Perguntas do camandro

Este artigo faz a seguinte pergunta:

Será que a promiscuidade impede a extinção?

A resposta é relativa ao reino animal, sem aplicação para humanos. Contudo, e recentemente, estudos sobre o adultério revelaram uma paisagem genética muito mais poliândrica do que a moral das esposas e a auto-estima dos maridos preferem admitir.

Os genes são uns marotos.

6 thoughts on “Perguntas do camandro”

  1. Curiosamente, lembro-me de ler algures, não há muito tempo, um artigo engraçado sobre essa questão nos serviços de emigração dos EUA, que era bem revelador. Quando um emigrante legal nos EUA quer trazer mulher e filhos, tem de fazer prova de que são realmente seus. Acontece que em muitos países menos desenvolvidos, não existe certificado de nascimento, pelo que ultimamente se recorre a testes de ADN para provar a paternidade. Para surpresa de muitos, esses testes revelaram uma percentagem de filhos ilegítimos muito acima do esperado, creio que andava à volta de 15%, ou seja, aproximadamente um em cada 6 eram resultado de facadas no casamento.

  2. Ainda bem que o estudo não é aplicável à espécie humana. Alguma mente mais perversa ainda poderia concluir que o sagrado matrimónio da Igreja é meio caminho andado para extinção da Humanidade.
    Mas lá que os genes não parecem muito católicos… :)

  3. Num futuro não muito distante…” Querido vamos juntar os trapinhos?” “Hum…mostra-me primeiro o teu passaporte genetico sff”:))

  4. …(cont.) Ela passa-lhe o passaporte para a mão. Ele apos minuciosa inspecção vira-se para ela a rir “Sua marota, não me tinhas dito nada…” …ela diz alegre ” é verdade tenho o gene da mentira compulsiva”…ele replica ” mas é formidavel podes ser o que sempre sonhaste”
    “É verdade” diz ela “Posso vir a ser directora de um jornal ou uma cadeia de televisão…comentadora na pior das hipoteses”…”Vamos juntar os trapinhos e é já!!!”
    THE END

  5. Eu considero a moral um conjunto vazio resultante de necessidades especificas em função de determinados períodos, para impor regras que com o tempo se tornam sociais.

    A moral, em alguns casos, contraria o instinto animal, sobretudo o que se relaciona com a reprodução. A consequência disto é a falsa moral que tem um efeito de diapasão em termos sociais.

    Também sei que a sociedade está estruturada em ordem a certa regras morais, e que portanto, sempre que é testada uma alteração nesta matéria, as instituições sociais cuja existência depende desta moral, reagem violentamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.