Perder os três no quarto

Está tudo bem nesta iniciativa: os 3 da opinião airada, o convidado de peso (literalmente), o título eficaz, o excelente grafismo do anúncio (sim, também conta, porque tudo conta). Não se vai descobrir a pólvora na próxima terça-feira, mas poderá ser mais um rastilho para a titânica operação de terraplanagem da imbecilidade nacional. Pelo caminho, aproveita-se para conhecer uma nova livraria (caso não se conheça já, pois tem 1 ano), o que não irá fazer mal a ninguém.

Parabéns à Tinta da China e aos protagonistas. E votos de sucesso comercial para todos, pois.

4 thoughts on “Perder os três no quarto”

  1. Aposto que o Abominável das Neves vai pôr as culpas da crise financeira americana nas forças do pecado, no comunismo, no ateísmo, no divórcio, no aborto, no sexo-pré-matrimonial, no casamento de homossexuais, na Al Qaida, na Maçonaria e nos Sócrates – o da Grécia e o de Portugal. Um professor de Economia que tem o descoco de publicar um livro, com a Virgem de Fátima na capa encimada por um cogumelo nuclear, a sustentar que o segredo de Fátima atravessa e explica toda a história mundial do século XX, das duas, uma: ou é tolo, ou é muito tolo. A maior descoberta desse senhor foi a de que “não há almoços grátis”, depois de ter lido a frase em Milton Friedman. Um pateta.

  2. Deve ser um encontro deveras interessante entre o JCN e o RT pode o ultimo dizer-lhe de viva voz que não compreende como ele não tem uma congestão entre a ultima ceia e os almoços grátis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.