Novos autores no Jamais: Goebbels

Pelo vanguardista teclado de Carlos Botelho, já é possível ler excertos da obra de Goebbels neste colectivo de apoio ao PSD. Aguarda-se a todo o momento a publicação de escritos escolhidos de Stalin e Bin Laden, de forma a enriquecer a constelação de referências à disposição dos leitores.

74 thoughts on “Novos autores no Jamais: Goebbels”

  1. z, com uma oposição desta qualidade continua a achar que vai ser possível ao Engenheiro Sócrates governar sem maioria absoluta?

  2. tu não condenas ninguém porque não tens esse poder, o amor não condena, liberta. Quanto ao jardim estive a reler e resolvi em instância de recurso de mim mesmo passar a pena para purgatório, porque lá pelo meio diz umas coisas certas.

  3. não vou na chantagem da maioria absoluta, guida, por duas ordens de razões:

    1. se socrates é, como uns tantos de vocês acham, um político merecedor de largo crédito, com qualidades superiores de governação, tem que saber governar sem maioria absoluta fazendo os compromissos necessários,
    2. e acontece que eu não descarto que se venha a concluir que realmente ele fez o que não deixaríamos a direita fazer, ou seja governou mais à direita do que à esquerda,

    mas isso ainda estou a sopesar,

  4. z, na minha opinião, não é uma questão de chantagem, é uma questão de ser ou não possível governar. Faz os tais compromissos necessários com quem?

  5. amor: vê lá se te tocam os sinos,

    guida: o que os políticos dizem não é para levar à letra, a política tem muito de dissimulação.

  6. z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?
    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?
    È por acaso falso que o que esta estratégia politica demonstra é que o Pinto de Sousa governa apenas a pensar na conquista do poder, e que este é, para a sua equipa, não um meio mas um fim em si mesmo? Ou que então é um meio para atingir fins e interesses particulares (como é exemplo o Coelho, o Vara e outros que tais)?
    È por acaso falso que as ditas causas fracturantes (aborto, homossexuais) se tornaram importantes na estratégia política do Pinto de Sousa, porque foram a forma que o tipo encontrou para se demarcar da direita, e para parecer de esquerda? Como agora o dito «keynesianismo» tem o mesmo papel?
    É por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa se recebe elogios de alguém é dos grandes empresários, do tal grande capital?
    È por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa ficou marcada pelo desrespeito por diversas classes profissionais (em particular, a dos professores) diabolizando-as e atacando-as, sendo assim fiel ao príncipio maquiavélico do «dividir para reinar»?
    O que é que é falso nas afirmações do Jardim, z? A verdade é nojenta? Se o que te mete nojo é a verdade (a correspondência das afirmações com os factos) então até estou de acordo contigo: o Pinto de Sousa mete nojo, e é por isso mesmo, como eu já te disse noutra altura, que está na altura de mandar à merda a merda Pinto de Sousista. Não alinho em votos úteis à merda, nem em votos que se resignam aos «males menores». Merda é merda, seja líquida (como no caso PS), seja sólida (como no caso do PSD).

  7. O meu comentário dirigido ao z não é publicado… Porque será? Aguarda-se que o Valupi proceda à sua «libertação» da censura temporária. Isto se conseguir, temporariamente, desprender-se das correntes da caverna socretina…

  8. Mas aí vai mais uma tentativa:

    z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?
    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?
    È por acaso falso que o que esta estratégia politica demonstra é que o Pinto de Sousa governa apenas a pensar na conquista do poder, e que este é, para a sua equipa, não um meio mas um fim em si mesmo? Ou que então é um meio para atingir fins e interesses particulares (como é exemplo o Coelho, o Vara e outros que tais)?
    È por acaso falso que as ditas causas fracturantes (aborto, homossexuais) se tornaram importantes na estratégia política do Pinto de Sousa, porque foram a forma que o tipo encontrou para se demarcar da direita, e para parecer de esquerda? Como agora o dito «keynesianismo» tem o mesmo papel?
    É por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa se recebe elogios de alguém é dos grandes empresários, do tal grande capital?
    È por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa ficou marcada pelo desrespeito por diversas classes profissionais (em particular, a dos professores) diabolizando-as e atacando-as, sendo assim fiel ao príncipio maquiavélico do «dividir para reinar»?
    O que é que é falso nas afirmações do Jardim, z? A verdade é nojenta? Se o que te mete nojo é a verdade (a correspondência das afirmações com os factos) então até estou de acordo contigo: o Pinto de Sousa mete nojo, e é por isso mesmo, como eu já te disse noutra altura, que está na altura de mandar à merda a merda Pinto de Sousista. Não alinho em votos úteis à merda, nem em votos que se resignam aos «males menores». Merda é merda, seja líquida (como no caso PS), seja sólida (como no caso do PSD).

  9. Bem… Vamos tentar por divisão em partes.

    z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?
    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?

  10. 2

    È por acaso falso que o que esta estratégia politica demonstra é que o Pinto de Sousa governa apenas a pensar na conquista do poder, e que este é, para a sua equipa, não um meio mas um fim em si mesmo? Ou que então é um meio para atingir fins e interesses particulares (como é exemplo o Coelho, o Vara e outros que tais)?
    È por acaso falso que as ditas causas fracturantes (aborto, homossexuais) se tornaram importantes na estratégia política do Pinto de Sousa, porque foram a forma que o tipo encontrou para se demarcar da direita, e para parecer de esquerda? Como agora o dito «keynesianismo» tem o mesmo papel?

  11. 3

    É por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa se recebe elogios de alguém é dos grandes empresários, do tal grande capital?
    È por acaso falso que a governação do Pinto de Sousa ficou marcada pelo desrespeito por diversas classes profissionais (em particular a dos professores) diabolizando-as e atacando-as, sendo assim fiel ao príncipio maquiavélico do «dividir para reinar»?
    O que é que é falso nas afirmações do Jardim, z? A verdade é nojenta? Se o que te mete nojo é a verdade (a correspondência das afirmações com os factos) então até estou de acordo contigo: o Pinto de Sousa mete nojo, e é por isso mesmo, como eu já te disse noutra altura, que está na altura de mandar à merda a merda Pinto de Sousista. Não alinho em votos úteis à merda, nem em votos que se resignam aos «males menores». Merda é merda, seja líquida (como no caso PS), seja sólida (como no caso do PSD).

  12. z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?

    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?

  13. 1

    z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?

    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?

  14. Está díficil, pá…

    1

    z, o que é que têm de nojento as afirmações do Jardim?

    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?

    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keynesiano quando o keynesianismo ganha relevância?

  15. Última tentativa:

    1

    z, o que é que é nojento nas afirmações do Jardim?
    Por acaso é falso que o Pinto de Sousa não segue qualquer ideologia, que foi ele próprio quem estabeleceu que a sua àrea política era o centro (ou melhor, o vazio ideológico), e que por isso fez tábua rasa de princípios socialistas ou de esquerda?
    É por acaso falso que o Pinto de Sousa governa e actua politicamente em função do que vai sendo o espírito do tempo (as modas), e que por isso é neoliberal quando o neoliberalismo é o que está a dar, e torna-se em keinesiano quando o keinesianismo ganha relevância?

  16. Uma coisa é certa: o «problema» não está no «y» de «Keynes». O prisioneiro e escravo Valupi que resolva o problema…

  17. Mas já agora, será que o escravo e prisioneiro Valupi não consegue perceber que a citação de Goebbels assenta na perfeição àquele impostor conhecido por usar e abusar da propaganda e publicidade? Há tipos que citam o Goebbels; há outros impostores que o põem em prática. Estou a ver que a libertação do Valupi da caverna socretina vai ser demorada, e que por isso a primeira parte do meu comentário pode nunca vir a ser publicada…

  18. Bem, tenho impressão que quem libertou os meus comentários foi o jcf. De facto, seria muito estranho o Valupi conseguir libertar-se da caverna socretina… Mas pronto. Fica para a próxima, talvez…

  19. ds, por qualquer razão desconhecida, por vezes o sistema de spam retém comentários de comentadores habituais. Como também vivo, não estou sempre a verificar o sistema. Mas, logo que entro no blogue, vou ver se há algum comentário no spam.

    O José do Carmo Francisco não lida com estas coisas, mas estou certo de que faria o mesmo, pois no Aspirina não há censura (só em casos especiais, como organizações racistas, por exemplo, etc.). Assim, poderás comentar o que quiseres sempre que quiseres, como tens feito. É contigo, tenho a certeza de que és livre. Eu é que deixarei de entrar em conversas contigo. O teu fel e demência deixaram de ocupar o meu tempo.

  20. Já largaste? Acreditemos que sim… Então ouve com atenção: ao contrário de ti, eu vou continuar a dar-te atenção (e muito amor, também, ehehhehehheh), porque sendo genuinamente de esquerda estou contra a opressão a que os escravos e prisioneiros do socretinismo como tu estão sujeitos. Eu quero a tua libertação e emancipação, por muito que penses o contrário. Mas este processo de libertação costuma ser difícil – e tu, como alcoolico anónimo que és, sempre a ressacar e com recaídas, sabes bem disso. Já só falta um mês para isso acontecer! Tem esperança!

  21. Atender ao que gostavas seria bom. Mas não atendo!! eheheh. Deixa-te de ser cabrão e não venhas para aqui meter-te com quem é de paz ou ainda levas um nessa cabeça de poio! Nem uma puta te queria, filho duma. Estás a falar com macho, nota bem.

    Amor & Sexus ehehahah

  22. Uiiiiiiiiii… Ai essas hormonas! Ficaste excitada, minha amiga! E estou a ver que tens muitos problemas de identidade. Agora dizes que és macho… Mas és um macho latino, ou és mesmo um daqueles machos que são um cruzamento entre um cavalo e um burro? È que de burro tens muito!

  23. Pois ando… Ainda não percebi se és uma puta, se és um burro, se és uma puta burrita, se és um burra putita. Se calhar és tudo ao mesmo tempo, não é? Foi a crise que te levou para essa vida?

  24. Até que enfim que te assumes, pá! És o Coelhone! Mas então dá lá o soco, porra! Estou à espera. Ou isso é mesmo só garganta (funda)?

  25. Dar umas vergastadas em burritas como tu, é o que queres dizer, não é? Portanto é uma adepta do sexo masoquista, e estás a gostar de apanhar? Mas eu não sou sádico e já estou a ficar com pena de ti, e por isso vais ter que pedir isso a outro. Mas pronto… Vai lá à tua vidinha.

  26. Tu não sabes quem eu sou mas eu sei quem tu és, ds.Eheheh! E o mais certo, podes estar certo, é seres apanhado num beco por uma noite destas e ficares sem queixos.
    Paz e Amor e Sexus! Ahahah!
    Fanático, man. Larga o bagaço! Eheheh

  27. Ahhh… Estou a ver que vais seguir o meu conselho e que sempre vais voltar à tua vidinha da noite nos becos escuros. Olha, felicidades, e dá muitos murros nos teus clientes.

  28. Que salsa aqui vai! ds: bem, eu entendo, creio, a sua análise, e estou de acordo que permite-se ao ps fazer as reformas com acento à direita que não permitiríamos à própria direita. No entanto acho que se respira bem melhor com um governo do ps do que com um governo da direita, incluindo a blogar. O problema é que realmente não dispomos de nenhum modelo de sociedade mais arejado do que esta democracia parlamentar que é capitalista de sua natureza, e as experiências de socialismo que andaram para aí deram muitas vítimas entre os que ousaram criticar o sistema, como bem sabe.

  29. gaita! até parece que se esqueceram de um papagaio fechado nesta caixa o dia inteiro. e queixinhas e refilona, a criatura.

    ou então é a estratégia da falta de democracia na nossa sociedade, papagueda pelo psd, a produzir efeitos.

    a fúria cega-nos. mas também com o goebbles à mistura não seria de esperar outra coisa.

  30. Até parece, parece… Mas mesmo com tanta repetição ainda há criaturas que se mostram incapazes de perceber o essencial e substâncial, e que se agarram ao acidental e aparente. Percebe-se assim o porquê da sua atracção e fascínio pelo impostor e profissional da publicidade…

  31. Portanto, o z consegue respirar melhor quando um partido de «esquerda» governa mais à direita que um partido de direita? Tudo «bem»… Mas para mim é exactamente o contrário, pois governar à direita e num contexto de impostura ainda torna o ar mais irrespirável. Como eu já disse noutra ocasião, é isso mesmo que torna o cheiro da merda PS ainda mais nauseabundo que o do PSD. E deixe-se lá desses fantasmas dos comunistas a comer criancinhas, porque o que a realidade portuguesa nos tem mostrado são os impostores a comer a cabeça de quem vai nessas conversas, e até porque o muro de Berlim já caiu há 20 anos.

  32. mas qual substancial e essencial?
    não lhe falta convicção, ds. argumentação é mais difícil. a questão é que aborda conceitos e falta matéria de facto e em política esses dois factores são indissociáveis.

    concretamente, quais são as propostas dos partidos à esquerda do ps para os diferentes sectores da sociedade (organização do estado, do território, economia, educação, saúde, justiça, políticas sociais e outros) que tanto o maravilham e entusiasmam?

    e quais são os exemplos de países verdadeiramente modernos e democráticos que tenham em prática essas políticas? obviamente esses exemplos terão passado completamente incólumes à crise internacional e, em velocidade de cruzeiro nesta fase, estarão em breve à beira de se tornarem nos mais desenvolvidos.
    logo logo, num instantinho serão eles a ditar as regras da economia mundial e teremos finalmente a humanidade feliz.

    ou prefere ficar-se só por dizer mal e ser do contra?

  33. Saúde-se a democracia “deste” blogue e destes “bloggers”. É assim que eu gosto: abrir portas e não interpor muros.

  34. para mim o ps governa ao ‘centro’, sendo isto não um lugar geométrico mas um compromisso difuso entre políticas de acento à esquerda como maior intervenção do Estado e subsídios (eu não vi nenhum, mas enfim) e outras de acento à direita como diminuição da despesa pública através do ataque a direitos ddos trabalhadores.

    O ds prefere o psd pelos vistos, era isso que eu queria perceber. Poderá ser numa lógica de quanto pior, melhor, ou de o seu a seu dono.

    Eu considero que a ferrugenta ganhar com a tutela do cavaco é um desastre nacional, como facto e como sintoma, de uma doença grave e aguda.

    Já outra coisa é o meu voto: ainda estou à espera de uma declaração do Bloco em que afirme que estará disposto a negociar soluções de esquerda para a governação do país em nome do interesse nacional e da defesa dos direitos dos trabalhadores, para usar uma linguagem canónica.

  35. z, outra vez essa conversa de eu preferir a vitória do PSD?! Já lhe disse que me é indiferente que ganhe o PSD ou o PS, porque são, como disse o Jerónimo de Sousa ainda outro dia, farinha do mesmo saco, ou são, como digo eu, merda do mesmo esgoto. O que me interessa é que o bloco central da merda tenha o seu pior resultado de sempre (ter esses dois partidos abaixo dos 55% era uma boa notícia). E depois quando o z diz que está à espera de uma declaração do BE para decidir o seu voto, acaba por não ser consequente com as suas preferências por uma vitória do PS, pois poderá estar a contribuir para um pior resultado do PS (o partido «sentrista», como bem diz), e por isso para a sua derrota. E até acho surpreendente só estar à espera da disposição do BE para negociar à esquerda, porque o que devia exigir era essa disposição ao tal partido sentrista, ao partido que governa mais à direita que os partidos de direita.

  36. esta frase é sua não fui eu que inventei:«Mas para mim é exactamente o contrário, pois governar à direita e num contexto de impostura ainda torna o ar mais irrespirável. Como eu já disse noutra ocasião, é isso mesmo que torna o cheiro da merda PS ainda mais nauseabundo que o do PSD»

  37. Sim, e volto a dizê-lo: para mim o ar é mais respirável quando partidos de direita governam à direita, e quando partidos de esquerda governam à esquerda. Porque o ar anda menos poluído. Agora isso não invalida que, quando um partido de «esquerda» governa à direita, eu considere que seja indiferente uma vitória da verdadeira direita ou da falsa esquerda.

  38. pois, mas para mim não é indiferente, além disso o ps não governa só à direita, em termos sociais também faz uns compromissos à esquerda, como seja as causas fracturantes. E portanto o que eu queria é que o ps ganhasse significativamente com mais votos ao cavaquismo ferrugento, mas não o suficiente para ter maioria absoluta, e fizésse acordos à esquerda. Veremos.

  39. Causas fracturantes… Pois… Como eu disse mais acima, estas causas apenas têm uma função na estratégia do Pinto de Sousa, e que foi a de arranjar algo que o diferenciasse da direita, porque no resto são iguais em tudo. E claro que crise lá lhe arranjou mais um esquema (o dito Keynesianismo) para enganar o povo a respeito da sua verdadeira orientação político-económica: e que é a do-que-está-a-dar-e-manda-a-tecnocracia-dominante.

  40. bem, a questão basilar da esquerda é a questão da igualdade e a questão do casamento homo cai nesse âmbito. Quanto ao resto, pelo que disse o Nik aí num post o código do trabalho também melhora um certo número de aspectos, nomeadamente convertendo em contrato situações longamente precárias.

    quanto às suas palavras: infere-se do que o ds diz que prefere a vitória da ferrugenta, embora depois diga que lhe é indiferente, mas depois ainda vai-se a ver outra vez e cai para lá mais do que não cai,

  41. então e a argumentação, ds? e não se esqueça de realçar as virtudes da oposição.

    senão o pessoal vai ficar a pensar que a única fixação que existe por aqui é a sua pelo sócrates. e o ódio fá-lo bajular as declarações desse abcesso mentiroso e demagógico da mossa democracia que não respeita figuras nem instituições. nem da madeira nem do resto do país. realmente, quem se baba das purgas no partido quando a líder ganhou rés vês, com um terço dos votos contra outros dois candidatos, quem se desfaz da oposição abatendo a tiro os seus elementos de propaganda ou permitindo que jornalistas sejam corridos à pedrada e tratados como javardos e tantos, tantos outros mimos, é um exemplo de cultura democrática e extravasa legitimidade para acusar os adversários de falta de seriedade e de ética.
    calculo, ds, que também deve ter adorado vê-lo chamar o primeiro ministro de bandido porque isso contribui sobremaneira para a imagem do país no exterior que ele tinha evocado minutos antes. está a ver, sem grande esforço sempre acabei por perceber a essência e substância dos seus comentários anteriores.
    mas pode sempre acontecer explicar-se melhor.

  42. Traquinas, a mim parece-me que se fores ler com mais atenção o meu comentário, o tal que tu reparaste ter sido repetido diversas vezes, encontrarás lá muita matéria de facto para te entreteres a refutar.

  43. “concretamente, quais são as propostas dos partidos à esquerda do ps para os diferentes sectores da sociedade (organização do estado, do território, economia, educação, saúde, justiça, políticas sociais e outros) que tanto o maravilham e entusiasmam?”
    isso sim é discutir política em período pré-eleitoral. pode acrescentar a restante oposição se achar conveniente.

    tecer opiniões sobre suposições, formas de agir, personalidade dos intervenientes é só isso opiniões. cada um tem a sua e muitos parece que pensam de forma diferente da sua. incluo-me nesses porque em muitos aspectos a realidade contraria as suas dissertações opinativas.
    quais são as virtudes da oposição? diga lá.

  44. esse comentário, aliás, está cheio de falsidades, ds. mas eu prefiro chamar-lhes opiniões. foi nisso que a oposição quis transformar a política neste país.

    apresente as vantagens das propostas da oposição que eu dou-lhe a minha opinião sobre a maior parte dos seus “por acaso é falso…?”

    como nunca apreciei feudos tenho o meu voto dependurado até ao dia das eleições. está a ver o quanto eu lhe podia ficar agradecido?

  45. quer que comece eu, ds?
    com o seu compromissso de que apresentará as virtudes da oposiçao, é de imediato…

    está na altura de nos deixarmos de “tangas”. aquelas que tanto apreciava o goebbels

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.