5 thoughts on “O grupo de amigos da “ajuda externa” tem ainda mais motivos para rejubilar”

  1. Mas ninguém – reformados ou funcionários públicos – quer receber “subsídios”!
    Os respectivos valores é que deverão ser incluídos nos montantes mensais que cada um recebe (12 meses). Mais nada! Fala-se sempre no miserabilista “subsídio” aos pobrezinhos!As pessoas descontaram /descontam para isso. Ora bolas!

  2. Não me admira nada se essa tal Bruxelas estiver a fazer o papel dos verredores no Curling. A chatice é que o alvo do granito somos nós.

  3. acho que não, já sabiam que ía ser isto e festejaram na altura…O povito é que… lá está.Surpriiiiise!!!!!

  4. É isso mesmo, Edie. sabiam porque foram bem avisados. Estavam a meter a raposa na capoeira, de barrete laranja enfiado na cabecinha e de mâos dadas com o Louça e o Jerónimo. Era só alegria.
    E agora eu pergunto: se as falências continuarem a este ritmo, levando o desemprego para números impensáveis, com a economia moribunda, os estarolas atarantados e o presidente economista a meditar no próximo “alerta”, onde vai o governo buscar o dinheiro para pagar a funcionários e pensionistas?
    E as pessoas estão preocupadas com os subsidios do natal me de férias!
    Alguém alertou, quase gritou, que era um suicidio a crise politica em cima da crise económica. Ninguém escutou, porque o designio era mesmo chegar ao que agora temos.
    Vamos beber até à última gota o cálice amargo que este infeliz presidente nos começou a servir em Julho de 2008, quando interrompeu as férias para desferir o primeiro ataque em forma ao governo do PS. Lembrem-se desta data e do gesto diabólico que espalhou o joio numa seara que até estava a ser bem tratada. Quando a crise nos bateu à porta como uma ladra, as portas da cidade tinham sido traiçoeiramente abertas uma a uma por aqueles que haviam jurado defendê-la.
    O verdadeiro prefácio do livro das mentiras e traições foi aquele discurso de 2008.
    Agora é um fartar vilanagem!

  5. Mas alguém duvida disso? E o pior está ainda para vir, quando o Gaspar for “fazer justiça” e cortar também os dois Subsídios aos trabalhadores do sector privado, que vai ser o próximo passo na política de austeridade!

    Mas razão tem o Mário: os executantes do crime de atirar Portugal para a penúria são o PSD e o CDS, mas o mandante mora em Belém e os cúmplices (indispensáveis na consumação do crime) lideram o BE e o PCP!!!

    Esta – Cavaco, Portas/Coelho e Louçã/Jerónimo – É QUE É A VERDADEIRA «TROIKA» QUE DESGRAÇOU O NOSSO PAÍS!

    Será pois com eles que, um dia, a Nação inteira acertará as contas. Não vai ser bonito, mas eu quero estar na primeira vaga do assalto, nesse dia glorioso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.