Que se passa, Jerónimo?

Jerónimo engoliu a patranha do Zé Manel e declarou a governamentalização dos serviços de informação. Quer-se dizer, foi ainda mais longe na calúnia do que tinham ido os próprios caluniadores.

Ó Jerónimo, isto ainda não é a União Soviética, Cuba ou a Coreia do Norte. Tem calma.

13 thoughts on “Que se passa, Jerónimo?”

  1. Mas lá que há muita gente a tentar, há. Então o tipo que coordena o SIS não depende do Sócrates? E o Sócrates não é o chefe do Governo? O que é que me está a falhar?

  2. Está a falhar-te o respeito por tudo e por todos. Pelos vistos, nem sequer entendes o que é um Estado de direito. Mas se entendes, então estás a caluniar uma série de gente. A menos que tenhas provas, claro, situação em que te aconselho uma visita à Procuradoria.

  3. Mais uma vez será necessário deixar assentar a poeira, parece-me demasiado arriscado por a mão no fogo por quem quer se seja.

    Tudo se saberá a seu tempo. Embora na altura já pouco interesse, o PM será outro do Zé Manel e do “tipo que coordena” o SIS já ninguém se lembrará.

    Embora eu neste caso mais facilmente acredite na ideia que alguém mandou o mail para “fora”. Em extremo, para criar mais um caso.

  4. Caro Ibn Erriq, pois o problema do Jerónimo, MFL e muitos outros mais é precisamente este, não deixar sentar a poeira, e de acusar de imediato preferencialmente Sócrates e para isto qualquer pretexto serve.
    Como vai ser agora defendida a posição do PR Cavaco, depois do que afirmou claramente, que alguma coisa se passa, como pode alinhar minimamente numa situação destas, quando o que se impunha era de imediato uma queixa a quem de direito. Cada vez lhe custa mais disfarçar a sua parcialidade. É objectivamente claro que quis tirar dividendos políticos partidários com a sua actuação, vamos deixar assentar o pó e ver se consegue sair airosamente do lamaçal em que se está a afundar.
    O Público continua na sua cruzada normal e habitual contra o Sócrates, por isso evidentemente é que é o parceiro ideal para este tipo de actuações.

  5. JV, como o PR vai defender a posição dele nãos sei nem me importa. Aliás, não defendo, regra geral, os seus pontos de vista, com excepção de uma ou duas situações. Assim, nem sequer me sinto defraudado ;-)

  6. o que Jerónimo disse foi que se tinha de desgovernamentalizar o SIS, não entrando pelo facto concreto, mas sim acho que as declarações não são felizes feitas assim.

  7. Jerónimo de Sousa não passa de um pobre tonto, um velho tolo. É inofensivo, categoria “mansos”. Tem ainda um rebanho de otários sempre atrás de si, mas que é constituído, em termos etários, por uma pirâmide invertida.

    De quatro em quatro anos a velha chama vai ficando cada vez mais e mais fraquinha. Até que um dia se extinguirá e ninguém dará por nada: perceber-se-á somente que o P. C. P. se enterrou na mesma tumba que Álvaro Cunhal…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.