10 thoughts on “Perguntas complicadas”

  1. O PSD apostou tudo na degradação económica das famílias
    por falta de consistência,
    digamos política,
    e,
    talvez,
    rezaram,
    ainda mais,
    pelo casamento real e pela canonização de João Paulo II.

    Mas parte de tudo isso já acabou.

    Eles vão reflectir…

    E dar-nos mais do mesmo.

    Não conseguem mais.

  2. ouvi dizer que está à espera do programa de governação do fmi para adequar o seu ao dos chefes a sério nestes 3 próximos anos… parece-me bem sensato.

  3. Quer dizer, agora que o FMI aprovou o PEC que eles chumbaram, a coisa fica mais complicada para eles, não?
    (e percebe-se também porque é que o Passos fez questão de anunciar que, “com o PSD”, não haveria cortes nos vencimentos e nos postos de trabalho da função pública…)

    Mais rasca do que isto é difícil.

  4. edie, eu adorei mesmo foi ver o Carvalho da Silva de óculos escuros dar o peito às balas na luta contra o colonialismo económico nas manifestações do 1º de Maio.

    Possas! Isto a vida dá-nos mesmo muitas alegrias ; )

  5. Agora só lhe resta apresentar um programa mais duro e lixar-se, ou então, copiar para programa as medidas impostas pela troika e acrescentar à frente de cada parágrafo “medida com margem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.