Pateta Alegre

Manuel Alegre fica bem em Portugal. Não faz parte da esquerda caviar, antes é lídimo representante da esquerda robalo e perdiz, herdeira latifundiária. Na sua juventude foi um romântico, um aventureiro, e um romântico aventureiro. Deve ter comido gajas até mais não, num frenesim a misturar poesia, boémia coimbrã, cantorias, revolução, clandestinidade internacional e anos 60 e 70 muito libertinos e muito ganzados (se não comeu, tivesse comido). Na política pós-25 de Abril ficou sempre na prateleira, tornando-se numa jarra decorativa tanto no Parlamento como no PS. O dia 22 de Janeiro de 2006 foi o mais feliz da sua vida passada e futura, pois ficou à frente de Soares nas eleições presidenciais, tendo obtido votação superior a 1 milhão de votos e o 2º lugar. Qualquer um destes três resultados já teria correspondido ao acúmen da sua carreira política, mas juntos só encontram análogo no que Salomão terá sentido aquando da festa de inauguração do Templo. Desde esse dia que adormece a rememorar a noite das eleições, os gráficos, os jornalistas, os abraços, os telefonemas, os charutos, a cara do Soares a assumir o desastre e, no final, descendo em catadupa, os algarismos que perfazem o número 1000000. Ei-los galhardamente alinhados, brilhantes e tonitruantes, ocupando a extensão máxima do ecrã mental. Depois, sorridente, adormece. É isto todas as noites, vai para 3 anos.

Na última entrevista, só se aproveita o momento em que diz gostar de falar com Sócrates. O modo como o diz é sincero, menino. E nós ficamos a imaginar a franqueza dos encontros. O resto é uma continuada celebração narcísica, revelando que os seus 72 anos têm algo de pateta. E tudo de Alegre.

38 thoughts on “Pateta Alegre”

  1. val,
    Demolidor, é o termo mais apropriado. “Escrita de ferreiro, prosa de bigorna”, fica assim o ditado, a partir de agora aspirínico.
    Promete-me: vamos ser sempre amiguinhos, sim?

  2. Mas eu não percebo é porque ainda lhe dão tanto tempo de antena. Sempre que ele aparece a criticar Sócrates vai para as primeiras páginas como se fosse algo inédito (MFL devia aprender com ele para deixar de ser a 14ª noticia). Mas onde está a novidade ? Já o ouviram concordar com alguma coisa de Sócrates ? Lembram-se quem Sócrates apoiou nas presidenciais ? Alguém ainda se recorda quem era o adversário de Sócrates quando chegou a secretário-geral ? Alegre arrisca-se a ser o Menezes do Ps, aquele a quem toda a gente dá alguma atenção na esperança que a próxima tolice tenha alguma piada.

  3. Faltou a fotografia do dito, com o infalível queixo espetado, meio poeta romântico, meio Mussolini, meio tolo. São três metades, bem vi, porque a figura é monumental. Já disse aqui: o único respeito que este gajo me merece foi ter emprestado a voz à Voz da Liberdade, rádio portuguesa sediada em Argel. Quando passou pelo governo de Soares, com sec de est da Cultura, a grande Natália deu cabo dele com uma pinta que, agora, até era giro desenterrar esses textos para desmanchar o aldrabão.

  4. A Natália sim, que saudades. Que azar não termos assim uma chonchuda como a Merkel cá é só escalitradas, só peles caídas.

  5. Ibn, vocês parecem estar muito bem informados. Será da ligação à Internet?
    __

    Rui, está prometido. Não quero que te falte (quase) nada.
    __

    Jerónimo, dão-lhe tempo de antena porque… critica Sócrates! No PS, e sem surpresa, há quem deteste Sócrates. Só que não o revelam, ficando todos contentes com as inanidades do poeta. Ora, se isto é assim dentro do próprio partido, é um fartar vilanagem mais à esquerda (a cumplicidade quase casamento com o BE, e até PC) e na direita. Eis o segredo da atenção mediática.
    __

    Nik, traz lá isso, se os tiveres à mão.
    __

    Bjorn, ah, pois é.
    __

    Bem verdade, Z, que saudades e que pena. Já agora, também fazia muita falta uma Vera Lagoa.

  6. Fizeste bem em lembrar a Vera Lagoa, Maria Armanda Falcão; lembro-me de ela contar que tinha passado de negro retinto a platinada numa tarde porque a administração da RTP de repente decidiu que uma loura ficava melhor, era o abrir da televisão

    também me lembro em fotos de uma Supico Pinto bem bonita

    e havia aqui no Estoril uma data de bonitas durante a segunda guerra,

    mas onde é que anda essa gente toda? Ando a ficar cheio de saudades de repente,

  7. portanto para grandes saudades grandes remédios, podem usar 1/0=∞ que já está demonstrada a legitimidade algures. Agora duas coisas: quando acharem que já chega tiram o 0 debaixo e aquilo pára, por outro lado convém levar um kispo de penas de ganso porque tem uma interpretação que leva ao pólo Norte num instante,

    Valupi, estive a pensar: naquele tempo da segunda guerra havia tantas louras bonitas porque não trabalhavam se calhar, eram só mulheres fatais e esposas e mães, e espias, isso das carreiras é que faz escalitradas, será?

  8. (ah, e convém que o denominador caminhe para 0 da direita para a esquerda, ou seja prá esquerda, se se quiser ir parar a ∞ positivo)

  9. Lamento, mas tenho que concordar com isto tudo e não retiro uma palavra a este texto magnifico! Além do mais, isto está de antologia, quase literário. É bonito e vou recomendar a muita gente.
    Valupi, um conselho: escreve mais uns quantos assim, sobre o mesmo tema alegre, e podes editar um pequeno livro de poesia. Já agora edita online em *.pdf, que a Byblos fechou.

  10. Valupi, um esclarecimento. Deveria usar o pronome pessoal Vós, em oposição ao Nós!
    E porquê? porque o Nós por mim usado é singular, logo, deveria referir-se a mim do mesmo modo, logo, Vós!

    Aliás, tão erudita personagem como é Vexa deveria saber isto, pois, demonstra, alguma habilidade para “brincar” com as palavras, consegue fazer textos complementa redondos sem contudo, dizer absolutamente nada de importante.

    Ah! largue o produtos psicotrópicos ;-)

  11. Nik, Niquezinho, diz lá onde dói! Que raio de hábito este da intromissão na conversa dos outros!
    Está a tornar-se hábito? Agora demos numa de advogado de defesa?

    Será que também te sentes ameaçado pelo Alegre?

    Sabes que mais? Vai pró c…

  12. Pois é vê lá como as coisas são. Nós temos muita coisa na cahimónia, nós também, certamente, já tú, pelos vistos estás como a loira que tinha um neurónio orfão!

    Eh pá agora quase parecias a MFL a tentar fazer uma graçola, contudo, fraquiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha.

    Ah, pode ser que da 5 de Outubro venha algum esclarecimento para ti, ora toma lá:

    http://ciberduvidas.pt/pelourinho.php?rid=1562

    O resto da história conto-ta depois!!!!

  13. Z, não há dúvida de que não trabalhar, e ter dinheiro para fazer muitas compras, ajuda muito à elegância das mulheres. Mas agora é tudo lindo; exteriormente falando, claro.
    __

    Osga, ok.
    __

    Raul P., então no momento em que a Byblos fecha é que tu me mandas escrever um livro? Olha o mariola…
    __

    Milu, nem mais: um guloso.
    __

    Ibn, eu já desconfiava que eras um reizinho de qualquer coisa. Deves andar é à nora à procura dos súbditos. Vai na volta, só moras tu no castelo.

  14. as raparigas e os rapazes são o máximo Valupi isso concordo, a puxar até aos vintes e tais, mas aquelas mulheres bonitas de trintas, fatais, e ainda dava para dar uma puxadinha aos quarenta anda tudo muito desaparecido, nem as loiras do flopes impressionavam ninguém, embora eu gosto da Paula Teixeira da Cruz mas porque acho que é boa pessoa e honesta. Mas eu também nunca leio aquelas revistas.

    Ibn meu caro agora andamos todos muito instruídos, vai que não vai lá vamos todos a caminho do cesto da gávea

  15. Uau!! Chegaste lá, não sem custo, claro está. espero que não tenhas necessitado de ajuda química! Já devias ter notado há muito tempo.

    Z, já que está tão instruído acho estranho que me chames Ibn ;-)

    E que procurais vós no cesto? ver Vera cruz?

  16. Ibn, tu é que ainda não chegaste lá, nem dá ideia que vás chegar: “nós” nunca se utiliza no singular. A figura a que te referes é a do plural majestático, e é uma excepção gramatical, uma intromissão do símbolico. Que haja um e só um sujeito a utilizar “nós” para nomear a sua singularidade é questão política, não linguística.

  17. como dizia, deixei o link, pensei que tinhas percebido, pelos visto não!!!

    Mais uma ajuda, sabes o que significa Ibn? Claro que sabes, erudito como és……….

  18. Vulupi, larga esse vinho a martelo e começa a beber qualquer coisa que não te destrua o pouco que resta do cérebro :)

  19. eu chamo-te o que tu te chamas, não é suposto trair máscaras e privacidades, e depois eu sou ran tan plan e costumo andar meio constipado

  20. tem os dois: majestático e de modéstia e no caso do Socras ele faz um bom cozinhado, ele é Virgem, signo da modéstia e do faraó

  21. Discutir ideias ou conceitos,neste blog: NADA.
    Só ataques pessoais, k dizem muito sobre kem os profere do k sobre o visado!. Enfim, o NACIONAL SALOÍSMNO em todo o seu esplendor!

    Santa Comba Dão está viva! Viva os porta-vós da sargeta suburbana!

    Fernanda Durão

  22. O que incomoda o Valupi e seus correlegionários é a, mesmo que remota, hipótese de o “Pateta Alegre” fazer ao PS o mesmo que Hermínio Martinho (e não só) fez nos idos oitentas.

    Por muito que gostassem de correr com o MA do PS, não o fazem porque têm medo das consequências, ou seja, têm cobardia politica. Preferem ir suportando os as suas intervenções, que fazem muito mais mossa que as da verdadeira oposição, a correr o risco de o Alegre levar com ele uma considerável franja da esquerda do partido.

    Depois aparecem uns rapozolas a criticar o “Pateta Alegra”, mas, o “Pateta Alegre” independente da sua idiossincrasia obviamente criticável, tem uma grande vantagem sobre os jagunços do PS (vocês sabem de quem é que eu falo)! Ou seja, tem uma vida quer politica quer privada, como ficou cabalmente demonstrado, para além do partido. É esta situação que lhe dá a liberdade para agir segundo a sua agenda e que sodomiza muitos do partido socialista, ao que parece a alguns sem vaselina ;-)

    ————

    Z – Eu não me chamo por Ibn, mas sim por Ibn Erriq, o que faz toda a diferença ;-)

  23. oh meu pá, já sei que és teimoso e ficas meio desasado se te trato por filhote, como se eu não pudera usar diminutivos, e também gostas de cerejas como eu, e noutros tempos deu-te uma coisa e andaste na tomada de Silves mas tens um fraquinho por óbidos ao que consta.

    e eu estou com fumaceira nos cornos que já estive a bulir em inglês, e vou esticar as patas e ginasticar as unhinhas retrácteis, e logo volto cá

  24. Eu até sei que tens razão , V. Mas , vê lá , paguei do meu bolso ( eu e uma amigas , amigas , topas?) umas lindas camisolas de campanha do Manel ( a cara laroca dele à frente , um verso atrás ), e o aluguer de uma sede. Diz lá quantos tipos se podem gabar de tal coisa? Gaita , afinal ele , velho , é o único homem lindo da política. Ai , que superficialidade ! concordo. Mas nem só de pão vive o homem ( e a mulher). Às vezes umas ilusões sabem que nem ginjas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.