Perguntas simples

Se o Memorando estava mal desenhado, era marado, tinha beribéri, quer isso dizer que o laranjal vai ser desclassificado das triunfais 6 anteriores avaliações da Troika, as tais em que no final apareceu sempre a vangloriar-se da sua inumana capacidade para empobrecer portugueses e destruir irracionalmente uma economia?

49 thoughts on “Perguntas simples”

  1. A simples pergunta que é cada vez mais pertinente fazer é esta: é do interesse de Portugal continuar no Euro?

    E é muito importante que os nossos parceiros no Euro saibam que começamos a responder a esta pergunta.

  2. texto corrigido com as minhas desculpas:
    Cá estamos perante mais um episódio do PPD a fazer oposição a ele mesmo, para fingir nada ter a ver com as alarvidades que têm cometido. Isto está-lhe nos genes já do tempo do Sá Carneiro e do Bloco Central. Aliás, o que seria de esperar de um partido que tem como arguidos em vários processos crime, a maioria por burla, mais de uma dezena de quadros dirigentes, ex-ministros, deputados, conselheiros de estado, etc. Hoje mais uma notícia, o julgamento dos CTT onde está envolvido um ex-secretário geral do PSD, um dos Horta e Costa. Claro que a técnica é sempre a mesma, atirar lama aos outros para através da opinião publicada pelos amigos, passar para a opinião pública que os ladrões são os outros. Hoje para esconder a notícia dos CTT o spin do Relvas lá colocou o Sócrates e uma suposta ida para comentador da RTP. Já não há jornalistas, há uns funcionários que papagueiam aquilo que lhes mandam.

  3. @ Valupi: “…..capacidade para empobrecer portugueses e destruir irracionalmente uma economia?”

    A mim parece-me que os únicos capazes de destruir uma economia, e já o provaram cabalmente, são os próprios portugueses…

    Os que não têm grande interesse em que os portugueses empobreçam, são precisamente os estrangeiros, sobretudo os que vendem coisas. Sabendo de antemão que os portugueses dão a peida e dois tostões para se rodearem de bugigangas – adoram…

  4. com peidos a dois tostões os estrangeiros não ficam ricos. não te esqueças do mercedes quando regressares.

  5. Sousa Mendes

    Então, também, já andas a corrigir o texto e a pedir desculpa como o Zandinga das Finanças!
    Continuo à espera!

  6. Olha o Francisquinho, estás à espera para fugir é?
    Mas olha, se quiseres encontrar-te comigo tens que prometer não fazer xixi pelas pernas a baixo! O cheiro a cueiros com xixi é chato!

  7. Sousa Mendes

    Estou a ver que tu é só conversa mole. Deves ter feito a guerra num qualquer bar de Africa. Se tivesses sido um verdadeiro guerrilheiro, a estas horas não estavas com esta conversa. Cresci no meio de verdadeiros heróis da guerra. Soldados do meu pai condecorados com cruzes de guerra de 1ª classe e mérito militar. Não tinham a merda de conversa que tu tens. Ou te queres encontrar e trocamos impressões, ou deixa de me tratar por Francisquinho.
    Já agora, em que teatro de operações tu tiveste e em que unidade serviste?

  8. “Soldados do meu pai condecorados com cruzes de guerra de 1ª classe e mérito militar. Não tinham a merda de conversa que tu tens.”

    vi logo que o teu pai era proprietário da guerra e tinha empregados condecorados com cruzes nas campas, enquanto que o heróico latifundiário do paraquedismo se atolava em promoções à pála da carne para canhão. filho de xico lateiro, dá xico esperto 9sforanada.

    “Já agora, em que teatro de operações tu tiveste e em que unidade serviste?”

    naquela altura era trolha a sério para os obrigados à força, agora é que é teatro e do ramo comédia paga pelo contribuinte. cambada de inúteis só procriaram chulos em nome da moral bacoca, da demografia nacional e do cds.

    oh vacão! comigo é os duelos que quiseres, só tens que escolher o talher, eu trato dos morfes e da pinga, por via do mau gosto e mesmo assim não sei se consegues distinguir um garfo de trinchar de uma forquilha. não faz mal, depois vê-se.

  9. Os sintomas da decadência deste pobre país em crise:

    os argumentos deslizam rapidamente para insultos, as discussões acabam em imaginários duelos de anónimos protegidos por nicks e todos sonham com um Dom Sebastião, que desta vez vem de Paris aos trambolhões para oferecer de novo t-shirts aos rapazes e aventais às raparigas, ou vice-versa.

    Ó inclemência! ó martírio! Mas que mal fiz eu ao mundo para os meus pais terem nascido nesta república das bananas!

    Porque não esperar pelo Salazar? só porque está morto? Entre tanta falta de lógica é mais uma, tanto dá, e pelo menos não consta que o António das Botas tivesse roubado…

    Se ao menos isto tudo se passasse numa Terra de mulheres bonitas! Mas as portuguesas, mesmo as bonitas, têm mau feitio e são mal-encaradas…

  10. carmo da rosa, não percebi a tua citação do que escrevi, mas concordo contigo: são alguns portugueses os responsáveis pela actual destruição da economia portuguesa.

  11. Valupi, mas afinal quem é que se “vangloria da inumana capacidade para empobrecer portugueses e destruir irracionalmente uma economia?”

    O laranjal, a Troika, o actual governo, o Sócrates, o Memorando…

  12. carmo da rosa, há sempre a possibilidade de estares a teclar de Plutão, e devido à distância andares um bocado baralhado das ideias em relação à História recente do rectângulo. Mas, e aqui entre nós que ninguém nos lê, sempre te informo que Sócrates nunca se vangloriou da sua capacidade para empobrecer portugueses.

    Que esta revelação não te iniba ou desmoralize, espero.

  13. já estás tão habituado a mulheres ora feias ora carrancudas, carmo da rosa, como a governos incapazes e castradotes. conclusão: estás tão cego como um espremedor de limões.

  14. carmo da rosa,

    analisemos aquilo que chamas de sinais de decadência:

    “anónimos protegidos por nicks “…quer dizer que esse nome de merda não é nick? É mesmo a sério? mostra lá o BI, é que se fôr a sério é muita mau, pá: Os teus pais não gostaram de ti, não foi? (Pois, isso explicaria muita coisa).

    “os argumentos deslizam rapidamente para insultos”
    Insultas o país – “das bananas”-, insultas quem tem opções políticas contrárias às tuas (lá vem o outro de Paris pôr aventais nas raparigas ou nos rapazes- o homem até é gay, não é? tema central de campanha eleitoral do laranjal na primeira tentativa; e se não for gay é maçónico e se não fôr maçónico, é corrupto, ou outra coisa qualquer que desvie as atenções da pobreza e mediocridade que é o laranjal e amigos). Insultas, enfim, com ódio extremo, as mulheres. A tua mae não te tratou bem ou vens com “defeito de fabrico” recalcado , como se diz lá no teu clube?

    Quanto ao último sinal de decadência que apontas, o sebastianismo: não percebo a excepção que abres: o sebastianismo só não é decadente se for em relação ao Salazar. Também fazes sessões de espiritismo?

    Ó “homem”, preenches o pleno da tua lista de decadência. E sem ajuda, hein?

    Vai lá para o subúrbio holandês e já que te sentes tão mal aqui, foge da inclemência, foge do martírio, foge daqi para fora e não poluas com o teu vomitado. E vai insultar a pata que te pôs

  15. Ignatz

    Não fales do que não sabes. É um conselho que te dou. Depois vens sempre com conversa de ressabiado.
    Preocupa-te é com a moção de censura do Seguro. Quer ver resolvida a situação politica rapidamente, antes que o Sócrates lhe tire o lugar. Eu disse-te que o gajo tinha ficado cagado. Agora vai a reboque dos acontecimentos…

  16. Valupi,

    É bem possível que devido à distância baralhe os nomes da história recente do rectângulo – os heróis são tantos!

    Por outro lado, como não estou atolado até ao pescoço neste lamaçal de mesquinhice partidária, a distância dá-me uma visão mais ampla da coisa. (O Manuel de Falla costumava dizer que nunca tinha visto os jardins de Espanha tão belos como a partir do exílio, de Paris).

    “….o Sócrates nunca se vangloriou da sua capacidade para empobrecer portugueses.”

    Também era o que faltava! Só se tivesse enlouquecido! O Berlusconi também nunca contabilizou e publicou na imprensa por ele dominada os milhões que subtraiu ao fisco…

    Também espero que esta comparação entre José Sócrates e Silvio Berlusconi não te desmoralize muito. Mas se for o caso, senta-te em posição Lótus, junta o polegar e o indicador de cada mão, concentra-te e imagina que nasceste em Kathmandu, longe desta baralhada de chico-espertos a brincar aos políticos…

  17. Olinda,

    Sinceramente não vejo qualquer tipo de relação entre mulheres feias e governos incapazes! Mas também a figura de estilo – um espremedor de limões cego – é, como dizem os franceses, tiré par les cheveux!!!

    Olinda, não teria sido melhor contar até dez antes de comentar? Até arranjares algo de mais substancial, ou mais engraçado, sei lá!!!

    Que diabo, só disse que as mulheres portuguesas têm mau feitio, não disse que eram totalmente parvas…

  18. Edie,

    Comecemos por analisar o meu nome, que é realmente o nome que os meus pais me deram (pergunta ao Valupi se não acreditas). Não tenho culpa nenhuma, não explica coisa nenhuma, podia muito bem ter sido Ferreira da Silva. O que não poderia ter sido é EDIE, porque isso é, sem ofensa, nome para animal de estimação.

    Insulto o país?

    É verdade, aliás como milhões de portugueses fizeram, fazem e continuarão a fazer! A isto chama-se espírito crítico, uma actividade natural e salutar em países democráticos. Mas é verdade que no terceiro-mundo isto é passível de prisão e tortura. Em Portugal, pelos vistos ainda existem uns resquícios desta mentalidade e, de vez em quando, lá esbarrámos contra um Edie patrioteiro e saloio a jurar a bandeira dos traumas da mocidade portuguesa…

    Insulto opções partidárias contrárias às minhas?

    De maneira nenhuma, insulto (quase) todas as opções: é o Sócrates, o Cavaco, o Relvas, o Louça, o João Jardim, o Berlusconi, o Rajoy, o Putin, o Papa, a Ópus Dei, a União Europeia, a Fox News, a BBC, BB King, Doris Day, Matt Busby, dig it, dig it, dig it…

    Insulto as mulheres?

    Edie Edie, um tremendo exagero de aprendiz de demagogo, mas enfim! Apenas disse que a crise seria mais suportável se as mulheres bonitas deste país fossem mais bem encaradas!

    Aliás, o meu ‘insulto’ às mulheres foi inspirado num poema do pintor/poeta Almada Negreiros – amigo e contemporâneo de Fernando Pessoa, outro grande insultador nacional – que, no mesmo contexto, mas de maneira bem mais ‘insultuosa’ e mais engraçada, disse o seguinte:

    Se ao menos isto tudo se passasse
    numa Terra de mulheres bonitas!
    Mas as mulheres portuguesas
    são a minha impotência!

    Mas, como de costume, os patriotas de pacotilha, de cultura nacional só conhecem as cores da bandeira e a primeira estrofe do hino nacional que reservam para os dias de futebol.

  19. Carmo Rosa

    Amigo, como eu te compreendo. Por estas e por outras, as mães dos meus filhos são estrangeiras. É importante, também, renovar o ADN do pessoal. Como somos poucos, acabamos todos por ter um ADN muito idêntico. Por alguma razão 50% dos portugueses sofrem de hipertensão. Inspirei-me sempre no facto da Ínclita geração ter como mãe uma estrangeira.
    E o Almada Negreiros não conheceu a Edie, imagina o que escreveria sobre as mulheres portuguesas.

  20. ó carmo da rosa não deves estar a pensar que tens letra para mim, pois não? é que és tão, mas tão, cego que nem te apercebes que o espremedor de limões só aproveita um terço do limão – o resto vai para o lixo. quanto à relação entre mulheres feias e governos incapazes, a única, és tu. no que concerne a chamares-me parva, fazes bem – será a singular forma, os complexos de superioridade são mesmo assim, de conseguires lidar com as mulheres bonitas e inteligentes. e o que importa, já se sabe, é que te sintas – complexos saciados – bem.

  21. “De maneira nenhuma, insulto (quase) todas as opções: é o Sócrates, o Cavaco,… BB King, Doris Day, Matt Busby, dig it, dig it, dig it…”

    isso qualquer esquerdalho faz para se defender e atacar a custo zero, interessante era saber no que acreditas e defendes, tirando a promoção ao teu blogue que não vale um corno e tem o sitemeter enferrujado por falta de uso. quanto a gajas estrangeiras e conceito de beleza só revelas a tua impotência para o produto nacional e atrofiamento cerebral que te afecta a visão. adeus e vai-te foder.

  22. Vá lá, para ficares um pouco menos estúpido, se é que isso é possível…
    Eddy lê-se édi e é nome de homem. Também de um cavalo célebre da tv – não sei se é a esse que te referes. Vem de Edward.
    Edie lê-se idi e é nome de mulher. Vem de Edith.

    Não referiste o teu saudosismo do grande Salazar, è que fizeste um espectacular exercício de projecção quando foste buscar a saloíce e os traumas da mocidade portuguesa.

    Mulheres mal encaradas? Tenho pena que seja essa a tua experiência pessoal, mas tudo leva a crer que com um espécimen como tu pela frente, a mulher não fique proriamente na melhor das suas disposições…

    E não te compares com os beatles, que até te fica mal…Um parvóide a comparar-se com o Génio. Vai fazer tamancas, pá.

  23. Val: ”carmo da rosa, larga o vinho.”

    Pois é Val, atrás das saias de um nick Val(e) tudo, até mesmo repetir rotineiramente a mesma frase, tudo menos argumentar minimamente! Não há dúvida, os nossos heróis do mar deixaram os tomates em Ksar el K’bir…

  24. Francisco Rodrigues,

    A mãe dos meus filhos também é estrangeira.

    Sabes, a escolha não foi por causa do AND, mas as estrangeiras, ao contrário das mamãs tugas, não mimam os filhos até à medula nem os levam constantemente de carro à escola. Resumindo, sem automaticamente darem à luz ínclitas gerações, pelo menos não produzem esta geração de maricas a que estamos agora confrontados em Portugal.

    ”Por alguma razão 50% dos portugueses sofrem de hipertensão.”

    Precisamente. Por alguma razão Portugal tem duas vezes mais farmácias do que por exemplo a Holanda (note-se que Portugal tem 10 milhões de habitantes e a Holanda 17). Sempre achei este facto muito estranho, e um dia contei-as…

    Se o Almada Negreiros encontrasse a Edie certamente que exclamaria:

    Hei-de gastar a garganta
    a insultar-te, ó besta!
    Hei-de morder-te a ponta do rabo
    e pôr-te as mãos no chão, no seu lugar!

    P.S. Atenção, não confundam, quem diz estas coisas é o Almada, não sou eu…

  25. @ olinda: ” ó carmo da rosa não deves estar a pensar que tens letra para mim, pois não?”

    Por acaso pensei, mas reconheço agora humildemente que realmente não tenho letra para ti…

    Vejo-te assim regateira, com as mãos nas ilhargas e começo a pensar noutras coisas e não me sai nada de jeito…

  26. ó rodrigues,

    “Por estas e por outras, as mães dos meus filhos são estrangeiras. É importante, também, renovar o ADN do pessoal”. E também lhes viste os dentes, antes de escolher a parideira?

  27. Camo Rosa

    Não é de maricas, mas de mansos!

    Se Almada Negreiros encontrasse a Edie, fingia-se de cego para nem ter de a cumprimentar, do que mais comentá-la. ehehhehe

  28. “Sabes, a escolha não foi por causa do AND, mas as estrangeiras, ao contrário das mamãs tugas, não mimam os filhos até à medula nem os levam constantemente de carro à escola.”

    tou vendo, um faz cruzamentos para apuramento da raça, enquanto que o outro escolhe a gaja em função da pegada ecológica. tadinhas das crianças geradas por esta cambada de nabos com espírito atrofiado por preconceitos lácoste.

  29. apuramento da raça

    Não vás por aí, porque não foi a ideia. Pelo contrário, foi mais numa de diversificação, da riqueza de outros ADNs.

  30. Não senhora ignatz,

    o outro TAMBÉM faz cruzamentos para apuramento da raça, não há nada de ecológico na intenção, apenas o fortalecimento da raça.

    Não há também nada racista nisto, trata-se apenas de evitar a reprodução de descendentes anafados, enjoados, pedantes, dependentes e mimados pelos pais e tias de Cascais. (Creio que estou a dar uma ideia bastante precisa da juventude actual do nosso país, ou estarei outra vez a insultar?!)

    Malta que não pode com uma gata pelo rabo e se os pais não lhes oferecem aos dezoito anos um automóvel, três telemóveis e bilhetes para o Rock in Rio, metem-se no Prozac – ou alistam-se num movimento de extrema-esquerda, o que vai dar ao mesmo…

    Enfim, rapaziada que usa este fantástico instrumento que é a internet (gentilmente e gratuitamente cedido pelos ianques) para insultar cobardemente pais de família respeitáveis debaixo das saias de um nick.

    Pai, perdoa-lhes, eles não sabem o que escrevem….

  31. “Não há também nada racista nisto, trata-se apenas de evitar a reprodução de descendentes anafados, enjoados, pedantes, dependentes e mimados pelos pais e tias de Cascais.”

    do ponto de vista do gaspar, claro que não, andaram só a viver acima das possibilidades e ficaram com os defeitos físicos do gajo da portucel, um queirós-qualquer-merda, nada que uma boa austeridade não ponha no lugar. foi isso que levou as pessoas mais esclarecidas e com moralmente superiores a emigrarem para a holanda para não se deixar hamburguesar e mandar os filhos para a escola a pé, alguns até lhes compram barbatanas para atravessarem o canal. fortalecimento da raça!?! não faço ideia do que se trate, mas suponho que seja qualquer coisa boa para a saúde, previna constipações e mortes macacas, que se obtenha por miscigenação com aborígenes. há quem diga que a rafeiragem é mais saudável que os lop(es) e em certa medida até pode ser considerada democratização racial. o resto é do domínio do absurdo, nets, cobardes, nicks e ianques com as triviais alarvidades à mistura. um gand’avépratitamém.

  32. olha que boas são as minhas ilhargas, carmo da rosa, que só de as imaginares já te fazem calar. houvessem muitas assim e apodrecia-te a língua. que maravilha.

  33. Val,

    Eh pá, tu sabes muito bem o que significa “nick”, mas hoje deu-te para embirrar comigo – pronto, nada a fazer! Obviamente que não vou responder da mesma forma, aconselhando-te a deixar de beber.

    Com todo o respeito, isto é uma asneira. Deixar de beber é um crime de lesa pátria. Hoje mais do que nunca. Eu vivo a 2500 km da pátria e bebo exclusivamente, patrioticamente e diariamente vinho tinto nacional. Normalmente Paulo Loreano Clássico, um grande alentejano: tanto o vinho como a pessoa. Mas bebi ontem, pela primeira vez, um Quinta Vale de Veados (vinho regional do Tejo) de 2011 e puta que pariu, aconselho a toda a gente, uma grande pomada pela módica quantia de euros 9,95.

    Mas voltando à tua embirração. É assim tão grave, tão ofensivo, não querer ver no Sócrates o Salvador da pátria? Será possível que mesmo portugueses inteligentes e que pensam de forma lógica, não estejam ainda em estado de suportar um mínimo de dissidência depois de 40 anos de democracia?

    Como não sucumbi aos charmes do Sócrates sou imediatamente catalogado de filho da puta e de facho misógino por ‘trolls’ com pseudónimos fantasistas! Parece que tenho 14 anos e que me encontro no campo de futebol do Vilanovense à pedrada contra os gajos do Oliveira do Douro! Que saudades meu Deus, é por isso que gosto desta gente, tudo muda, mas muito devagarinho…

  34. “Parece que tenho 14 anos e que me encontro no campo de futebol do Vilanovense à pedrada contra os gajos do Oliveira do Douro!”

    mais um pedrado da região demarcada de gaia que bebe zurrapa com nome apaneleirado ao preciosismo de 9,95/botelha. oh pá! snifa pó de extintor, é mais barato e não tem metasulfitos que te fodem os neurónios

  35. Carmo Rosa

    E ainda não viste nada! Tens aqui um batalhão de assalto de janízaros do sultão Sócrates. Não podes dar parte fraca.
    Bebe aí um cálice de vinho à saúde das mulheres bonitas deste mundo.
    Mantem-te por cá e não ligues muito a estes tansos.

  36. Francisco Rodrigues: ”E ainda não viste nada!”

    Ó pá, não há crise. Enquanto não me baterem está tudo certo, e pelo que vejo e oiço isto é tudo malta do atira e foge….

    Val: ” carmo da rosa, está a doer? É pores mais pomada.”

    Pomada!

    Aqui temos outro tema que merece um pouco mais de atenção: trata-se da utilização abusiva do Serviço Nacional de Saúde.

    Que eu saiba, levar na peida não é um direito adquirido (socialista) nem uma necessidade premente, é um vício como qualquer outro. Ora, quem não tem dinheiro, não tem ….. por que praticar actividades que provocam fissuras no ânus, fazendo perder tempo aos serviços de urgência (que não foram concebidos para tal fim) e dinheiro para pomadas caras, que são importadas e subsidiadas pelo SNS…

    Por isso, rapaziada, levem na peida – não tenho nada em contra – mas com a devida e patriótica moderação que os tempos exigem.

    Mas se estão verdadeiramente preocupados com a economia do país, deveriam optar por actividades que favorecem a economia nacional: beber vinho, usar menos o carro e mais os transportes públicos e comprar produtos directamente ao produtor (nacional). Ao comprar no Corte Inglês a guita vai para Espanha, ao comprar no Pingo Doce o carcanhol vai para a Holanda…

    se isto é vinho, vou ali e já venho

    Ouve aqui uns trambolhos que imediatamente se riram da minha modesta contribuição para a economia nacional: vinho a 9,95 euros por garrafa usam eles para cozinhar, ou lavar os dentes!!!

    Eh pá, tenho imensa pena de ser pobre e como tal só bebo o que posso pagar. Não pertenço à família do Sócrates, nem nunca fiz parte das PPPês ou fui construtor de auto-estradas fantasmas…

  37. lês em diagonal e raciocinas em zig-zag. os pobres não bebem vinhos com nomes apaneleirados a € 9,65/75cl ou prazenteiros clássicos laureanos, isso são pedantismos neoemigrâncios nível três marias. as referências ao socras, ppp(s) e estradas fantasma só podem ser entendidas como alucinações depois de emborcares essas mistelas que referiste.

  38. Carmo da rosa

    Só faltavas cá tu para tirar o blogue do marasmo. Essa da pomada está bem “enfiada” no Val.

  39. Francisco Rodrigues,

    vade retro satanás, eu não quero “enfiar” nada no Val, quero apenas que ele, que escreve tão bem, use a escrita a bem da NAÇÃO (esta palavra deve ser pronunciada com sotaque beirão e com o trémulo que só o Doutor Oliveira Salazar lhe conseguia dar) e não em declarações de amor ao Eng. Sócrates…

  40. Carmo da Rosa

    Eu já tive oportunidade de escrever aqui que eles falam de Sócrates, como Maomé nunca falou de Alá.
    A forma como eles falam de Sócrates é do mais infantil que há. Parece um gajo a falar da mãe quando é pequeno.

  41. @ Francisco Rodrigues: “Eu já tive oportunidade de escrever aqui…”

    Há que reconhecer que já não é nada mau, pelo menos não somos censurados. É que eu conheço muito boa gente que já nos tinham tirado o pio. Tanto de esquerda como de direita.

    “A forma como eles falam de Sócrates é do mais infantil que há”

    A ideia que tenho é que malta está a ver a vida a andar para trás muito rapidamente e, completamente desorientada, agarra-se a qualquer tábua de salvação: Sócrates, Salazar, golpe militar, testemunhas de jeová!

    Tenho amigos em Portugal que em condições normais são pacíficos e respeitáveis pais de família, mas que agora afirmam publicamente que querem matar políticos – Sócrates, Cavaco, Relvas, eu sei lá.

    Eu apenas tento acalmar a malta, porque o Sócrates, apesar de ser um trafulha e um demagogo como tantos outros, não merece levar um tiro nos cornos. Foi eleito democraticamente, nunca mandou prender adversários e sempre respeitou a alternância política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.