Pacheco tradutor de Cavaco

Eu compreendo que o Presidente da República, até pelas coisas graves que tem certamente para dizer face aos ataques que lhe têm sido dirigidos, não queira falar em período eleitoral. O que diria perturbaria e muito o período eleitoral. Mas temo que só depois das eleições é que se vá saber demasiadas coisas sobre esta governação e sobre o Primeiro-ministro. E temo que isso seja um fardo muito difícil de gerir, ganhe quem ganhar as eleições. Seja no caso Freeport, seja na questão da eventual espionagem aos seus opositores, seja no ataque à TVI e ao Público, seja nos múltiplos negócios que estão por esclarecer, da OPA da Sonae à crise do BCP e à interferência da CGD, seja no caso BPN e nos nunca esclarecidos movimentos do dinheiro da Segurança Social, seja na tentativa de compra da PT da Media Capital e etc,. etc. Um etc. demasiado grande.

Pacheco diz que Cavaco não fala para não perturbar o período eleitoral. Entretanto, à sua volta há um País perturbado e perplexo com o silêncio do Presidente da República num caso que ultrapassa em gravidade tudo o que aconteceu desde o 25 de Novembro na política nacional. É que nem a morte de Sá Carneiro causou esta desconfiança em relação à viabilidade do regime. Não é humanamente possível ser-se mais hipócrita do que o Pacheco.

Pacheco diz que Cavaco, ou alguém por ele, irá expor os podres de Sócrates. Entra tudo, da SONAE ao Freeport, do BPN à TVI. Pacheco diz que Sócrates é o maior criminoso de sempre em Portugal, provavelmente na Europa e talvez no Mundo. O que o safa é estarmos em período eleitoral e etc. Um etc. demasiado grande até para o Pacheco, que não tem capacidade para dar conta do recado e atalhar caminho.

Pacheco tem uma noção radicalmente nova do que constitui o período eleitoral. Suspeito que, para ele, esse período tenha começado em 23 de Março de 2007.

7 thoughts on “Pacheco tradutor de Cavaco”

  1. Pois eu acho que ela está desejosa de perder, assumir toda a responsabilidade, demitir-se na hora e dizer lá para os botões dela, porque é que me fui meter nisto, chiça.

    PS: Rangel é todo teu, o partido “partido”, e não me parece que sejas tu que o vai endireitar.

  2. Meus deus, então o Pacheco julga que somos todos tolos? Alguns serão certamente, mas, ainda, subsiste a dúvida: que julgará o Pacheco de nós os portugueses? O homem vem atribuir todas as cagadas criminosas do PSD – ou de gente próxima a esse partido – no BPN, no BCP e outros, ao Sócrates? O homem é um desmesurado sem-vergonha e é um impenitente verme sem escrúpulos. A forma como este Pacheco olha a realidade à sua volta, vem bem expressa naquele programa de vómito que fez na SIC. Vê a realidade com um olhar tendencioso, mascarado de intelectualidade, e com uma profunda desonestidade. Francamente…

  3. o que acho mais curioso, Valupi, é o PP ter a lata de falar da perseguição ao “Publico” e à “TVI”…

    se bem que ele tem lata para tudo, com a idade e a barriguita que tem, ainda anda por aí a fazer o pino…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.