea? É, de facto os treinadores são o que mais importa numa equipa, está bem de ver…

  14. Ó senhor, são as duas coisas! Numa equipa, até (ou sobretudo) o gajo que aperta os atacadores dos sapatos dos jogadores é importante!

    E o Mourinho “nem” à final conseguiu chegar com o Chelsea? Pois, foi só campeão duas vezes seguidas, num campeonato em que o Porto talvez nunca passasse do meio da tabela… (agora, exagerei um bocadito, eu sei, mas só um bocadito)

  15. Tens razão, Pedro. Mas, pelos vistos, lá para o russo o que conta é a Europa. E quem comprou os jogadores não foi o Mourinho…
    __

    Não gosto de governantes?! Mas há alguém neste país que goste mais do Governo do que eu? É que não há, já perguntei no meu prédio e pesquisei no Google, e não há.

  16. então o o jota-cê-francisco não escreve um poema sobre o Scolari? sobre a sua devoção à sô dona virgem do caravagio?
    Onde é que estão os poetas imbecis quando precisamos deles?

  17. Très bien, Claudette! Estás em forma. Dá-lhes no toutiço, rapariga. Só pecas pela generalização a todos os portugas de certas pechas desta nação de anarco-conservadores.

  18. O Scolari não tem nada de tuga, de facto. Precisamos de mais italo-americanos como ele.

    O Valupi não sabe (não quer saber) que o homem se opôs a que a notícia fosse divulgada antes do fim do Euro. Scolari, aliás, pediu publicamente o mesmo aos seus jogadores em vias de mudarem de clube. Mas o Valupi quer traçar um retrato de perfídia do homem e não se importa com os detalhes.

  19. Está de primeiríssima água, esta converseta. Revelações em cachos, como as uvas. De tudo espremido resulta um saboroso néctar que nos embriaga com essa lógica sem lógica nenhuma: “Eu não gosto de Scolari e pronto”. Pode ser da embriaguês, a embirração, às vezes andam juntas. E depois de grossos sempre é tudo mais fácil, já se compra qualquer raciocínio ao desbarato, já se adoptam teorias como a Jolie Angelina adopta criancinhas para o museu da sua existência. Escapa-me no entanto a razão pela qual ninguém contesta o mais elementar, antes de personalizar a questão em Scolari. A grande questão, nunca posta a sério. Qual é a lógica que alberga, pratica e defende a presença (e utilização em alta competição inter-nações) de elementos nascidos, criados e profissionalmente desenvolvidos noutro país, nas fileiras da selecção nacional portuguesa, os eleitos entre os nascidos, criados e profissionalmente desenvolvidos em Portugal? Qual é a lógica e onde está a verdade de vestirem camisola igual um dos melhores jogadores portugueses e um jogador muito bom a quem se vestiu primeiro a nacionalização, para depois se lhe ajustar a camisola da selecção?
    Deve ser uma lógica parecida a que permite e defende (e agora depende) a contratação de um treinador não nacional. É uma lógica merdosa que faz parte do universo à parte das lógicas merdosas do futebol, e que seguramente explica com todas as letrinhas e por a b, com voz de trovão e pose ofendida, porque é que isto não é bem batota. É só parecido.

  20. Acho q estás a fazer uma tempestade num copo de água…
    Eles (os que andam correr atrás da bola) são crescidotes e não é por ele sair… que vão deixar andar atrás da pelota…
    Ele esteve mal a deixar q a notícia tivesse saído…mas que vai querer ganhar, vai. Eventualmente até mais do que nós… olha bem o prémio “da nossa caixa” que ele receber.
    Esperemos que leve o Madail….esse não faz cá falta… quem sabe até pode vir a lançar o hábito de se consumir alguns produtos típicos por lá.

    TRiste mesmo é o que se passou conosco nestes 3 últimos dias… meia dúzia de “choferes”… na melhor tradição do pós Abril de 74…

  21. val,
    já essa, ao contrário, é uma péssima questão, com cabimento duvidoso num paralelo (muito) forçado. Dar-lhe honras de argumento num debate sério sobre a lusitanidade de Eusébio ou Deco (e consequente primado de um ou do outro numa escolha hipotética) é disputar com Cavaco Silva o título de melhor piadista nacional. E perder, à crina.

  22. Valupi: apenas um senão. Não foi ele que anunciou mas sim o Chelsea no seu «site». Estava combinado outra coisa mas os parvos de Stamford Bridge não aguentaram. Vou amanhã para lá visitar o meu «leão» de Londres mas vou para o outro lado da cidade – Greenwich.

  23. João/Joni, a questão que me interessa não remete para o seu desejo de ganhar. Nem para o desejo de ganhar dos jogadores. Não deve existir ninguém que não deseje, mais do que tudo, ganhar. O que discuto é do foro da ética. Outra conversa.
    __

    Rui, explica lá isso melhor, que não te estou a entender e tenho gosto em te ler. Péssima questão, porquê?
    __

    jcfrancisco, tens de ler a notícia da Bola, cujo link deixei acima.

  24. Eu percebi….que se trata de ética..tb percebo que não és o Murtosa…
    a mim parece-me que essa história do Chelsea não é assim tão relevante.
    Imagina que mudas de emprego (e é o caso presente): irias ser menos profissional?
    SE a resposta à tua questão for Sim ou Não… digo-te que não tens razão…
    Se houver algo pelo meio…tens um pouco de razão.
    Mas uma coisa concordo contigo. O “cara” é um xico esperto…acho q ele antes foi camionista

  25. Mas qual a necessidade de anunciar nesta altura?… Nem que fosse para não perturbar os adeptos portugueses, e deixar que toda a gente curtisse o entusiasmo das vitórias, a notícia podia vir depois do Euro. Assim, só pode ser para ele se vingar de alguma coisa, mostrando que apenas a sua carreira importa.

  26. Val, há notícias contraditórias. Eu ouvi na SIC o que disse aqui. Se calhar, a tua notícia tem algum fundamento. Mas se o Scolari pediu aos jogadores para só anunciarem transferências depois do Euro, como poderia ele próprio fazer o contrário na cara deles e do público?

    Claude, eu também não me chamo Nik. É o diminutivo que te enquiquina? Considero uma ofensa grave comparares-me à zazie.

  27. Não é a minha, Nik, é a do assessor do homem. E outra coisa, seria concebível a contratação de Scolari não salvaguardar a sua vontade quanto ao anúncio da mesma, para mais estando a decorrer um Europeu?! Isso não parece possível, e não há nenhum sinal de que Scolari tenha ficado surpreendido com a notícia, muito pelo contrário.

  28. Claudette é obsoleto como tudo o que termina por -ette a nível de substantivos próprios.
    Também não me chamo Claude.

    P.S.- Olha que a zazie é um bom partido. Não a subestimes. Só tens que ter um pouco de paciência. Desculpa, muita.

  29. Valupi, somos Penta graças ao bondoso Felipão!!! claro que ficamos chateados depois de sua saída para Portugal, foi ovacionado literalmente.

  30. Karin, não duvido. E o Filipão é bondoso e engraçado e tudo de bom. Mas também erra, como todos nós, só que ele não parece querer admitir isso.

  31. conclusão: Scolari, vamos a campeão, e saímos todos por cima, tu também. Sair & por cima é do mais inteligente que há e terá sido bem jogado.

  32. OK, Claudia, se te dá prazer. Quanto aos teus conselhos sobre a zazie, tu te fous de ma gueule. I am taken and proud of it.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.