O comunismo é o inimigo secreto do PCP

Jerónimo de Sousa foi uma boa escolha para o marketing do PCP. Aquele fácies telúrico, aquela verbosidade folclórica simultaneamente operária e rural de um Portugal hoje a desaparecer no envelhecimento, essa retórica a convocar o imaginário de António Aleixo, o timbre e o tónus veterotestamentários, foram características que suscitaram imediata e universal simpatia. Depois do choninhas Carlos Carvalhas, uma bizarra opção para substituir a lenda viva, Jerónimo aparecia como uma carnal pintura mural revolucionária pronta a servir a estratégia de estancamento da sangria eleitoral e de quadros por que passava o PCP em 2004. Iniciou-se um ciclo de acantonamento e conservadorismo que está para durar até que os votos lhes mostrem que a cassete tem de ser mudada.

Bom, que falta ao homem para ser primeiro-ministro? Certamente, não serão promessas que mais do que chegariam para dar ao PCP a maioria absoluta:

Devolver aos trabalhadores e ao povo os seus salários, rendimentos e direitos sociais, indispensáveis a uma vida digna.

Discurso de Jerónimo de Sousa na abertura do XIX Congresso do PCP

A promessa de devolução de salários, rendimentos e direitos sociais aos trabalhadores e ao povo é coisa para lhes garantir 9 milhões de votos sem precisarem de colar um só cartaz. E nem mesmo a ausência de um esboço de explicação por parte de algum comunista vivo, morto ou na clandestinidade a respeito do modo como essa devolução seria feita, e quando, e com que consequências, impede o apelo da proposta. Aliás, o vazio racional só reforça o seu enlace hipnótico, pois não nos confronta com aqueles aspectos sempre aborrecidos que aparecem associados à realidade. A oferta do PCP é maximalista e não perde tempo com dúvidas e condições. Com eles no poder, não faltará massa no bolso das massas e da terra brotarão empregos e serviços públicos. Porque lhes faltam os votos, então?

Os comunistas nunca se atrapalharam na justificação das suas invariáveis derrotas eleitorais, até porque eles são especialistas na utilização desses mesmíssimos processos:

O processo de concentração da propriedade no sector da comunicação social, traduzido na posse de um esmagador número de órgãos por um reduzido número de grandes grupos económicos, afecta irremediavelmente a qualidade, diversidade e pluralismo da informação, da cultura e do próprio regime democrático.

Discurso de Jerónimo de Sousa na abertura do XIX Congresso do PCP

Eis a fatal tese: os jornais, as rádios e as televisões nas mãos do imperialismo impedem que a salvação comunista seja anunciada entre os explorados e oprimidos. Bastaria alterar este cenário, oferecer uns jornais, umas rádios e uns canais TV à Soeiro Pereira Gomes e aí se veria sem demora as gentes a correrem para as sedes do PCP a filiarem-se em êxtase marxista. Ora, nós sabemos que o Jerónimo não é mentiroso. E também sabemos que ele diz sempre a verdade. Nesse caso, que nome vamos dar a um passarão deste calibre que se diverte a gozar com a inteligência dos vizinhos? Não só o PCP ocupa os meios de comunicação social de forma continuada e versátil como não será possível encontrar alguém que esteja a ser intencionalmente afastado da teologia comuna. Pura e simplesmente, se ainda não mandam nisto é só porque o seu paleio não convence mais de quatrocentos e tal mil votantes. Os restantes milhões têm preferido abdicar da devolução de salários, rendimentos e direitos sociais se o preço a pagar for o de ficarem sujeitos ao comunismo à portuguesa.

Claro, as coisas mudam. E, como dizem os franceses, shit happens. Numas próximas eleições, tal como o profeta Jerónimo anunciou à assembleia dos crentes, é inevitável que o comunismo desça sobre a terra e que o mal seja banido por toda a eternidade. Nessa altura, o que se verá é isto:

a conquista do poder pelos trabalhadores, a socialização dos principais meios de produção e circulação, a planificação da economia e, sobretudo, a construção de um sistema de poder que promova e assegure a participação empenhada e criadora das massas na construção do seu próprio destino

Discurso de Jerónimo de Sousa na abertura do XIX Congresso do PCP

Está muito claro: o PCP oferece aos portugueses uma sociedade onde ser trabalhador qualifica para a governação, onde se nacionalizarão indústrias, serviços e bancos, onde um grupinho de eleitos fará grandiosos planos económicos à prova de erro e onde o regime se transforma numa máquina de participação das massas, agora finalmente empenhadas na construção do seu destino quer queiram ou não, e habilitando-se ao devido castigo caso o destino que se lembrem de criar venha estragar, sequer manchar, essa maravilha que produz destinos perfeitamente iguais uns aos outros tal como manda o partido na sua luta contra o capitalismo, a exploração e o imperialismo.

Contem comigo para espalhar esta boa nova, camaradas!

14 thoughts on “O comunismo é o inimigo secreto do PCP”

  1. E, contudo, a terra move-se.
    Há espanto e pavor, por este lado das aspirinas, sem razão bastante para tal, pois apesar do espectro do comunismo voltar a pairar sob os céus da Europa, a peçonha aqui destilada será ignorada, pois não se pode perder tempo com cobras de água…

  2. joão pedro o comunismo foi tão bom,que numa europa “sem regeneraçao” decretada por jeronimo,é como mel na sopa.viu-se agora nas eleiçoes da grecia,viu-se em portugal a recuperaçao dos comunistas e vai-se se ver em toda a europa do leste,num perfeito regresso ao passado do “desvios” tenebrosos.é preciso não ter vergonha para se defender tais regimes depois de tudo que se passou.O que é isto que estamos a viver comparado com o que se viveu e ainda se vive em alguns tristes paises comunistas? posso ser distraido,mas masoquista e desonesto não sou. Nota. gostei de ouvir a odete santos no final do discurso à fidel castro de jeronimo de1 hora e 30 minutos. que paciencia.

  3. Socialismo e Comunismo deveríam ser banidos de qualquer Constituição. E disso bem sabia o saudoso Dr Oliveira Salazar.

  4. Anestesico: O filho da puta do botas se tivesse abolido a prostituição a tempo haveria de evitar coimentários teus.
    Se tens muitas saudadinhas dele dá um tiro nos cornos e vai ter com ele. Despacha-te!

  5. RISOS! E APLAUSOS!
    Caro Val, usar a realidade como arma de arremesso tem tanto de divertido como de indecente. Mas suspeito que o fanatismo, o sectarismo, o ataque patológico ao ps e a defesa (no mesmo parágrafo) do estado social do ps, faz deles uns gajos colectivamente desonestos. Mas, tomando-os um a um, individualmente, no recato, no privado, constatamos: trata-se de gajos honestos. Incorruptíveis, até pela realidade.

  6. oh magnésico! andas a abusar dos metasulfitos de stª. comba, o espírito da coisa é fugaz, mas a caganeira é persistente. não devias beber disso com o estomago vazio, que te faz mal à saúde, toma primeiro duas ou três colheres de merda, como prescrito em comentário anterior, melhora a (n)azia democrática e aumenta a performance fachistóino.

  7. O Amnésico é dos meus, chega-lhes que se torcem todos!

    São os progressistas que puxam pelos retrógrados, os extremos tocam-se.

    Foi o antisalazarismo o melhor currículo para desgovernantes tomarem conta do quintal.

  8. oh reacça! a marca salazar tamém prevê a comercialização de xóriços para devotos da capoeira de são bento, agora transformada em coelheira de massamá.

  9. Ó ignatz, os coelhos os socas e os marocas nem no tarrafal tinham lugar, o Zé do TeLhado ainda teve um degredo e morreu em paz, mas estes nem isso mereciam.

    Quando um currículo anti-salazarista dá direito a ser ministro, é pior que o “percurso do prepúcio” quando cheira a borracha.

  10. a capa de esquerdalho deixa-te os pés de fora, escondes mal a simpatia ao centrão, val. gajos como tu cheiram o poder desde a amamentação.

  11. joão c faria,e tu cheiras o quê? o odor da morte que vinha disfarçada de xarope? esse teu remedio matou milhoes e não matou mais porque as tvs e a realidade não permitiram que se escondesse por mais anos, o maoir embuste do seculo xx, que jeronimo de sousa com entusiasmo hoje saudou, no seu discurso recalcado das 19 anteriores peregrinaçoes ao passado do social fascismo em portugal.

  12. joãoc faria ,diga” à gente” por favor,quantos e quais os paises neste planeta habitado, que estão a ser governados mais à esquerda do que o ps mesmo em contextos mais favoraveis como a riqueza dos seus paises .Agradeço que não fuja à pergunta para continuar a ter credibilidade para fazer criticas neste blogue.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.