O seguro da direita

Seguro escolheu para lema de campanha uma chachada: O Novo Ciclo

Assis escolheu para título da sua moção estratégica uma galhardia: A Força das Ideias

Devia chegar para resolver a questão logo à partida. Entre um molusco ciclotímico e um Platão cujo mestre acaba de beber a cicuta não pode haver grandes nem minúsculas dúvidas. Acontece que o PS vai pelo Seguro, abdicando, aliviado, das ideias fortes. E prepara-se para se pôr nas mãos de um marmanjo que aplaudiu o discurso de Cavaco na tomada de posse, ao arrepio dos seus colegas de partido. Que autoridade política – e até moral – pode ter quem festejou como deputado mais uma golpada cavaquista, desta vez com o supremo desplante de ter sido dada na própria Assembleia da República?

Creepy!

14 thoughts on “O seguro da direita”

  1. E que não proferiu uma palavra em defesa do secretário geral do seu partido quando, no frente a frente no programa do Crespo, Sócrates estava a ser enxovalhado.

  2. não sei se Seguro ganhará,
    e preocupa-me estas coisas das J
    se transformarem numa escala, e escola, do e de poder…

    alias
    preocupa-me todas estas intervenções modernistas
    contorcionistas
    incluindo as de Soares

    sentido a refundação, reformulação dos partidos
    e das ideias que lhe estão subjacentes…

    mas indo ao tema post…

    por mais aparelhista PS possa ser
    não acredito que a sua escolha seja um menino polido,
    brilhantinas,
    um “boquinhas”

    uma mera diskette de PPC

    mas em qq caso, a luta continua…
    abraço

  3. Não estou seguro de que o Seguro ganhe. Mas, se assim acontecer lá terei que mudar a agulha de comentários para outras paragens. Para não dizer mal nem bem, antes pelo contrário.

  4. A confirmar-se essa escolha (in)segura por parte dos militantes socialistas eu não votarei PS em eleição alguma.
    Pior, só mesmo a cena foleira de o Benfica ter mantido o Jorge Jesus em funções.

  5. É mais um a juntar ao clube dos ressabiado ,co:Barreto Carrilho Neto e outros.Com amigos destes não são necessários inimigos.Se os militantes fizerem essa escolha,fico politicamente desamparado,e,certamente deixarei de participar.

  6. Quando surgiram as candidaturas pensei imediatamente que o Assis iria ganhar. Um é o vazio o outro é ideias estruturadas, um é eloquente o outro gagueja banalidades, um teve um papel importante nos últimos anos do PS o outro teve um papel importante no culto do cinismo. Afinal parece que o Seguro vai ganhar! Como é possível??

    Se o PS eleger o Seguro é o fim da minha crença no sistema político português. É a confirmação que não interessa ter ideias próprias, personalidade, capacidade de pensar com independência ou conhecimentos técnicos.

    O único que interessa é estar no partido à tempo suficiente para conhecer pessoalmente “as bases”. Passos e o Seguro são o mínimo possível – se é isto que o sistema nos, o sistema deve mudar.

    Até pensei inscrever-me no PS para poder votar em quem me dava alguma esperança de ser o 1o ministro que merecemos. Infelizmente, não vou a tempo

  7. Mas, Val, já sabemos que é o Seguro que “vai à frente” ?
    É que a ser assim, não percebo o resultado da última eleição do Secretário-Geral, José Sócrates, que obteve 93% dos votos dos socialistas inscritos no partido!!!
    O partido passou também a ser de plasticina???
    Como pode essa maioria vir agora apoiar um candidato que diz que vai começar um novo ciclo e que se mostrou sonsamente calado em todos os debates em que participou, quando José Sócrates era enxuvalhado?!?
    O PS em que eu acredito tem de eleger um Secretário-Geral que mantenha a linha reformista e democrática com vista a atingir uma sociedade mais justa e livre, e que demonstre a mesma determinação e visão que sempre orientou a actuação de José Sócrates!.
    Que estória é essa de “agora é um novo ciclo?” É o ciclo dos “mansos”…?

    Eu estou a participar activamente para a eleição do Francisco Assis e
    perderei mais um pouco da pouca fé que tenho nos homens, se não for ele o próximo SG.
    E acho que os que pensam como eu deveriam fazer o mesmo. Não é ficando sentado que as coisas acontecem a nosso favor…

  8. Se o PS votar Seguro, é seguro que não valerá a pena votar nesse PS. Não valorizando Assis em demasia, entendo que este tem uma maior combatividade para aguentar a longa travessia do deserto que o PS irá encetar, pois a renovação prometida por Assis demorará tempo a realizar e se Seguro chegar ao poder o aparelho não será capaz de o fazer ascender ao poder graças a ideias novas, mas apenas a esperar que a aliança se desfaça ou que o zé povo se canse dela.
    Um abanão no PS é necessário e urgente.
    Por mim, acredito que Assis será mais capaz de o fazer.
    Haja esperança.

  9. Se o Seguro for eleito vou continuar a dizer “ainda bem que não sou PS e nunca serei”. Não critico quem milita mas há muito que deu para ver que a militancia depressa vira fanatismo. Basta ver o ódio bolsado dos que abandonam o “seio materno”.
    Sem brincadeira: este PM Zero-Zero ex-JPSD vai ter pela frente um Zero-Zero ex-JPS.
    Para que não apareça alguém, dentro do PS, que possa fazer sombra ao “pai-fundador” Soares, tanto este como o seu principe herdeiro já se colaram à mediocridade. Não basta dizer “sou amigo dos dois” porque eu também nâo entendo o aplauso de Seguro a Cavaco, o silencio perante o achincalhamento de Sócrates, feito nas suas barbas e a quase indiferença de Soares ao linchamento do PM Sócrates. Foram quebrados todos os limites da ética politica e violados os direitos básicos de um cidadão comum. As instituições democraticas, todas, foram postas ao seviço do ódio a um homem, pelo facto de ser PM. E o “lutador” e “dinossauro democrata” contra a ditadura remeteu-se a um silencio cumplice. Os seus artigos escondidos no interior das paginas de um jornal foram um simulacro de alguma solidariedade com a vítima.
    Toda a gente sabe que talvez só ele tinha força para se fazer ouvir e assim denunciar o linchamento. Não o fez e todos têm direito a perguntar porquê.
    Agora sabemos que temos um aparelho judicial “soberano” não às ordens de um ditador mas de uma junta de coronéis que fez fortuna à sombra do cavaquismo e a multiplicou nos bpn.s
    E Soares sabe isso bem melhor do que todos.
    Se para a Direita o inexperiente PPC é o ideal, para um Soares que não quer sombras no seu feudo sociaista. Seguro está mesmo na calha.

  10. M. G. P. Mendes,

    “E acho que os que pensam como eu deveriam fazer o mesmo. Não é ficando sentado que as coisas acontecem a nosso favor…”

    Acho muito importante eleger Assis mas a verdade é que é não sendo militante do PS nem tendo grande vontade de me filiar num partido não o posso fazer. As primárias abertas a não militantes eram boa ideia so que neste momento não vão a tempo (e acho que sabemos que não vão acontecer nunca)

  11. Ao menos, nesta nossa amostra,
    Seguro, Tó Zé, não ganha…
    e não ganhará mesmo,
    se socialistas, do partido, tiverem bom senso…
    é bom ler estas opiniões…
    dá animo à nossa alma amargurada…

  12. Com Seguro, deixarei de votar no PS e irei engrossar a abstenção (ou votar em branco). E, assim, de mediocridade em mediocridade, se vai fazendo a vida politica em Portugal, com cumplicidades de tantos, como Soares e A.Costa, que pelo seu silêncio e falta de comparência vão deixando degradar a democracia. Enfim, serei mais um a emgrossar a turma dos “desiludidos com o regime”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.