13 thoughts on “Perguntas simples”

  1. Não! Só por labregos, palonços e dirigentes de partidos políticos com febre.

    Dica 1 – Partes do território argentino têm sentido temperaturas inferiores às da região antártica.

    Dica 2 – A tecnologia de modificação climática rodeada do secretismo de grandes potências existe há mais de 60 anos, para uso em tempo de guerra ou tempo de paz de paz.

    Dica 3 – Observa o céu com atenção todas as manhãs e ao cair da noite e aprende a distinguir entre nuvens naturais e “nuvens” artificiais, contrails e chemtrails.

    Dica 4 – Cuidado com os helicópteros pretos e com o engolir fácil de boatos que os fogos nas nossas serras são provocados por negociantes de madeiras ou piromaníacos.

    Dica 5 – Não te armes em Principe da Dinamarca. Já o foste da Holanda e os resultados não foram muito bons.

    Nota: É uma pena que um blogue tão popular como o teu, frequentado por labregos e advogados nas proporções que o Estado de Direito e Democracia forne para engorda, só agora tenha reparado que as temperaturas de Lisboa e Faro têm sido, consistentemente durante a maior parte deste Verão, mais altas que as temperaturas de Marrocos e mais baixas que as da Andaluzia. Anda por ai muita merda sem cheiro…

  2. Girofle,

    Ai lobe iu, ai lobe iu, cunta aí, tamém ta bestes da pretu, cum catano, meu, istu é só pareceirus pansadores. Temos que pensare o porcu, temos que pensare o porcu.

    Balupi, pá, disculpa lá mas eu tenhum curaçaoe grande, e este giroflé é du caragu, o gajo lababa.me ao altare.

  3. É um primerio passo pois o tamanho da Rússia (em geografia) é impressionante. Para grandes males grandes remédios…

  4. Touteamancar,

    Tens razão, há que pensar num bom porcurador para investigarmos os cus e os porcus destes mistérios do aquecimento global e suas agendas.

    jcfrancisco, querido correlegionário,

    Mal empregados foram quanto a mim os três centilitros de dióxido de carbono que exalaste para expressares opinião tão rústica e própria de bate papos em barbearias. No entanto, porque os amigos são para as oportunidades, aconselho-te a que no próximo episódio penses duas vezes antes de abandonares as tuas água territoriais.

    Still, give me five, mano.

  5. GiróFlé, tu és daqueles que quando estiverem a 2 segundos de levarem com um asteróide na corneta vão estar a fazer odes à Lua que nunca esteve tão grande e bela.

  6. Se a questão se resolver com tecnologia militar, pudemos ter boas expectativas. Senão, o melhor é esperarmos sentados.

  7. Que os problemas ambientais entram sempre nas agendas politicas pelo lado errado, não tenho dúvidas.

    Que existam alguns a tentar ignorar ou minorar a realidade, perante evidências, é algo que me faz confusão.

    O aquecimento global não será levado a sério nunca, enquanto a natureza apresentar formas de compensação, nem que sejam residuais.

  8. Valupi,

    O que é que te aconteceu, rapaz? Assim de repente, disparas asteróidico (dois graus acima do bólide e vinte acima do balístico) sem mais aquela, sem telefonares nem nada? E o que é que os asteroides têm a ver com o peixe frito dum dia pro outro do aquecimento global? Achas que vai cair algum nas cornetas das pessoas quando as coisas começarem a ferver com falta de ar ou radiação a mais, ou com cheias nunca vistas do ribatejo, ou foste tu que viste algum fita do Bruce Willis ultimamente?

    A menos que estejas a pensar em meteoritos (em cujo caso ficas desculpado, porque errare valupum est), aproveito para te informar que essas rochas, miniplanetas, de facto, são muito pouco prováveis de caírem sobre as minhas ou as tuas venerandas cornetas.

    Odes à lua, acertaste, nunca perco uma noite de luar – especialmente na fase de lua cheia luz que ainda é pura, graças a Deus, porque os patrocinadores da maior aldrabice ecológico-atmosférica do século ainda lá não puzeram as patas, apesar dos boatos e fotomontagens em contrário.

    Recomendações da minha parte à tua namorada.

  9. Valupi,

    Adorável essa do Wiki(pidesco), super-peristáltico e descongestionador do plexo, dependendo do nexo que dás às tuas palavras ligeiramente a puxarem para o infame humorístico sem futuro comercial. De facto, quando vou á Wiki é só para me certificar de certas coisas triviais, como, por exemplo, se a palavra inglesa coconut deriva da nossa coca (papão). E não é que deriva mesmo! Mas tu nunca observaste um coco todo esguedelhado a meter-te medos colónicos, pois não? É por isso que me respondes assim com tanta concisão.

    E deixa-te (de preferência antes de acabar o dia) do uso de termos como “Guerra Fria”, muito à moda ainda nas Faculdades de História alfacinhas. De acordo com os meus cálculos, se essa expressão não for da Idade da Pedra do Isqueiro, será pelo menos dos tempos das multas por porte dele sem licença. I know that you can do much better. Try and we will be friends and rivals again. Your shot.

  10. GiróFlé, com certeza, nunca mais usarei esses termos que desaprovas, tu mandas. Aliás, tu mandas e tu já sabes tudo, seu manganão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.