O problema não se resume a Seguro

As figuras que têm aparecido em sua defesa constituem uma brigada de imbecis tamanhos que não se compreende, para quem está de fora, como é que se poderá sequer iniciar um diálogo com eles.

7 thoughts on “O problema não se resume a Seguro”

  1. podiamos fazer aqui uma lista dos imbecis que já se pronunciaram a favor da manutenção do tózé. o joão soares esta agora na rtp a vender seguros de vida.

  2. Finalmente o Pedrocas de Portugal disse hoje uma grande verdade em Santiago do Chile: Portugal é um mar de oportunidades. Uauuuu… finalmente uma verdade.

    Pois, um dos países com maior área de águas territoriais e com o governo sem saber o que fazer delas, é natural que procure lá fora quem tome conta disso. Só se esqueceu de dizer que, pelo meio, até pode ser que fiquem também com as águas de consumo. O shotôr Relvas resolve isso em três panadas.

    Seria possível que o governo criasse uma comissão (só mais uma, por favor…) para nos enumerar o que é que ainda será português no final da legislatura? Ficaríamos gratos por ser informados previamente. Ou será melhor começarmos já a recolher assinaturas?

    Entretanto o Tótó seguro continua entretido a retorcer o bigode. Finge que está a magicar e chama-lhe laboratório de ideias. Será possível jogarmos na raspadinha e sair-nos um novo Secretário Geral para o PS?

  3. Ignatz

    Amigo, nao podes passar agora a vida a falar sobre o Seguro. Pois, se nao, qualquer dia, não tenho nada para replicar!
    Cuidado com as listas. A última vez que se ouviu falar de listas em Portugal, o Otelo sitiou-se em Lisboa.

  4. O Seguro gostava muito de ficar para a historia como a branca de neve da politica portuguesa.
    Naturalmente que, quando perseguido, se refugia junto a uns quantos anões, alguns bastante avariados mas todos muitíssimo fieis, sempre prontos a defender a sua dama.
    Só lá não está o Mestre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.