Não gastemos o rico dinheirinho com os tribunais, a PJ vai acabar com a corrupção em dois ou três anos

“A corrupção em Portugal atingiu não só diversos sectores de actividade económica, mas também os mais variados serviços públicos. Estamos a prender um corrupto de três em três dias. Nos primeiros 11 meses do ano detivemos 119 pessoas suspeitas desse crime.”

Almeida Rodrigues, Director da Polícia Judiciária

Vamos admitir que o jornalista publicou as palavras exactas de Almeida Rodrigues. Se sim, então o Director Nacional da Polícia Judiciária manifesta desconhecer o que seja o Estado de direito. Porque considera que a PJ “prende corruptos” e à média de 1 a cada 3 dias. Que esses “corruptos”, afinal, não passem de “suspeitos” na altura da sua “prisão” é distinção demasiado subtil para um durão da PJ sequer reparar nela. Se estão a ser varridos do mapa, transmite este Almeida, é porque estão cheios de porcaria, são lixo.

No mesmo artigo aparecem umas contas que permitem saborear ainda melhor este naco de cultura policial tão do agrado do zeitgeist e da indústria da calúnia que goza de impunidade total em Portugal ao ponto de nem sequer os seus crimes serem investigados. As contas estão feitas, as ilações ficam para quem as apanhar:

De acordo com o relatório divulgado nesta sexta-feira pela Procuradoria-Geral da República, nos anos judiciais de 2014/2015 e 2015/2016 foram registados 3360 inquéritos relativos a crimes de corrupção e criminalidade conexa (abuso de poder, administração danosa e branqueamento, por exemplo). No mesmo período temporal foram deduzidas 297 acusações e arquivados 1673 inquéritos, tendo sido aplicado o instituto da suspensão provisória do processo em 129 inquéritos.

8 thoughts on “Não gastemos o rico dinheirinho com os tribunais, a PJ vai acabar com a corrupção em dois ou três anos”

  1. E seu te disser valupizinho que o director da PJ tinha de ser um magistrado até o Governo de José Sócrates ir buscar este antigo coordenador de investigação criminal ao interior da própria PJ para a liderar? Quais te parecem as vantagens da mudança de paradigma?

  2. Que eu saiba a Polícia Judiciária e qualquer outra não prende! Detém. Quem tem a especialidade de prender são os juízes.

  3. detiveram 119 nos primeiros 11 meses do ano
    registaram-se 3368 inquéritos em 2 anos
    deduziram 297 acusações em dois anos
    parece que consideram corruptos os que foram acusados e mais nenhuns , se não diriam que detiveram praí 1500 , metade dos inquéritos dos dois anos , nom ? :)

    pois , li assim os números. também podia ler que de 3000 e tal inquéritos deduziram uma “ninharia” de 297 acusações. mas gostava de saber se a cada crime de que um tipo/a é acusado/a ( pode ser acusado de vários ) corresponde um inquérito ou se é só um para o conjunto de crimes.

  4. O careca maléfico é mesmo aldrabão e mentiroso. Sempre a usurpar competências no SNS e na Escola Pública.
    E então, não aparecem mais exactidões exactíssimas?
    O que vale é que o Simões, que também o topa à distância, cortou-lhes as vazas e pôs os pontos nos ‘is’.

  5. Olha Cantaril

    Ao Valupizinho não sei o que parece mas a mim parece-me que está encontrada mais uma razão pela qual os Magistrados têm raiva ao Sócras.
    Atão o gajo atreveu-se assim a tirar-lhes a Direcção da PJ das unhas ?

    …e se calhar é por isso que a PJ “prende” que se farta, e graças a ela até se vai acusando qualquer coisinha, …
    e por outro lado, que talvez por isso mesmo o Rosarinho não quis a PJ a investigar o Sócras … gajos muito hipercinéticos e que ele não controla.

  6. Deus, PJ, Autoridade.

    E se houver algum problema na média o inspector Antunes vai ali fora a rua num instantinho e prende mais meia centena de corruptos que costumam passar no Conde Redondo.
    E incrível como o discurso securitário e totalitário fez norma, isto não é proprio de uma sociedade de direitos mas ok quando um PM decide dar um ministério a um órgão de poder não eleito e mais ou menos isto q acontece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.