Nicolau Santos e o aldrabão que se segue

Creio ser consensual que uma das mais nefastas heranças culturais do catolicismo nos países do Sul da Europa é o horror ao fracasso; julgado publicamente como uma predestinação fatal, marca do pecado. O resultado vê-se na aversão à experiência e ao risco como forma radical de evitar o erro. Tal reforça o imobilismo social, o conservadorismo bolorento, a inércia intelectual, a moralização de fachada, a perversão organizada. É o que explica a decadência da nossa nobreza e da nossa oligarquia desde Alcácer-Quibir, para fazer caminho com a tese do Agostinho da Silva. A consequência foi essa de um país que passou ao lado da revolução industrial, que perdeu as colónias sem nunca as ter desenvolvido e que aceitou mansamente um regime ditatorial e provinciano durante 48 anos do século XX. É também o que explica a iliteracia económica e ética da sociedade como um todo, causando e agravando a nossa secular dificuldade para criar riqueza e valores.

O “sonho americano” poderá não passar de uma conveniente mitologia para uma nação acabada de formar e carente de recursos humanos, todavia contém um ideal de realização onde o erro é bem-vindo, aproveitado e até requerido. Na América, quem erra está a tentar atingir algum objectivo, primeiro e fundamental mérito. Quem erra está a aprender com o erro, noção optimista que os erros seguintes tornarão cada vez mais clara até se tornar evidente ao se alcançar o sucesso. É uma axiologia adequada a modelos capitalistas onde a oferta de trabalho e as oportunidades de negócio abundam, onde a comunidade recompensa os persistentemente competitivos. Para dar um singelo exemplo desta dinâmica na área mediática, recorde-se o recente e espectacular fracasso de Conan O’Brien no The Tonight Show, um dos mais antigos e carismáticos programas televisivos norte-americanos. Tendo assinado o contrato para ser o próximo apresentador 5 anos antes da data prevista, e esperando-se que por lá ficasse durante 15 ou 20 anos, saiu de rastos pela porta baixa ao fim de 6 meses e foi substituído pelo mesmo Jay Leno que tinha substituído. Inimaginável. Só que também 6 meses depois já estava recomposto, activo e com a sua marca pessoal ainda mais valorizada. O espírito americano no seu melhor.

Nicolau Santos foi quem se enterrou mais com o maluquinho da ONU, arrastando outros consigo e maltratando as empresas onde exerce. Os ranhosos agora não lhe largam as canelas, tendo entrado em êxtase com a oportunidade de saírem à rua e ladrarem a quem passa. Pelo que importa pensar no que o homem do lacinho poderá e deverá fazer nesta ingrata situação. Quanto ao que poderá fazer, não faço eu a mínima ideia. Já quanto ao que deveria fazer, não tenho eu a mínima dúvida. Seria criar uma rubrica intitulada “O aldrabão que se segue“. Cada texto, ou programa, começaria por uma fórmula que vou concretizar num exemplo retirado da actualidade:

O aldrabão que se segue chegou a primeiro-ministro mancomunado com variadíssimos aldrabões que lhe deram empregos e dinheiro a ganhar e só depois de aldrabar um país inteiro numa campanha eleitoral onde prometeu aldrabices atrás de aldrabices. Lembremos como foi.

Nicolau, já fizeste o tirocínio para seres o maior especialista vivo em burlões, impostores, vigaristas, intrujões e escroques. Não pares agora, a tua missão ainda mal começou.

31 thoughts on “Nicolau Santos e o aldrabão que se segue”

  1. Hehehehehe,

    Nem de proposito, ando a reler alguns classicos menores franceses. Ca vai um pequeno trecho que ilustra bem o que dizes (não interessa quem é o autor, a tradução é oferta da casa) :

    “Talvez o homem se orgulhe mais de vencer por feliz sorte, do que de jogar bem. E’ o que exprime a palavra felicitar. Com efeito, quem felicita louva o sucesso, não o mérito. Ideia antiga do favor dos deuses, que sobrevive aos deuses. Caso o homem não fosse assim, ha muito que reinaria a justiça igualitaria, pois ela não é dificil. Mas o homem não gosta muito do que não é dificil. César reina pela ambição de todos. E’ a nossa esperança coroada.” (3 de Outubro de 1911)

    Boas festas a todos

  2. Já agora, gostaria que alguém , que saiba, me possa desfazer uma duvida:
    foi ou não, o burlão, também, recebido pelo governo e pela presidencia ou não?
    Ontem li várias noticias, mas os textos eram inconclusivos…

  3. Excelente post Valupi que mais uma vez justifica, apesar dos 9º, o acto de calçar as pantufas, vestir o roupão e passar pela montra da Pharmácia.

  4. Lamento o sucedido a Nicolau Santos. A par de Ferreira Fernandes, Fernanda Câncio, Marinho e Pinto, Miguel Esteves Cardoso e claro está o Val, não deixo de ler os seus artigos. Gosto de aprender e é com pessoas destas que se aprende algo. Nicolau Santos não precisa de se recompor. Tem aptidões suficientes para sair por cima disto tudo. Não lhe vai acontecer o mesmo que a Conan O’Brien porque Nicolau Santos faz falta ao Expresso e ao Expresso da Meia-Noite. E este não seria o mesmo sem ele. Excelente artigo Val. Desde já uma boa passagem de ano.

  5. Se o burlão não foi, efectivamente, recebido pelo governo e por Cavaco, o Nicolau tem o Relvas à perna e não vai haver Balsemão que lhe valha. Pode começar a procurar emprego. Melhor: pensar em emigrar.

  6. para ouvirmos verdades nas tvs,temos que recorrer a burlões ,por que dos serios da nossa praça nada podemos esperar.para prenderem o dr. batista,tem tambem que prender passos coelho que aldrabou milhoes de portugueses com as consequencias que e todos estamos a sentir na pele.Obrigado nicolau santos, por nos ter posto a ouvir verdades vindas de um aldrabão,por que dos serios que vão à tv pouco nada de novo podemos esperar, ouvi, que alguem vai indagar o negocio dos alemaes que estão a pagar 50 mil milhoes a um juro de 1%.

  7. Val, acho que hoje o seu texto sai um pouco “à côté de la palque”, porque, se é verdade que o Nicolau Santos se precipitou ao aceitar de bandeja o “homem da ONU”, não é por este “caso” que ele deixa de ser um dos melhores jornalistas com uma honestidade intelectual cada vez mais rara no nosso panorama dos media!
    E, como ele, eu achei o discurso do “homem” tão coerente e tão claro no que diz respeito à problemática da Zona Euro e à fraude em que o nosso país está envolvido por única responsabilidade dos ALDRABÕES QUE NOS GOVERNAM!
    Só espero que o Balsemão não aproveite para afastar o N S do Expresso – se assim for, deixarei de comprer mais um jornal.

    Já que apareci aqui hoje, quero desejar a si, Val, cujas aspirinas tomo todos os dias, tudo o que possa vir de bom em 2013. E também para todos os que visitam esta farmácia de espirito aberto e positivo.

  8. é claro que se o nicolau aceitou sem pestanejar o baptista foi porque as ideias veiculados pelo baptista iam ao encontro às do nicolau. e esse é um dos grandes problemas do nosso jornalismo de caracácá: já que não fica bem andarmos constantemente a debitar as nossas opiniões então arranjamos tipos que o façam por nós. o crespo é um caso gritante ao promover tipos básicos como o cantiga. o nicolau e o expresso podiam agora ficar-se pelo reconhecimento da falha em vez de alinharem no coro de linchamento público que decorre actualmente, para gáudio desta direita que é perita nisso. até porque ninguém verdadeiramente replicou, no terreno das ideias (coisa foleira!), ao homem…

  9. Uma ingenuidade não é um defeito, até pode ser uma grande qualidade. O Nicolau cometeu uma ingenuidade ao acreditar em mais um “economista”. Num mundo como o nosso, as fraquezas podem ser virtudes e, sem qualquer dúvida para mim, é o caso.

    Bom Ano Novo para si, Valupi.

  10. Este regime deve estar a chegar ao fim.

    Foi com um burlão que terminou a 1ª República depois de vários anos de baderna.

    O que se seguiu «salazarismo» caiu por acidente de uma cadeira.

    Como agora não à cadeira, e o «anti-salazarismo» deu azo a tantos burlões:

    O Batista,

    aquele da TAP conforme veio assim foi,

    O BPN, as fundações, o museu Berardo…

    Os empreiteiros dos Viadutos estradas e túneis,

    Com tanto burlão, adivinha-se que a coisa está para breve…Bruxelas e em alemão ouviremos.

  11. joão viegas

    Fiquei curiosa acerca do autor das frases. Tenho uma ideia diferente, mas posso estar fora do registo. Onde fica o gosto pela dificuldade gratuita?

    :)

  12. M.G.P.MENDES, não me pronunciei, sequer atrás de uma vírgula, a respeito do talento e currículo do Nicolau Santos. Mas ele não tem escapatória possível senão a de assumir um erro que entra para a História do jornalismo português, quiçá europeu. Logo, o que interessa é salvar o que há a salvar, o qual é precisamente o seu futuro. Obviamente, nisto tudo o que é decisivo é o que ele pense a respeito de si mesmo e do processo que originou o caso, não o que as vozes da multidão dizem ou deixam de dizer.

    Agradeço e retribuo os votos, os quais estendo ao João Viegas, ao Manuel Pacheco, à Leonor Pinto e aos restantes amigos que enchem estas catacumbas de vida e alegria.

  13. o Nicolau Santos é um fantástico jornalista. Enganou-se, foi ingénuo, mas nada de mais, um erro é um erro, e uma carreira é uma carreira.
    Infelizmente a tentação da caça às bruxas leva tudo, porque caso contrário haveria muito a explorar, por exemplo: como é que os homens do governo falam e agem como burlões e os burlões falam como homens de Estado..

  14. Eu adoro o Nicolau ao mesmo tempo que desprezo o brutamontes Henrique Monteiro e ignoro o “petit” ricardo costa, o crespo e outros testas de ferro do “PARRAIN”. o Nicolau Santos não foi enganado, quando muito o homem da confraria do Bacalhau, que o conhece bastante bem como constatei na conferencia do Grémio Literário onde estavam os trutas da Economia, embevecidos, que pululam nas televisões sempre a fazer previsões erradas, como o Gaspar que eles adoram. o Artur Baptista da Silva, limitou-se e repetir o que se diz em surdina na ONU sobre a politica de austeridade absolutamente errada da UE e do ECOFIN, Este parecer que existe mesmo na ONU, mandado fazer pelo presidente da mesma, está em segredo e só era conhecida por meia dúzia de pessoas. Como este homem teve acesso ao documento não sei, mas se o Durão Barroso, o Mário Draghi e pouco mais na Comissão Europeia o conhecem, não é muito dificil saber como ele teve acesso ao Processo. É mais fácil saber do que descobrir quem dá ou vende aos jornalistas os documentos em segredo de Justiça. Ouvi o homem, gostei, paguei 30 Euros, que vou pedir ao organizador ou então ele tem de ma dar um bom bacalhau da Noruega. Nicolau, se ler este minha parolice receba os meus parabéns, pois você é dos poucos grandes Jornalistas Portugueses junto com o Jorge Vicente Silva e o Vieira, depois da morte do querido BETTENCOURT REZENDES. Obrigada, pois vergonha foi convidar o nojento e horroroso Henrique Neto o patrão mais ressabiado de Portugal.

  15. Mas ele não escapou a assumir o erro:
    “Pelo facto, peço desculpa aos leitores e aos espectadores por este falhanço profissional inadmissível ao fim de 32 anos de jornalismo”
    “http://www.dinheirovivo.pt/Economia/Artigo/CIECO083000.html

    Diz que a felicidade está dentro de nós e não fora; assim fico mais à vontade, sem soar a despropositado: Feliz 2013, Val!

  16. Prezada mdsol,

    O autor que citei é o filósofo francês Alain (cujo verdadeiro nome era Emile-Auguste Chartier, veja http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%89mile-Auguste_Chartier). É tirada dos “Propos sur le bonheur”, obra cuja leitura recomendo sem hesitações.

    Não tenho nenhum problema de princípio com citações. Apenas alguma desconfiança, própria de um estrangeirado, em relação à tendência portuguesa para o abuso de citações, que faz com que muitas vezes a citação seja apreendida como uma chamada de atenção para tudo o que não seja aquilo que é dito (ou escrito).

    Boas festas e um óptimo ano para si.

  17. edie, não me referia a essa forma de assunção, que é do conhecimento geral. Remeto é para o contexto destas conversas e para o facto de ele não poder (nem dever!) escapar às variadas consequências do episódio. É por isso que a forma como irá reagir está envolta em incógnitas, apenas sendo certo que a direita ranhosa (não a direita decente) não o irá largar mais enquanto ele tiver protagonismo público. A partir daqui, vários cenários são possíveis. Por mim, gostava que ele, por ter mesmo caído ao comprido, aproveitasse para apanhar algo do chão. Talvez um calhau. Mas não para o mandar contra a Assembleia da República.

  18. Entendido. Espero que não se desvie do caminho que está a fazer, lá por ter trambolhado. Aí fica com a direita manhosa à perna, na mesma, mais os restantes…

  19. Aldrabões que dizem verdades, honestos analistas que debitam aldrabices? Venham mais burlões destes…

    Os lugares cativos na comunicação social estão repletos de gente “honesta”. Nicolau Santos foi enrolado, mas prestou bom serviço, dando voz ao maluco da aldeia. Como já alguém disse, fez serviço público. Há coisas que só os malucos da aldeia sabem explicar.

    Força, Nicolau, deixa-te enrolar mais vezes.

  20. mas afinal qual é a diferença entre um burlão que andou por aí a enganar a maralha que se especializou a desmontar Sócrates e não percebeu que estava a ser enganada, com este e outros que andam por aí a enganar o povão aos domingos á tarde ou noite ?

  21. Uma coisa é cair no conto do vigário, e só cai quem é ganancioso. Outra coisa é cair e depois dizer aos outros que caiam também, do género ” o Governo devia ouvir o Dr. Artur da Silva “. A isto chama-se ser otário. Já para não falar em mau jornalismo pois para tratar de assuntos tão sérios, deve informar-se de quem nos aparece pela primeira vez pela frente e a Internet resolve em cinco minutos esse problema, mas claro se formos gananciosos nem precauções tomamos.

    Senhor Nicolau, óbviamente… Boas Festas.

  22. oh campus! o que é que te leva a discordar das teorias do sr. silva? se conseguires argumentar qualquer coisa que faça mais sentido daquilo que o homem apregoa, consegues a proeza qua ainda ninguém alcançou e um ganda contributo para a democracia. se a ideia é desvalorizar o que o homem disse desmascarando aquilo que ele é, o otário és tu. já agora explica aí ao pessoal porque é que o curso do relvas é melhor do que o deste gajo e qual deles é que merecia estar na cadeia.

  23. Caro ignatz, comprendo o seu desconforto. Não me leve a mal mas anda baralhado, não quero saber das teorias do silva que além de aldrabão é assassino. O meu texto visa o Nicolau que gosta de malhar no Governo, por favor leia novamente.

  24. oh campus! logo agora que eu te ia lembrar que o sr. silva foi director de uma escola privada do ex-genro do cavaco é que vens com lamúrias sobre as malhações do nicolau ao governo, atão e quando o gajo se atirava ao governo do socras era bom? bem sei que afastar incómodos ao ritmo de um por mês é um bocado lento, para implantar o regime de opinião única do relvas, mas estamos no bom caminho. tamém ainda não falimos, mas já falta pouco.

  25. Chegámos ao cerne da questão do campus :”O meu texto visa o Nicolau que gosta de malhar no Governo, por favor leia novamente.”

    Confirma a previsão do Val: “apenas sendo certo que a direita ranhosa (não a direita decente) não o irá largar mais enquanto ele tiver protagonismo público. “

  26. Caro Ignatz, nota-se que anda perdido, mas aproveite pois edie vem em seu auxilio. Esqueça o outro aldrabão e foque-se no nicolau, o que foi embarretado, mas que ao que parece não se importou muito, aquilo parecia música celestial, olhem a cara embevecida do nicolau a ouvir o aldrabão. Custa muito voltar à realidade, ainda para mais, com amigos como o val com os seus conselhos “nicolau não pares agora, a tua missão ainda mal começou.”

  27. oh campus! o nicolau foi embarretado e reconheceu o facto, já o piroso das bjekas, o ex-iberoman e o outro moçoilo que argumentava 6% de crescimento no tempo do botas, parece que nem sequer estiveram no pugrama, ouviram rien e jamais se embrulhariam num debate com um assassino, aldrabão e burlão que trabalhou para o ex-cunhado do cavaco como director do piaget. o gajo embarretou 1/2 mundo, mas pelos vistos só deste pelo nicolau, que é incomodo para o governo

    toma lá o link do grémio onde o cromo aparece como supra-sumo da barbatana
    http://www.gremioliterario.pt/iniciativas.php
    este é para veres quem avaliza a credibilidade do show
    http://www.gremioliterario.pt/honorarios.php
    e esta é a lista dos responsáveis que se deveriam demitir
    http://www.gremioliterario.pt/corpos_sociais.php

  28. Muito obrigada, joão viegas. Quando tiver oportunidade tentarei ver a obra que cita. Retribuo os votos de bom ano. :)

    Já que estou com as mãos na massa (sou muito poupadinha, como mandam os actuais senhores “do alto”) aproveito para desejar aos autores e leitores do Aspirina B um ano muito, mas muito melhor, do que o que andam para aí a preparar.

    :)))

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.