82 thoughts on “Perguntas simples”

  1. sangue, suor e lágrimas é uma churchillada do carlitos para anunciar uma troika alfacinha.

  2. não , claro , avisado era picarem-nos a todos rapidamente com a água choca , para se infectarem e transmitirem a outros mais devagarinho e sem dar tanto nas vistas e com toda a segurança -:)
    assistir a uma fraudemia , fake epidemia , ao vivo e a cores , é entre o fixe e o desesperante. e os milhões que sacaram as farmacêuticas scrooge ? suponho que chega para os calar por uns tempos.

  3. sim , qual é o problema? tenho de acreditar em tudo que vocês acreditam ? não posso observar em paz , confrontar com o que já sei do passado , e tirar as minhas conclusões?
    toda a vida circulei em sentido contrário à massa e sempre , até hoje ( grata , muito) me dei bem.
    o que le goff diria de vocês , ovelhinhas ?

  4. Estou-me nas tintas para o le goff (quem e agora esse). Sou inculta, lido só com teorias básicas. Quando me chamaram para levar. AstraZeneca telefonei a familiares e amigos, pedi para me encomendaram a alma se se desse o caso. Ainda me falta uma dose da maléfica, ainda me pode suceder qualquer coisa . É o que faz não saber o que o le goff diz. Por amor da Santa Paciência e do São Eucarario.

  5. “tenho de acreditar em tudo que vocês acreditam ?”
    Não, obviamente que não. Mas não deixa de ser curioso notar que o que aparenta ser uma asserção categórica e enunciação de facto, traduz, afinal, a crença pessoal do enunciante,
    A crença concebida como verdade pessoal universal e superiormente válida concretiza o efeito perverso de um certo enviesamento do sentido crítico e de uma forma particular de dogmatização do pensamento. Muito comum nos dias de hoje, em que qualquer um pode julgar-se capacitado a dar lições de virologia ou de física quântica, ainda que orgulhosamente ignorante das regras do método científico e da validade contingente e provisória do seu saber.
    Assiste-se à disseminação quotidiana de conceitos de verdade alternativa ou de pós-verdade, promotoras da erosão da confiança no saber científico, da destruição da coesão social e da degradação da confiança nas instituições políticas.
    As verdades pessoais e dogmáticas (os que não aderem são chamados “ovelhinhas”) derivam dum fechamento cognitivo que se tornou vulgar nas trincheiras do tribalismo mediático. Marcadas pelo relativismo e pelo ceticismo predominantes, tais verdades não deixam de, com algum paradoxo, evidenciarem boa dose de ingenuidade e de credulidade. Aquele que rejeita a verdade dita oficial e adere a uma verdade alternativa, regra geral, acrescenta à sua aversão suspeitosa e arrogância de inteligente, o entusiasmo do neófito deslumbrado, crédulo para com a verdade escolhida. O iluminado versus a ovelha… O que abriu os olhos versus a carneirada cega…
    A manter-se o estado atual de coisas, chegará o momento em que a teoria delirante da Terra plana ou a tese paranóica da família real britânica reptiliana passarão a constar nos manuais escolares, figurando no elenco das verdades à escolha.

  6. caríssimo , neste caso não deriva “…. chamados “ovelhinhas”) derivam dum fechamento cognitivo que se tornou vulgar nas trincheiras do tribalismo mediático. Marcadas pelo relativismo e pelo ceticismo predominantes, tais verdades não deixam de…” , neste caso deriva de se avaliar os humanos todos pela mesma bitola ( não aceito argumentos de autoridade , não reconheço nenhuma) e de gostar de pesquisar analisar e confrontar todo tipo de perspectivas , ou seja , deriva de apatradismo merdiático e abertura cognitiva , ok??

  7. Numa época em que para ser “rebelde” basta ser descabeçado, não faltam por aí “rebeldes” que eram ovelhinhas no tempo em que ser rebelde dava Caxias.

  8. “… não aceito argumentos de autoridade , não reconheço nenhuma) e de gostar de pesquisar analisar e confrontar todo tipo de perspectivas…”

    é assim mesmo, fora da lei não paga multas, rasga intimações judiciais, faz manguitos à polícia, conduz em contra-mão s/ máscara ou vacina porque gosta de pesquisar, analisar e confrontar todo tipo de perspectivas.

  9. ok. não era para ter resposta..constatei um facto.

    lábia tens tu pq a isso chama-se lei , tosco , e são agentes ao serviço da lei , e aliás , reconheço-lhe a utilidade para a vida em comunidade compreendes a lógica ou faço-te um desenho ?

    le gof fazia história das mentalidades , devia ser um exercício muito fácil e desgastante moralmente fazer a das mentalidades formatadas unicamente pela publicidade e propaganda e caca televisiva.

  10. Não costumo ir atrás das teorias da conspiração; mas lá que HÁ ALTOS INTERESSES (financeiros e não só) QUE ESCAPAM À COMPREENSÃO DO COMUM DOS CIDADÃOS, e que utilizam todo o tipo de manhas, manigâncias e circuitos enviesados para fazer prevalecer os seus interesses financeiros, e não só, olá se os há.

  11. e , já agora , tosco , se não houvesse desviantes como eu , ainda hoje não podia andar de calças e votar , e tu não podias namorar homens sem ir preso. como deves saber , o desvio de hoje é a norma de amanhã.

  12. yo não gastes latim. Estão a cair que nem tordos depois de apanhar a vacina. A malta não sabe porquê mas tem a certeza que não é da vacina.
    Fizeram uns espectáculos teste há uns meses ainda não têm conclusões, mas quando foi a festa do Sporting passado uma semana já tinham a certeza que iam aparecer vários focos de infecção.

  13. “O desvio de hoje é a norma de amanhã”.
    Frase lapidar, produzida por quem faz a apologia da regressão, que disfarça de progresso rumo ao amanhã radioso.
    O mínimo exigível a um membro da tribo negacionista da pandemia e do movimento anti-vacina é que, na hora de ele próprio ser vacinado, tenha a coerência de ceder a vacina a quem dela precise. E também que respeite o dever cívico elementar de não infetar os outros. Cumpridos estes serviços mínimos, pode a gente dessa tribo infetar-se entre si, assim adquirindo, ao natural, a imunidade de grupo, mesmo que pagando o preço de algumas vidas dispensáveis.

  14. O negacionismo covid, como outras teorias negacionistas ou conspiracionistas, tem uma raiz psicopatológica, porque é alimentado por tendências paranoicas e fanfarronice narcísica, ambas aliás de muito difícil cura.

    Mas as principais fontes donde brotam os negacionismos e as “pós-verdades” são a ignorância e o irracionalismo. E com gente ignorante e irracional não adianta nem é possível discutir.

  15. Pelos vistos temos aqui carneirada do mais fino quilate. Água benta? Bebam antes água da sanita faz de conta que é sanitária.

  16. A manipulação da informação para controle das populações no intuito de as orientar em sentidos que sejam do interesse de uma minoria não é teoria da conspiração, é simplesmente parte da história da humanidade. Isto é um facto.
    Se nunca houviram falar em Edward Bernays ( apesar da minha insistência), espero contribuir para fundamentar as razões para o cepticismo e salutar interrogação, divulgando citações deste personagem extremamente influente no séc. XX mas, estranhamente (ou talvez não) pouco referido nos mérdia globais.
    Se após lerem uma ou duas destas afirmações não tiverem curiosidade em saber mais sobre este guru da manipulação de massas e das consequências das suas ações concretas, que estão bem documentadas, então não se trata de debater ideias mas sim reprimir quem não estiver alinhado com as narrativas oficiais.
    Essa coisa de chamar à colação “Terras planas” e “reptilianos” apenas demonstra falta de argumentos , ou conhecimento e, portanto, seguidismo acéfalo.

    Segue a primeira que, infelizmente, ainda não encontrei em português. Espero que notem a forma como ele explica benevolamente como é algo de necessário para que se possa viver em sociedade e espero,também, que tenham noção que os interesses por detrás desta manipulação possam não ser tão benévolos como isso :

    “The conscious and intelligent manipulation of the organized habits and opinions of the masses is an important element in democratic society. Those who manipulate this unseen mechanism of society constitute an invisible government which is the true ruling power of our country. …We are governed, our minds are molded, our tastes formed, our ideas suggested, largely by men we have never heard of. This is a logical result of the way in which our democratic society is organized. Vast numbers of human beings must cooperate in this manner if they are to live together as a smoothly functioning society. …In almost every act of our daily lives, whether in the sphere of politics or business, in our social conduct or our ethical thinking, we are dominated by the relatively small number of persons…who understand the mental processes and social patterns of the masses. It is they who pull the wires which control the public mind.”

    Edward Bernays, Propaganda

  17. Não vou pedir desculpa, outra vez, por estar em inglês.
    Se estiverem interessados, traduzam ou procurem na net e dêm graças por os brasileiros serem mais curiosos e activos do que nós porque se dependesse dos tugas não havia mais nada na net senão comentários a falar mal do Sócrates e restante xuxaria.

    Segue mais um:

    ” Universal literacy was supposed to educate the common man to control his environment. Once he could read and write he would have a mind fit to rule. So ran the democratic doctrine. But instead of a mind, universal literacy has given him rubber stamps, rubber stamps inked with advertising slogans, with editorials, with published scientific data, with the trivialities of the tabloids and the platitudes of history, but quite innocent of original thought. Each man’s rubber stamps are the duplicates of millions of others, so that when those millions are exposed to the same stimuli, all receive identical imprints. It may seem an exaggeration to say that the American public gets most of its ideas in this wholesale fashion. The mechanism by which ideas are disseminated on a large scale is propaganda, in the broad sense of an organized effort to spread a particular belief or doctrine.”

    Edward L. Bernays, Propaganda

  18. Este é tão liiiindo que até vou traduzir ( grosseiramente porque não sou nenhum craque e por isso deixo o original):

    ” No serious sociologist any longer believes that the voice of the people expresses any divine or specially wise and lofty idea. The voice of the people expresses the mind of the people, and that mind is made up for it by the group leaders in whom it believes and by those persons who understand the manipulation of public opinion. It is composed of inherited prejudices and symbols and cliches and verbal formulas supplied to them by the leaders.”

    “Nenhum sociólogo sério ainda acredita que a “voz do povo” expressa qualquer sensatez divina ou especial sabedoria. A “voz do povo” expressa o que passa na mente das pessoas e essa mentalidade é criada pelo grupo de líderes em quem elas acreditam em conjunto com especialistas da manipulação de opinião pública. É composta por preconceitos herdados, símbolos, clichés e fórmulas verbais que lhes foram fornecidos pelos líderes (tipo: chamar “teórico da conspiração” a quem questiona aquilo em que tão piamente acreditam)”

    Edward L. Bernays, Propaganda

  19. Ó Vieira quando vier a lei digital estás feito. O querido líder corta-te o pio. Aqui já não vai haver espaço para negacionistas, só para covideiros.

  20. I know, C.S. I know.
    Mas eu insisto. Encontrei o documentário do Adam Curtis legendado em português (hã, quem é amigo?) e que divulgo aqui no pardieiro pela 33ª (ai, ai…) vez deste que comecei a frequentar esta espelunca no tempo em que os animais ainda falavam.
    Vá lá, façam um esforço para absorver qualquer coisinha. É giro, tem bonecos e música de fundo.
    É realizado por um teórico da conspiração e famoso jornalista da BBC (como???) Ah pois é, bébé.
    Claro que ninguém os obriga. Eu sei que é mais fácil repetir clichés que sabemos serem aceites pelos amigos e lá no escritório. Ninguém se quer foder, né?
    Uma tia minha dizia que somos descendentes da família do Padre António Vieira.
    Olha que às tantas…Ando pr’ aqui a pregar a borregos…
    Não sejam brutos comigo que eu estou só a reinar, nem se concentrem na ofensa para disfarçar e mudar de assunto. Ao menos, vejam o vídeo, sff

  21. “E com gente ignorante e irracional não adianta nem é possível discutir.”

    esse é o número onde os ignorantes & irracionais põem as fichas todas para venderem ideais supremacistas, negarem a ciência, fabricarem factos alternativos e espalhar o caos para recuperar o fascismo. é vê-los aqui na caixa todos solidários a despejar links pró-russia, anti-vacinas, verdades absolutas, anti-corrupções e pensamentos pela própria cabeça pescados na net e sem tradução. um deles até se insinua rebelde com passagem pelo recreio de caxias, só falta a bimba dizer que foi assistente social no tarrafal para se proclamarem vanguarda da consciência livre que irá reeducar o portugal futuro. é ridículo? é mas foi assim que o trumpilhas lá chegou e depois de lá estar deu uma trabalheira tirá-lo de lá.

  22. Tinha de vir o troll.
    É engraçado que a argumentação dos covideiros é sempre baseada não nos factos mas na ofensa pessoal. E isto diz tudo.
    Por isso é que vem a lei digital e depois é como na Coreia do Norte, quem disser mal do querido líder está feito. Com o registo de dados que o governo está a acumular com as vacinas até sabem onde é que os putos andam quando lhes quiserem deitar mão.

  23. Enche-nos de alegria constatar que o blog Aspirina B é hoje uma área ecológica ideal para a vida, alimentação e reprodução de diversas espécies exóticas. Com efeito, nela coexistem conspiracionistas de olhinho esbugalhado, paranóicos de rabo pelado, russófilos de nariz vermelho, altermundistas vesgos, antisemitas de pelo curto, negacionistas de pele camuflada e muita outra bicharada híbrida, cujas formas e cores misturadas são produto das mais livres cópulas.
    David Attenborough, regressa ao ativo e vem estudar isto!

  24. quais factos? os que tu inventas para o bernardo do polígrafo propagandear, não vejo outros.

    ofensa pessoal? só se for “Tinha de vir o troll.”, mas é rasca de mais para ofensa, chamemos-lhe resmungo. para ofender precisavas de ter inteligência, coisa a que deves ser alérgico.

    lei digital na coreia do norte? se houvesse internet ainda se percebia, assim só a analógica faz sentido.

    registo de vacinas? yah meu, injectaram-te um chip da pfizer compatível com o 5g, tens que desligar o gps do telélé.

  25. O Padre-Professor Vieira vem pela enésima vez elevar o nível cultural do debate, dando aulas sobre Edward Bernays.
    Cita Benays com a santa reverência dum padre-cura na homilia dominical e a erudição dogmática dum pedagogo enfastiado. Tal como estes, dissimulado na arrogância, Vieira não é apenas o mais ilustre da Academia mas também o decano escolástico da Igreja. Que ensina e prega aos carneiros da aldeia.
    Preste-se ao Padre -Professor Vieira a homenagem devida, tanto mais que agora se sabe que na suas veias corre o sangue ilustre do Padre António Vieira!

  26. Continua a assobiar para o lado e quando tiveres uma ditadura nos cornos depois vem cá queixar-te.
    Os judeus também foram identificados e também lhes meteram um número no braço ( ainda não havia apps). Ah! E também os confinaram num cerco sanitário.
    Quando não puderes contestar o querido líder, que é já para o mês que vem, depois quero ver qual é a trabalheira que vais ter para correr com o trumpilhas do Costa.

  27. Continuas a ser burro todos os dias e teimas em não tirar folgas, bully mariconço. Eu escrevo duas linhas a ironizar com o negacionismo da garina e o negacionista sou eu? E dizer que a rebeldia de outrora dava Caxias é o mesmo que declarar que também lá estive, idiota? És um infiltrado, um provocador, um pide, um bufo de merda. A tua missão é desacreditar a trincheira a que finges pertencer e como recompensa recebes ossos de frango rançosos que te ficam atravessados no cu, mas continuas, infatigável! Foda-se que és mesmo um nojo!

  28. “A manipulação da informação para controle das populações no intuito de as orientar em sentidos que sejam do interesse de uma minoria não é teoria da conspiração, é simplesmente parte da história da humanidade. Isto é um facto”.

    Pergunta: quais as garantias de que a “informação alternativa” não é ela própria também produto de manipulação?. Revelação de segredos, consentida ou até desejada pelo Sistema?

  29. Não é teoria da conspiração alegar que a manipulação da informação pelas instâncias de poder é parte da história da humanidade . É teoria da conspiração integrar o fenómeno dessa manipulação numa explicação do curso da história como sendo resultante da cabala de uma minoria.

  30. Amigo Vieira! E esta agora, hein? Não nos bastava um pide mariconço e analfa, agora também temos um pide “erudito”, pobre órfão do Passos Coelho, de cinco em cinco minutos armado ao pingarelho!

  31. “E dizer que a rebeldia de outrora dava Caxias é o mesmo que declarar que também lá estive, idiota?”

    tu não dizes, tu insinuas, botas links e conversa dos outros, porque tu não existes e não tens nada para dizer, és um papagaio da espécie nuno rogeiro. mesmo que pedisses encarecidamente, só para efeitos de currículo, a pide não queria nada contigo com idiotas inutéis e caxias já tinha rachados de sobra.

    quando escreves duas linhas e linkas de elogios ao putin, quando fazes publicidade velada ao trump e defendes camufladamente banonadas e bolsonarices estás irónicamente a gozar contigo próprio ou é com a malta?

  32. Vieira, sugiro-te dois livros interessantes, caso não conheças:

    “Princípios Elementares da Propaganda de Guerra”, de Anne Morelli, Edições Avante, ISBN 978-972-550-332-4.

    “As Novas Censuras, Nos Bastidores da Manipulação da Informação”, de Paul Moreira, Publicações Europa-América, colecção Biblioteca das Ideias, ISBN 978-972-1-05867-5.
    O autor é português mas vive em França, se não conseguires em português tenta a edição francesa, Éditions Robert Laffont.

  33. O tempo que tu perdes, bully mariconço, com um gajo que não existe e não tem nada para dizer. E se não queres nada comigo, pide ranhoso, por que carga de água não me largas a braguilha? Não te bastava ser estúpido, tinhas de ser também um infantilóide pretensioso com “argumentação” que envergonharia um puto de dois anos. Vai comer onde comem as galinhas, idiota!

  34. Paul Moreira, jornalista francês empenhado na liberdade de informação, mas duramente criticado por colegas, devido à parcialidade do seu documentário “Ukraine : les masques de la révolution” , tendo invocado como fidedigna de informação o blog de Olivier Berruyer (les-crises.fr,), site web extremamente parcial acerca da crise russo-ucraniana e que se integra no movimento conspiracionista.

  35. quando escreves duas linhas e linkas de elogios ao putin, quando fazes publicidade velada ao trump e defendes camufladamente banonadas e bolsonarices estás irónicamente a gozar contigo próprio ou é com a malta?

    responde a isto e deixa-te de considerações infantilóides tipo lista de asneirolas.

  36. “Acalma esses nervos, miúdo. Põe um calmante debaixo da língua.”

    enquanto escreve palermices não faz propaganda à extra-direita, não bate na mulher, não abusa da filha e não derrete calmantes.

  37. Anne Morelli, historiadora belga, participante no documentário conspiracionista ” Ceci n’est pas un complot”, juntamente com Sophie Meulemans, activista anti-vacinação e covido-céptica e Pascal Sacré, médico belga demitido do Centro de Cuidados Intensivos de Charleroi em outubro de 2020, e participante no site conspiracionista canadiano Mondialisation.ca.

  38. Com o multiplicar de mabecos a volta da minha bela braguilha, está provado, estou mesmo no bom caminho!

  39. Ó troll continuas a aparvalhar porquê?
    Vens aqui chatear os outros, não dizes nada além de mostrar que és estúpido que nem uma porta.
    Não te incomoda o teu querido líder querer meter a lei da rolha já para o mês que vem?
    Não te incomoda o teu querido líder estar a governar com medidas ditatoriais?
    Não te incomoda o teu querido líder estar a fazer de ti estúpido?
    Tira a máscara dos olhos e pensa pela tua cabeça, não sigas a manada.

  40. “Com o multiplicar de mabecos a volta da minha bela braguilha, está provado, estou mesmo no bom caminho!”

    ninguém te perguntou nada sobre braguilhas ou para onde vais. responde mazé ao que perguntei, repito:

    quando escreves duas linhas e linkas de elogios ao putin, quando fazes publicidade velada ao trump e defendes camufladamente banonadas e bolsonarices estás irónicamente a gozar contigo próprio ou é com a malta?

  41. Aldrabão de merda! Onde é que está, vigarista goebbelsiano de terceira, a publicidade velada ao trump e a defesa camuflada de banonadas e bolsonarices, nojento? Mas tens razão quanto ao Putin, porco, e, enquanto os anfitriões deixarem, nada do que vomites impedirá que ele continue, através da minha liberdade de informação, a praticar por aqui aquilo que tu, como pide que és, irás odiar até ao cardapso colíaco do peido final: liberdade de expressão.

  42. “irás odiar até ao cardapso colíaco do peido final: liberdade de expressão”
    O nosso camacho conjuga numa mesma frase liberdade de expressão e peido final.
    Faz sentido. O uso dado por camacho à liberdade de expressão é tão mal-cheiroso quanto os peidos que lhe saem da boca.

  43. Nossa Senhora da Wikipédia, santa padroeira de acéfalos, farta-se de milagrar e esta caixinha é prova do seu fecundo milagranço! É claro que a existência de equipas permanentes de dedicados acólitos, cuja única função é retocar os wikipédicos altares, 24 horas por dia, com ofertas de fácil digestão prontas a comer (aliás engolir), enquanto eliminam heresias e rotulam hereges, é teoria da constipação. Perturbou a digestão do cabrão do patrão? Conspiracionista. Mija fora do penico? Conpiracionista. Mijou no mesmo urinol que Sócrates? Conspiracionista. Gosta de tremoços? Conspiracionista. Não gosta de tremoços? Conspiracionista. Gosta de cozido à portuguesa e o André Ventura também? Venturista. Tem uma gravata encarnada? Trumpista e comunista. Tem uma moto? Uberista, glovista ou bolsonarista. Tem nojo do pide ranhoso porcalhatz, do pide ranhoso “erudito” e da restante criadagem que infesta o Aspirina? Conspiracionista.

    E agora uma prece sentida, prenhe (salvo seja!) de amor pela criadagem dedicada que aqui se encarrega, diligentemente, de divulgar milagres wikipédicos, protegendo ingénuos e incautos contra heresias da mafarricagem. Oremos.

  44. “… publicidade velada ao trump e a defesa camuflada de banonadas e bolsonarices, nojento?”

    exacto, és mesmo nojento.

    é só conferires os comentários que escreveste aqui no caixote. acima fazes publicidade a uma negacionista e um propagandista do putin.

  45. O pide idiota, incompetente e aldrabão e o propagandista de Putin:

    https://www.imdb.com/title/tt8836660/

    “Storyline
    Acclaimed journalist Paul Moreira investigates how Russia manipulates public opinion, undermines democratic governments and attempts to alter world events. The public face of foreign policy: the state news channels, Sputnik and Russia Today. But working in the shadows is the hidden part: the hackers and trolls pushing the Russian agenda – The Russians know that public perception of their country has reached a new low. Russophobia is massive. Their message is tainted with illegitimacy. But how does the Russian information war machine work?”

    Grande propagandista de Putin, sim senhor! É claro que não é por de vez em quando o próprio Paul Moreira engolir propaganda e dizer asneiras que o livro atrás citado é extremamente interessante. Admiti-lo chama-se tolerância e honestidade intelectual. Mas o que é que um pide idiota, incompetente e aldrabão sabe sobre isso? Cada vez mais preocupeidado com o osso de frango que tem entalado no cu, é óbvio que não sabe nem quer saber nada.

  46. Com isto tudo, fui bulir e esqueci de postar o link para o vídeo do Adam Curtis, desculpem.

    https://youtu.be/vwk3FsKGkzA

    Para o manipulação a minha resposta:

    Claro que sim, pode ser -e em muitos casos é-manipulada.
    Mas é a isso que chamo livre arbítrio. Pelo menos é uma outra opção que posso ponderar, analizar dentro do que considero ser o meu túnel de realidade e , juntando uma pitada de lógica, acabo com uma versão dos factos menos estapafúrdia do que grande parte das versões oficiais.
    É que, entre terroristas que trabalharam para a CIA quando se tratava de combater os russos no Afganistão que depois, por qualquer obscura razão, fazem um atentado monstruoso contra os antigos aliados; e viroses que se propagam porque alguém comeu sopa de morcego na China, há (que todos os meu profs de matemática me perdoem) q1dois denominadores comuns: o absurdo e os EUA.
    Claro que estou a simplificar, mas é para pôr a discussão ao nível dos que me criticam.
    Não sei se foi o Thierry Meysan que disse algo parecido com isto: Ao analizar um acontecimento marcante ( como um atentado, por ex.) deve-se ter em conta ” cui bono”, quem foi beneficiado pelo resultado da acção.
    Não se pode discutir o que se passa à nossa volta em jeito de “faits divers”, ou “faites dáiveres” como dizia o outro, sem ter em contra os interesses geo estratégicos globais.
    -Porque é que os “maus” cometem sempre actos que acabam a beneficiar os “bons”?
    Pergunta o maluquinho teórico da constipação.
    -Porque os “maus” são muito estúpidos e querem que os “bons” lhes entrem pelos seus países adentro, lhes arrazem as infraestruturas até à idade da pedra e, depois, lhes roubem todos os recursos naturais.
    -Responde a versão oficial propalada nos mérdia.

    Teoria da conspiração:
    Desculpa, mas não percebo o que pretendes dizer.

    E esta merda dos títulos em vez de nick só gera confusão.
    Enquanto era só o troll/ignatz ainda se aguentava. Agora, já começa a ficar um granel estùpido como o caralho.

    E , por fim, Camachô:
    Obrigado pela dica, vou dar uma vista de olhos.
    Retribuo com o Pepe Escobar. Não é nenhum teórico da constipação, mas sim um jornalista com “J” grande.

  47. Dou a mão à palmatória, desta vez fui injusto com a Wikipédia, que afinal (fui confirmar) não foi a fonte do pide “erudito” lá de cima e cujas páginas sobre Paul Moreira e Anne Morelli, tanto em inglês como em francês, parecem razoavelmente informativas e objectivas.

    Este não é, porém, um pide incompetente como o bully mariconço porcalhatz. É um pide inventor, criativo, sofisticado como uma caganeira de lagosta e caviar, como aqueles que mataram Humberto Delgado e depois puseram a correr que tinham sido os seus próprios correligionários, ou os comunistas, ou um T-Rex, ou o Rato Mickey, ou o que fosse.

    Por exemplo, sobre o documentário “Ceci n’est pas un complot”, que o pide “erudito” carimba como “conspiracionista” e com participantes “antivacinação” e covido-cépticos, diz o seu realizador, Bernard Crutzen: “Nous ne nions pas le virus, la contagion, l’hécatombe du printemps. La pandémie est réelle, c’est sa narration qui est surréaliste.”

    Ou seja, o homem faz um documentário em que ouve várias opiniões, algumas delas, pelos vistos, extravagantes ou estúpidas, mas a sua própria opinião expressa é que “la pandémie est réelle” e “nous ne nions pas le virus, la contagion, l’hécatombe du printemps”. Que interessa isso ao pide “erudito”? Já transmitiu a mensagem subliminar de que Anne Morelli participa num documentário negacionista e prontes, missão cumprida.

    O trabalhinho dele é o mesmo do bully mariconço: aldrabar, falsificar, manipular, lançar a confusão, desmobilizar. A diferença é que demonstra alguma competência no métier de provocador, sabe que ninguém (excepto o maluco do Joaquim Camacho) vai conferir as aldrabices que despeja, ri-se que nem um capado com a sua própria maldadezinha e saliva como um dromedário com a perspectiva de uma latinha de Pedigree Pal de recompensa. A óbvia semelhança com o pide incompetente é que tão aldrabão é um como o outro.

    Quanto a Paul Moreira e Anne Morelli, desta vez sugiro, excepcionalmente, apenas como introdução, a bendita Wikipédia, cujas entradas, repito, me parecem bastante razoáveis, tanto em inglês como em francês (há ligeiras diferenças).

  48. Deve ter passado incógnito o link que deixou o hypernormalization das 17:10
    Parece que foi pesquisar sobre o Adam Curtis, mas tenho a certeza que não teve paciência para ver o vídeo nem leu, sequer, um parágrafo que fosse da obra do próprio Bernays ou teria percebido que o vídeo detrator que linkou é apenas uma pobre tentativa de denegrir o autor dos documentários e que se esborracha na objectividade factual dos conteúdos das obras do referido jornalista.
    Face à falta de nick coadjuvada pela deficiência cognitiva que revela quando afirma que reverencio o Bernays, denoto que o watchdog da moçada lá do médio oriente exibe um padrão mental semelhante ao deste infeliz. Talvez seja a mesma pessoa.
    Valupi: este bloque está a dar nas vistas, daí os visitantes que começas atraír e que só aparece para desestabilizar e baralhar a discussão

  49. Vieirô, do Pepe Escobar li alguns artigos e vi entrevistas e debates em que participou. Despertou-me interesse e encomendei dele, há uns dois ou três meses, ‘Empire of Chaos’, que não há maneira de chegar. Também não faz mal, tenho por aí material em barda a que, por mais que esfole a retina, não consigo dar vazão. Só encomendados, neste momento, devo ter entre 10 e 15, provavelmente só arranjarei tempo para eles no jardim das tabuletas.

    Quanto ao Thierry Meyssan, tenho “A Terrível Impostura” e “O Pentagate”, da Frenesi, 2002. Li o primeiro, mas deixei o segundo a meio. O tipo oferece um manancial enorme de informação, afoga-nos num mar de fontes e links, parece tudo muito bem fundamentado, mas, do que me lembro, aparece lá de vez em quando uma teoria da constipação sem pernas para andar, sem pés nem cabeça, pelo que perdi a confiança no que estava a ler e desisti.

  50. Da Anne Morelli, que não posso copy pastar em português porque a tenho em papel, saquei este bocadinho na Wikipédia:

    “Anne Morelli has summarized and systematized the contents of Arthur Ponsonby’s classic on war propaganda in “ten commandments of propaganda”, which constitute 10 of the essential techniques of propaganda.

    1. We do not want war.
    2. The enemy alone is to be blamed for the war.
    3. The enemy is inherently evil, resembling the devil.
    4. We defend a noble cause, not our own interest.
    5. The enemy commits atrocities on purpose; our mishaps are involuntary.
    6. The enemy uses illegal weapons.
    7. We suffer small losses, those of the enemy are enormous.
    8. Artists and intellectuals back our cause.
    9. Our cause is holy, it has a sacred character.
    10. Whoever doubts our propaganda, is a traitor.”

  51. como uma pergunta simples de uma anedota candidata à presidência da câmara de lisboa se transformou num numa sessão lésbica entre dois russos qanon a esfregar negacionismo e normalizar neo-nazis, tudo em nome da liberdade de expressão e verdades absolutas pensadas pelas próprias cabeças de outros que eles idolatram. já faltou mais para isto ficar parecido com aquele armazém de odivelas onde os machadinhos se reuniam para exercícios de virilidade política antes de partirem para missões cívicas de limpeza étnica no bairro alto.

  52. Da leitura dos arrazoados produzidos por vieira e camacho resulta a conclusão de que, neste momento, eles são duas baratas tontas, que se põem a adivinhar a natureza e a proveniência dos comentários adversos. Dentro dos seus túneis de realidade, vieira e camacho dizem ter visto a Luz, facultando-nos citações parcialmente empáticas de Thierry Meyssan, alegações de defesa de Paul Moreira e Anne Morelli, obtidas através de consultas avulsas da Wikipedia, e o testemunho da experiência epifânica de visionamento dos documentários de Adam Curtis, jornalista pago pela BBC, essa instituição do establishment mediático, perdão, merdiático internacional.
    E também agora com o elogio do jornalista brasileiro Pepe Escobar, curiosamente omitindo a sua prestação de serviço nos órgãos de informação estatal russos Sputnik e RT, a sua participação na conferência internacional realizada no Irão, entre 22 e 29 de Setembro de 2014, onde estiveram presentes personagens da blogosfera conspiracionista e negacionista, como Dieudonné M’Bala M’Bala, Maria Poumier, Kevin Barrett, Claudio Moffa, Art Olivier, Wayne Madsen, Gareth Porter, Alison Weir, Ken O’Keefe e Raphaël Berland, bem como a sua promoção da hidroxicloroquina (alô Bolsonaro!) num artigo intitulado “Pourquoi la France cache un remède contre le virus testé et peu coûteux”, publicado em 27 de Março de 2020 no site conspiracionista Mondialisation.ca.
    Que vieira e camacho acreditem ter visto a Luz, estão no seu direito. Que confessem a sua clausura nos túneis de realidade por ele escolhidos, também tudo bem. Mas não queiram eles cobrar-nos o dízimo nem que aceitemos passivamente o seu proselitismo.

  53. Continuem aqui a discutir o sexo dos anjos, não se preocupem com a censura da lei digital, que entra em vigor já no mês que vem, depois venham para aqui fazer choradinhos ao querido líder.

  54. Ó eu mesmo:
    Tens toda a razão mas, a ver pela dificuldade em aceder a um site sem perder tempo a preencher um questionário (ou então aceitas a recolha de todos os dados e mais alguns), a auto censura operada pela google e outros, as leis castradoras da liberdade de expressão, os watchdogs (obcecados com o Dieudonné, por ex.) que minam os blogues e assinalam sites a censurar, mais a prepotência arrogante dos que apenas abominam quem lhes ridiculariza o seguidismo ovino, não achas que já estamos a um peidinho de distância do apagão que falas?
    Tenho noção disso, porquanto vou arrotando as minhas postinhas de pescada enquanto posso.
    Também já percebeste que, se estivesse nas mãos de uma parte dos intervenientes do pardieiro, eu, o Camachô e mais uns quantos, já tinhamos perdido o pio. Além do mais, em vez de se discutir, calmamente (com ironia e vernáculo, porque não? ) e principalmente, com vontade de trocar ideias e lançar temas ou dados importantes no debate, acabamos a disparar bojardas à tôa numa cacofonia que, creio, é a intenção de alguns actores para baralhar o resultado.
    Posto isto, acho que não é preciso esperar que decretem nada de especial.
    P.S.- Já agora, pesquisem sobre o Dieudonné para entenderem que tipo de watchdog estou a referir e porque é que não me larga a braguilha, como diz o Camachô. Mesmo que eu não seja tão radical como o comediante, a moçada là da ponta do mediterrâneo não brinca em serviço. Neste caso, dá jeito saber francês.

  55. Dieudonné descobriu que holocaustos há muitos , e que uns holocaustos são mais importantes que outros…são mais importantes os dos que têm massa para propaganda “afirmativista ” , enquanto chamam de negacionistas aos descendentes de escravos vitimas de negreiros.

  56. Eles andem aí, Vieirô, eles andem aí! Como anda assanhada, a pidalhada! Deixá-los continuar a morder a cauda, ‘afogararceão’ na própria peçonha. Alguma coisa andamos a fazer bem, Vieirô, parabéns a ‘noses’!

  57. Por favor, Camachô:
    O meu nome é Rá, Viei-rRá.
    Parabeiz á noizes, qui sômuis ás árvereis… e o jardjineiro é jésuis.

    Nem mais, móni!
    Mas cuidado ao falar desse assunto, podes ser atropelado. Figurativa ou mesmo literalmente.
    Olha que quem anda a montar museus pelo mundo fora não pega leve.
    Além disso, a Tugalândia já anda debaixo de olho para ser a próxima Palestina.
    Felizmente, tenho alguns escolhidos na família. Espero safar-me.

  58. Almas gémeas, vieira e camacho vivem o deslumbramento egocêntrico das suas bragilhas. Percebe-se: à falta de capacidade de bom uso do cérebro, os dois presumem poder compensá-la com o que a natureza lhes terá posto entre as pernas. E daí as suas obsessões com o fantasma da castração, receosos da amputação da sua fonte de intelecto.
    Diz vieira que dá jeito saber francês. Lamento discordar: o que dá jeito é ser sonso e hipócrita. Mesmo que modestamente menos radical que o palhaço francês, vieira não deixa de ter os requisitos necessários para ser palhaço. E um palhaço português não vale muito menos que um francês. vieira valerá, pelo menos, 2/3 de Dieudonné. Se duvidam, façam as contas.
    Além de afetivo, o vínculo que une camacho a vieira é profundamente intelectual. Prova-o o comovente testemunho público das suas trocas de sugestões literárias, todas elas versando sobre textos de excitante teor disruptivo, felizmente disponibilizados pelas brechas da economia capitalista, distraída no seu controlo merdiático.
    Desenganem-se os que pensam que o relacionamento entre camacho e vieira se opera segundo uma lógica de horizontalidade. Excetuadas as situações privadas, não é o que publicamente acontece, Senão, veja-se: o registo de camacho é efusão de adolescente, deslumbramento de aluno à descoberta. Por sua vez, o registo de vieira é maturidade da experiência, contenção de professor que dissimula ao discípulo a preferência que lhe dedica. Bonito, não acham?
    Aguardemos, pois, as novidades do mestre e do aluno da boa doutrina do altermundismo .
    Isto, na hipótese de, estando eles afunilados nos seus túneis de realidade, consigam sobreviver ao apagão final, de que estão à distância de um mero peidinho. Se tiverem azar, será motivo para falarmos de um desenlace duplamente escatológico.

  59. olhe que esse estilo de copista de convento não é grande coisa um bocadinho mais de sal , non? , parece que estou a ler um relato de futebol feito por um urubu.

  60. Ça va, Viei-Rá? Tu já bistes, meu, o trabalho que damos à criadagem? Azar do caraças, quando os donos perceberem a falta de eficácia do caniche devolvem-no ao canil. O que o canito vai ganir para comover o PAN, tadinho.

  61. Nem mais Camachô.
    O gajo é burro que nem um pneu e tem o discurso básico e obcecado de um psicopata.
    ‘Tá a tentar ganhar o dele. Nada contra, mas está marcado, o watchdog de merda.
    Como alguns da mesma laia que por aqui rastejam, de vez em quando, esmera-se na pseudo erudição do discurso para dizer nada, mas denuncia o objectivo disruptivo e os alvos que tem de atacar. Munido de um descaramento ímpar, o pobre apropria-se de uma expressão que foi concebida por um autor que não conhece -senão tinha percebido que o conceito de “túnel de realidade” contraria as certezas do seu assoberbado paleio face aos interlocutores- chamado Robert Anton Wilson, que refere exactamente que todos vivemos/raciocinamos limitados por túneis de realidade que condicionam a nossa percepção dos acontecimentos, informação ou contexto com que somos confrontados. Não é, propriamente um “handicap” daqueles que se nos opõem, como o triste dá a entender.
    E então os teus amigos, as eternas vítimas?
    Sempre vão dar cabo dos nativos e expandir a terra prometida? Velhos, mulheres, crianças, vai tudo a eito.
    Por ti, tudo na boa, a preocupação maior é o Deusdado francês, certo?

  62. Sorry, falta um parágrafozito na parte final, mas acho que todos percebem quem é o visado.
    Se percebesse alguma coisa disto, escrevia um livro. Só ficava a faltar a parte do filho (acho) porque árvores…é mato (ou melhor: floresta).

  63. achas???
    hoje o que me interessa é isto :

    ” A cerca de oito metros da superfície foram encontrados vestígios de ferramentas de pedra e de grandes quantidades de ossos de animais, como cavalos e gamos, mamíferos da família dos cervídeos, de pele mosqueada e cauda comprida.”

    quando começarem a descobrir o que está soterrado na crosta terrestre a km da superfície é que vai ser giro. tenho esperança que encontrem a quimera minotauro criada com engenharia genética e provas que não é a primeira vez que teremos de subir para as árvores e balançar tipo chimpanzé r -:)

    Só falta confirmar uma cena do imaginário de Verne..

  64. E diz um tal de Luís ” Certificados querem alargar liberdades e não restringi-las”.
    Pois é ó Luís estás a esquecer que essas ” liberdades ” são só para quem está preso.
    Felizmente as eleições são já em Outubro pode ser que depois de levarem com um cartão vermelho abram os olhos e deixem de prejudicar quem quer trabalhar.
    Dizia o querido líder ao princípio ” quem pensa como a direita acaba a governar como a direita”.
    Eu vou reformular a frase do querido líder ” quem se alia à direita acaba a governar como um ditador”.

  65. ” Felizmente as eleições são já em Outubro pode ser que depois de levarem com um cartão vermelho…”

    deve ser com as câmaras e juntas de freguesia que o xunga vai ganhar

  66. Deve ser por isso que o teu xunga fez queixinhas ao Putin.
    Se o teu querido líder tiver uma votação de merda, e não abrir os olhos, deixa lá que depois ficas melhor.

  67. Pede-se ao autor do comentário da 1:14 da madrugada, que baixe a tampa da sanita e descarregue o autoclismo. O pivete é insuportável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.