Não há uma segunda oportunidade para salvar à primeira

Portas devia estar a preparar-se para viabilizar o Orçamento caso a estupidez de Passos e equipa levasse à irracionalidade consumada, surgindo como o salvador de última hora. Assim, aparecerá a dizer que o PSD é cúmplice dos socialistas e da austeridade. Mas o importante não está nesta congénita hipocrisia, antes numa outra ponderação: se o CDS não serve nem para aproveitar uma tão escancarada oportunidade de marcar a diferença à direita, bastando-lhe ter avançado para a aprovação do Orçamento assim que ficou claro ser Passos completamente incompetente para liderar a oposição, então não serve para nada de nadinha de nada.

Outra questão é a do interesse nacional, o qual pede o acordo com o PSD, preferencialmente. Donde, para Governo e PS, acordo com o CDS só no desespero final.

14 thoughts on “Não há uma segunda oportunidade para salvar à primeira”

  1. Não dá vontade de rir que o PSD tenha chegado a esta cena da negociação… para se abster? Das duas uma: ou apresenta propostas, aceitáveis para o governo, que cortem mais na despesa para compensar o menor aumento do IVA que pretende e aí não se percebe porque não aprova (sem ser pela via da abstenção) o orçamento, ou não, e então nem valia a pena ir a jogo (vinculando-se, de certa forma) e mais valia ter declarado que se abstinha (como propuseram muitos no PSD), não tendo nesse caso qualquer interferência num orçamento que nunca será o seu.
    Parece-me que vai haver sarilho na primeira hipótese – fim das obras públicas (e as indemnizações, senhores?), despedimentos na FP, etc. plausivelmente serão as exigências dos negociadores do PSD.
    Os governos minoritários e sem coligações, dão nestes impasses. Espero que me engane e que Sócrates esteja, sim, a dar a mão a PPC para o tirar da embrulhada em que se meteu e ao país, uma vez que, de qualquer maneira, teria de deixar passar o orçamento.
    O CDS anda muito calado.
    Este thriller não é para velhos…

  2. será pedir muito aquilo que o psd exige saber?
    o ps não é o dono do dinheiro publico para se atrever sequer a nem prestar contas ao país
    bem sei que querem arranjar um argumento para mais uma vez se vitimizarem, mas parece que desta vez estão fodidos e nem a ordinariçe habitual dos seus dirigentes nas constantes provocações e insultos os salva

  3. Ai… ai… Burns,

    Aqui ainda podes deixar todo o teu fel contra o PS e o Governo de Sócrates.

    É pena que os do teu partido no Albergue Espanhol, cortem os coments de

    de quem não é por eles…

    Assim se vê a asfixia democrática de todo o “psd”, em letras pequenas porque

    não merecem mais…

    Direita “caceteira” é assim que funciona…

  4. “se o CDS não serve nem para aproveitar uma tão escancarada oportunidade de marcar a diferença à direita, bastando-lhe ter avançado para a aprovação do Orçamento”

    Grande Valupi, eu acho é que deviam fechar o Parlamento, poupava-se dinheiro nos deputados, e tempo com as votações …

  5. Será que percebi bem Penelope. O Sócrates vai tirar o pais da embrulhada que o Coelho provocou?!?!??! Anda tudo louco….

  6. Claro que o CDS serve para alguma coisa. Serve para esperar tranquilamente que o PSD ganhe umas eleições e possa coligar-se de forma a chegar ao Poder, quanto mais depressa melhor. Ainda ontem, no Expresso da Meia-Noite, me fartei de ouvir que é essa a alternativa ao governo monopartidário do PS.

  7. Adolfo Dias: Não, aparentemente, Sócrates disponibilizou-se para tirar PPC da embrulhada em que o próprio PPC se meteu com a imposição de condições em Agosto, com o início de negociações e o abandono das mesmas, com a transformação das condições em pressupostos, ou sugestões, ou propostas (consoante os dias ou o porta-voz), com a aposta na meta de 9 de Setembro para as eleições (!), com a ideia de uma “emenda constitucional” para poder haver eleições em Janeiro (!), com a batida em retirada dos seus próprios criadores- Nogueira Leite e Ângelo, tudo isto no meio das pressões internacionais para que o país aprove o orçamento. É ou não uma embrulhada, que seria evitada com calma, bom senso e maturidade? Porque a questão é: o PSD quer mesmo que o orçamento não passe? É que, se quer, não parece.

  8. Obviamente que não quer Penelope, quem quer que o OE não passe é o Governo, tem feito de tudo para que ele não passe. Quem chama nomes aos “parceiros” de negociação, não parece ter vontade de negociar.

  9. Adolfo: Apesar dos “nomes que foram chamados” (já agora, quais, s.f.f.?) foram sentar-se à mesa, não? O governo não quer que o orçamento passe? Essa é muito lisonjeira da sua parte. Significa que, em eleições, estarão certos de ganhar… maioria absoluta.
    E, a propósito, quem passa a vida a apelidar o governo de incompetente e de vigarista?

  10. Vigarista nunca ouvi, já incompetente é normal. Todos nós, na nossa profissão, podemos ser apelidados de incompetentes, isso é normal. Quanto ao facto do governo não querer o OE aprovado, admito que é uma especulação, mas faz todo o sentido, afinal, caso o OE não fosse aprovado, Sócrates poderia renunciar ao cargo, e acusaria PPC de provocar o caos politico, acho que é óbvio. Quanto às próximas eleições, Sócrates já não estaria na corrida, o próximo no PS que se “desemerdasse”, até já existe um a figura que se vai demarcando do “lider”, não quer estar comprometido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.