Oligofrénicos e nefelibatas

Paulo Tunhas, no Jamais, diz que Sócrates é vagamente atrasado mental. Porquê? Porque, na Madeira (!!), utilizou termos como maledicência e ressabiamento. Tunhas deixa no ar a ameaça de se expor em detalhe uma linguagem que diz ser psicológica. Promete expor a doença do egotismo. Porém, talvez por falta de tempo, não se dá ao trabalho. Outro que pegue na deixa.

Tunhas lamenta-se por não se estar a falar a sério sobre o país. A solução preconizada implica esperar pelas eleições. Pelas eleições? Ó Tunhas, primeiro ainda temos de conhecer o programa do PSD, deixa lá as eleições para o dia das eleições. Se queres falar a sério, começa pela tua casa. Que achas de teres colegas de apoio ao PSD que citam Goebbels, difamam Sócrates, alucinam, confrangem, disparatam, deliram, estupidificam, envergonham?

Se queres elevar o debate, desce à terra.

5 thoughts on “Oligofrénicos e nefelibatas”

  1. da outra vez, Socas fartou-se de ser desafiado para dizer ao que vinha e venceu com o silêncio. A múmia só lhe segue o exemplo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.