Palavra de honra

“Os portugueses podem ter a certeza que com Pedro Passos Coelho e com o PSD, nós manteremos uma postura fiel em relação aos compromissos que assumirmos antes das eleições, manteremos esses compromissos depois, e preferimos ser criticados agora, antes das eleições, dizendo com clareza aquilo que pensamos e que consideramos importante e não como aconteceu com o PS que prometeu uma coisa antes das eleições, e que fez exatamente o oposto depois das eleições, quer em 2005, quer em 2009”, acusou.

Marco António Costa, futuro presidente do PSD, Março de 2011

“Nós calculámos e estimámos e eu posso garantir-vos: Não será necessário em Portugal cortar mais salários nem despedir gente para poder cumprir um programa de saneamento financeiro”, afirmou Pedro Passos Coelho, no encerramento do fórum de discussão “Mais Sociedade”, no Centro de Congressos de Lisboa.

O PSD quis “vasculhar tudo” para ter contas bem feitas e, “relativamente a tudo aquilo que o Governo não elucidou bem”, procurou “estimar”, preferindo fazê-lo “por excesso do que por defeito”, referiu.

“Não será necessário em Portugal cortar mais salários nem despedir gente para poder cumprir um programa de saneamento financeiro, mas temos de ser efectivos a cortar nas gorduras”, completou Passos Coelho.

Abril de 2011

7 thoughts on “Palavra de honra”

  1. a politica está chegou ao nivel zero com esta gente.pior do que isto,só os comunas a prometerem-nos o ceu e a dar-nos o inferno! a coreia do norte abdica do seu belicismo nuclear por comida! depois da cuba “capitalista” na merda,segue-se a coreia do “rei kim” a passar fome! jeronimo escuta,os portugueses não são estupidos!

  2. Perante a mentira à solta ou, melhor, como instrumento principal de fazer política
    o que, tem para dizer o garante do regular funcionamento institucional do Estado?
    Sendo o tal garante tão onesto que, para o igualar será necessário nascer, pelo me-
    nos, duas vezes! Volta a falar na consenso nacional porque, ele acredita piamente
    nos atestados de bom comportamento, passados pelo p. ministro mais mentiroso
    de todos os tempos!
    Como é que, não querem ver os juros a subir diáriamente, os rattings voltam a bai-
    xar, contrariando as previsões do génio moedas, todos falam num segundo resgate,
    o marco toninho ataca o FMI, o moreirinha diz que isso não se deve fazer quando cá
    está a troika … porque eles podem ouvir!?!
    Agora, são cinco os bancos que estão sob observação que, se saiba, ainda não foi
    feita uma “embaixada” para, junto do p. ministro se arranjar mais um empréstimo!
    O que vale é que o Povo continua sereno apesar de, termos entrado no outono do
    nosso mais completo descontentamento … só falta mesmo a união nacional!!!

  3. no princípio era “…uma certa podridão dos hábitos políticos” e agora é “incorrecção factual”, nada que lhe tire o sono ou motivo para arrumar a secretária e entregar as chaves. temos um mne que sofre de bêpênite aguda, omissões, enganos, baralhações, sempre sem intenção de enganar alguém, com a total confiança do primeiro ministro e benção cavacal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.