Os Conselheiros de Estado não são todos iguais

Dias Loureiro, a não ter tido qualquer responsabilidade nas ilegalidades já indiciadas e por apurar na SLN e BPN, deverá ser metido num frasco com álcool e enviado para investigação em laboratório. Temos de descobrir como pôde um incompetente deste calibre ter chegado onde chegou apenas se valendo das suas exóticas capacidades cognitivas.

Entretanto, sugiro aos assanhados mentores do Presidente da República que, numa ocasião propícia, lhe expliquem ser este tipo de afirmações merecedor de tau-tau. É que os Conselheiros de Estado não são todos iguais, nem lá perto — 5 deles são escolha do Presidente. Pelo que vai acontecer o seguinte, rapaziada cavaquista: mesmo que Dias Loureiro passe por entre as gotas da chuva sem se molhar, coisa em que ele parece acreditar, vamos ficar à espera que o actual Presidente da República explique aos indígenas a escolha desta triste e sinistra figura para lhe dar conselhos sobre assuntos da máxima importância nacional. E vamos também pensar se o homem merece as seguintes prebendas, só à luz do que já se encarregou de revelar aos portugueses por palavras e actos de sua livre iniciativa:

Artigo 17.º
(Direitos e regalias)

Constituem direitos e regalias dos membros do Conselho de Estado:

1. Livre trânsito, considerado como livre circulação, no exercício das suas funções ou por causa delas, em locais públicos de acesso condicionado;
2. Obtenção de qualquer entidade pública das publicações oficiais que considerem úteis para o exercício das suas funções;
3. Passaporte especial, durante o período do exercício das respectivas funções;
4. Cartão especial de identificação, de modelo anexo à presente lei, durante o período do exercício das respectivas funções;
5. Uso, porte e manifesto gratuito de arma de defesa, independentemente de licença ou participação;
6. Adiamento do serviço militar, mobilização civil e militar ou serviço cívico.

Cavaco, aqui entre nós concidadãos, se achas que os restantes 18 Conselheiros são iguais a Dias Loureiro, o melhor é fecharmos as portas e devolvermos esta merda a Castela.

25 thoughts on “Os Conselheiros de Estado não são todos iguais”

  1. Isto estava tudo por camadas mas aos poucos a decapagem vai mostrando a rede, o sistema. Claro que há aqui mãozinha do cavaquistão mas eles pensam que o tempo parou em 1994… É como aqueles gajos que se penteiam como se ainda fosse 1971. Mais tarde ou mais cedo vai ser cuspido – com conselheiros assim não vamos a lado nenhum.

  2. Caro Valupi achas mesmo o homem incompetente?
    Penso que foi bastante competente, no alcance dos seus objectivos pessoais. Claro que o apoio que sempre recebeu e ainda recebe o ajudou no alcance dos seus objectivos.
    As funções que exerceu anteriormente foram a alavanca que o projectou para aquilo que é hoje, um homem rico. O resto são consequências de quem navega nestas águas, que podem ser tumultuosas mas nunca o suficiente para o naufrágio. A ver vamos.
    JFC, claro que é o sistema na sua pujança, defendido publicamente pelo seu mais alto representante. Mas não te iludas a decapagem, não passará da superfície.

    PS Castela devolveria, naturalmente,esta oferta à procedência.

  3. É claro que se Dias Loureiro fosse de outro partido, teríamos o Público, a TSF, a TVI e a SIC, mais a Judite da RTP, a vasculharem a vida do fulano e a fazerem o julgamento na rua. E os opinion makers do bota abaixo a fazerem o gostinho ao dedo. E os arruaceiros suínos do costume a fazerem a sua peixeirada em S. Bento.

    Eu cá prefiro que o Loureiro fique no CE até se estatelar completamente, comprometendo e arrastando na queda quem o nomeou. Se se provar que o BPN foi a grande golpada financeira dos mandarinetes do Cavaquistão, melhor.

    Com o Sócrates sem maioria absoluta, se for caso disso, vai ser necessário um novo PR. O Dias Loureiro e o BPN ajudam a mandar este embora.

  4. Caro Nik, do sistema só conheces uma parte
    Podem cair O Carmo e a Trindade, mas do sistema só cai quem o puser em causa e naturalmente serão os que contra ele estão.

  5. JV, não entendi. O antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais de Cavaco e Cadilhe está preso preventivamente e vai ser julgado. Não era suposto estar e ir ser, na tua opinião? Explica.

  6. parece que o cavaco agora quer convocar os partidos para falar de soluções de governo. a ser verdade o homem dá mais um tiro no pé; isso faz-se após as eleições e não antes (eu votei cavaco, os outros concorrentes eram todos velhos,uns com mais de oitenta outros ainda mais velhos, com ideias do sec.xix).

  7. pois tens razão, o Cavaco está a tentar iludir que o Loureiro foi sua escolha e portanto tem uma palavra e uma responsabilidade especial no assunto. Não sei que diga, eu vou por partes, para começar queria uma derrota do PPE nas europeias,

  8. Primo: sabes que por vezes tenho a suspeita que a verdade estará algures no teu primeiro parágrafo e que, de facto, é absolutamente possível o Dias Loureiro ter feito apenas figura de corpo presente tanto na SLN como no BPN.

  9. Não me surpreende absolutamente nada que para o Cavaco os Conselheiros de Estado sejam todos iguais. Quando foi primeiro-ministro também pensava o mesmo dos seus ministros: eram todos iguais e do melhor que havia. Tratava-os lindamente, descartava-os ainda melhor (nesse tempo a palavra ‘remodelação’ era muito utilizada) e no fundo quem mandava em tudo era ele. Talvez por isso o Conselho de Estado não reúna há tanto tempo, o Cavaco não precisa dos conselhos de ninguém, mas como não os pode demitir…

    PS: Valupi, ainda bem que aqui publicaste o Artigo 17.º, o Dias Loureiro distraído como é já nem se devia lembrar que tem estes direitos e regalias. :)

  10. Caro Nik
    Estás a falar de peixe miúdo e tem de haver sempre alguém que sirva de bode expiatório, até para se poder dizer que as instituições funcionam.
    O sistema aqui é o grande capital, BPN,com os lobbies dalguma comunicação social que como referiste não é por esquecimento que não fala e explora este caso.
    O PR não cairá e vai ser reeleito porque dá a jeito ao sistema e possivelmente vão lhe erguer uma estátua.
    Has-de reparar que normalmente o tamanho de algumas estátuas é proporcional aos crimes que cometeram.
    A lógica aqui é mesmo uma batata.

  11. Estarrece-me o teu pessimismo e o teu derrotismo, caro JV.

    Porque é que Oliveira e Costa seria peixe miúdo? Sugeres que alguém mais acima dele também molhou a sopa no BPN? Dias Loureiro, que está a ser interrogado e ainda não sabemos se será constituído arguido, não está acima da laia dos Oliveiras e Costas. Cavaco? Não acredito. Sabes mais do que eu ou imaginas?

    Não confias na justiça, portanto. Nos eleitores também não confias, como se vê. Confias em quem?

    O ‘grande capital’ (vide o Salgado do BES) não quer complacências com os banqueiros fraudulentos. Ainda não ouvi ninguém dizer tão claramente como ele que os bancos fraudulentos deviam ir para a falência. Até o Louçã anda agora, véspera de eleições, com paninhos quentes.

    Uma coisa é o grande capital – de que o BPN era, aliás, bem raquítica amostra. Nada representativa. Outra coisa são fraudes, ilegalidades, roubos, conspirações. Eu não acho que o grande capital tenha que cometer crimes para ter as portas da loja abertas. Não tenho essa visão do ‘sistema’, a fugir para a paranóia.

    Acredito que a existência do grande capital é necessária e inevitável numa economia moderna. Basta ter os olhos abertos e olhar para o mundo. Se não houvesse grande capital português, teríamos de escolher entre uma economia de tipo soviético ou entregar grossa fatia do país aos financeiros espanhóis, franceses, ingleses, alemães, americanos – e, daqui a muito pouco, aos chineses, indianos, brasileiros, angolanos.

    Estado patrão da economia, quem quer? Isso foi rejeitado por quem teve de o sofrer durante 50 ou 70 anos. Uma economia que só admite pequenos e médios é um sonho bucólico e insincero duma esquerda que vive nas nuvens e parece que não quer sair do século XIX.

    Estou farto de visões persecutórias da sociedade e da política. E acho que há muitos eleitores como eu. Se não houver uma esquerda com outra visão, então não quero a esquerda.

  12. Caro Valupi. como é bonito ver que isto já vem de longe.

    “É óbvio que Afonso III lida ainda com limitações que perpassam a sua obra legislativa. Um dos muitos exemplos dessas limitações é o estabelecimento de penalizações variáveis conforme o estatuto social do réu e do autor nos processos, denunciando a sobrevivência e validade dos privilégios e imunidades dos grupos privilegiados. No entanto, ele é o primeiro monarca português a emitir princípios claros de definição de regras e ordenação da Justiça e das formas de relacionamento entre a sociedade e o poder central, medidas claramente influenciadas pelas novas fórmulas de inspiração do Direito romano e canónico no Direito Comum”.

    Vai por ai que vais muito bem.

  13. O Dias Loureiro não terá culpa, ou não terá desculpa?

    O senhor conselheiro tem um dilema:
    ou é inocente e, portanto, incompetente;
    ou é competente e, portanto, trafulha.

    Ora façamos revisão de factos do domínio público e amplamente difundidos e comentados mas que, como este caso está contaminado por amnésia, nunca será de mais relembrá-los. Vejamos:

    Não viu razão para renunciar
    Não viu razão para exigir reuniões e actas
    Não viu razão para desconfiar dos negócios em offshores
    Não viu razão para denunciar a falta de confiança que diz que tinha
    Não viu razão para informar os accionistas das suas dúvidas
    Não viu razão para omitir factos na Comissão Parlamentar
    Não viu razão para justificar contradições na mesma Comissão

    Será que o bom senso também não vê razão para o Estado dispensar um conselheiro que se mostra tão alheado das funções que exerce e displicente das responsabilidades que assume?

    Oh c’um cavaco… mas isto não é uma evidência?
    Será necessário algum serviço de informações para ver isto?

  14. <Caro Nik, vou dar-te um exemplo bem actual do que é o sistema. Falo concretamente do actual vírus h1n1, que por coincidência reúne três vírus,o da estirpe espanhola com quase cem anos, e os recentes das aves e suínos. Engraçado como eles passaram a entender que o que está a dar agora é dois em um e no caso três em um,ainda que de características diferentes e que assim sem mais nem menos se resolveram juntar.
    Não sei se já ouviste falar de terrorismo biológico, pois acredita que muita gente já pagou por isto um preço elevadíssimo, que o digam por exemplo os cubanos.
    Eu antes de aparecer esta estirpe actual, já tinha ouvido falar que ela iria aparecer, assim como que pelo menos um laboratório, penso que Navavax, já estava a trabalhar bem neste «projecto» que já está a render milhões e que no final resultará numa fortuna incalculável.
    Repara bem onde o vírus se está a propagar, em países com poder económico de o combater,mas podes acreditar que estas coisas nunca são por acaso e estes «projectos» são muito bem calculados incluindo as mortes. Isto é o sistema, tudo serve para gerir lucros, a morte a guerra, a fome, as catástrofes, as pandemias,a absoluta miséria, etc etc… são meros acidentes neste processo.
    O sistema é o grande capital, e por lapso meu, quando me estava a referir a Oliveira e Costa, não era a este como peixe miúdo, claro que este é graúdo, mas não o suficiente para os grandes tubarões do sistema que já devem ter comido dele nas offshores o suficiente para o deixarem cair.
    Os Dias Loureiros são aqueles que assinam de cruz, com as devidas compensações e que jogam com os trunfos que têm para se esquivarem das sanções(conselheiro de estado, bons advogados que vão fazer dele, uma vítima inocente deste sistema.)
    Gostaria de te confirmar que não confio nesta justiça,(os exemplos são aos montes) por isso acho muito urgente uma reforma muito a sério nesta área.
    Quanto aos eleitores , não tenhas ilusões,na sua grande maioria, para grande desgosto dos mais esclarecidos, são e sempre foram manipulados, basta ver o que estão a fazer ao Sócrates, pensas que ainda, não vai ser mais penalizado?
    O grande capital não tem rosto, nem na nacinalidade estes países que mencionaste
    a este nível neste momento, alguns são neste momento um grande bluff, como por exemplo os U.S.A.
    Todos os grandes banqueiros são fraudulentos e de duas maneiras, legamente, basta ver a protecção de que usufruam, no impostos, nos financiamentos dos mentores daqueles acima grandes e humanitários «projectos»,e ilegalmente como nas lavagens de dinheiro etc.. etc..
    Realmente há muitos eleitores como tu, mas acredita que não sejam suficientes.
    Não imaginas o respeito que sinto por ti, porque me revejo naquilo que defendes e o quão importante é termos um projecto (verdadeiro) de sociedade em que verdadeiramente se acredita como no teu caso e oxalá assim te mantenhas e não te aconteça o que a mim me aconteceu com o decorrer dos anos em que aquilo em que verdadeiramente acreditei, e de tal maneira, que paguei bem caro e que na altura, estava disposto a pagar um preço ainda mais elevado, e que hoje isto tudo não vale um mísero cêntimo.
    Continuo a procurar ser o mais coerente possível comigo próprio e é por isso que continuo a votar sempre, não em nada que possa idealizar, mas no menor mal possível.
    Talvez te possa parecer um derrotista, por vezes até eu o sinto, mas infelizmente sou mais realista do que pessimista.

  15. Aí está mais que explicado, e comprovado. Mas como as justiças que nós temos não funcionam, ou por outra funcionam a favor do sistema, que óbviamente farão tudo para mantê-la no actual estado de coisas. O grande problema da nossa justiça é mesmo este, podem -se ter todas as provas(toda gente tem acesso a elas) dum acto criminoso, mas isto não é suficiente para incriminar alguns, porque há sempre uma maneira habilidosa «legal» de eliminar estas mesmas provas, ilegalizando-as. Isto é, a lei está armadilhada(isto é o sistema a funcionar) para tornar o criminoso no mais inocente cidadão e até fazer dele um herói, e eles comportam-se como tal(heróis). Garanto-te que ainda vais ver erguer mais uma das tais estátuas a comprovar isto que afirmo aqui.Infelizmente isto é transversal a todos os ramos da nossa sociedade.
    Para se acabar com a impunidade, será preciso uma grande reforma na justiça, mas isto não convém a muita gente, porque quase todos têm culpas no cartório ( telhados de vidro) e só num acto de grande coragem política isto seria possível.
    Aqui ainda tenho dúvidas que possas brevemente a assistir isso.

  16. Carlos Santos, a ideia do Bloco Central é mais complexa do que pareceu ao início. Tem sido um muito interessante debate, pelo que revela do passado, do presente e do eventual futuro.
    __

    jcfrancisco, bem lembrado, o cavaquistão. Dias Loureiro ainda lá vive.
    __

    jv, a tese da incompetência era irónica. Precisamente por não parecer crível que ele tenha sido tão incompetente como as suas declarações pretendem fazer supor é que estamos perante um escândalo que chega ao Presidente.
    __

    Nik, exactamente: precisamos de um novo Presidente, este é bera demais.
    __

    Aristes, as grandes mentes (como as nossas, como as nossas) pensam de modo semelhante, é sabido.
    __

    Andre, muito bem visto.
    __

    assis, claro, querer soluções antes das eleições é absurdo ou anti-democrático.
    __

    Primo, claro que é possível, mas altamente improvável. Só as suas declarações, as de António Marta e o que o inquérito parlamentar tem revelado já colocam essa possibilidade a raiar o impossível.
    __

    guida, nem mais: Cavaco sempre fez alarde de não precisar do conselho de ninguém. É o maior.
    __

    ramalho santos, e tu, por onde vais? Conta à gente.
    __

    tra.quinas, a modos que encerraste o caso. Muito bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.