Não é trapalhada, é método

O que se está a passar no ping-pong entre Governo e FMI a respeito dos números da redução dos salários foi previsto ir acontecer ainda antes do chumbo do PEC IV. Uma das vantagens para o PSD da entrada dos credores como soberanos seria esta mesma de ter sempre desculpas para qualquer medida de austeridade que o plano de empobrecimento a mata-cavalos pedisse. Outra está aqui obscenamente exposta:

O Jornal de Negócios noticia, na edição desta quarta-feira, que o FMI terá feito uma comparação deturpada da evolução dos salários de dois anos específicos (2009 e 2012), pelo facto de a amostra em causa (facultada pelo Ministério da Segurança Social) deixar de fora milhares de referências a cortes nominais nos salários.

O ministério contrapõe que, “no caso dos dados fornecidos ao FMI”, estes “corresponderam exactamente ao que foi solicitado por esta entidade”. “São apenas um subgrupo da informação completa, como era do conhecimento do FMI” e, por isso, “são dados parciais”.

“É uma metodologia seguida em que, contrariamente ao que é avançado pela Comunicação Social, não escamoteia quaisquer dados, tendo sido inclusive utilizados em apresentações públicas ao longo de 2012 dentro do contexto em que se inserem”, acrescenta o ministério.

Fonte

7 thoughts on “Não é trapalhada, é método”

  1. “Não é trapalhada, é método”, uma vez que estão a usar a mesma tática dos famigerados swaps. Os meus são os bons e os teus são os maus. Mas não fosse o diabo tece-las, e como o seguro morreu de velho (não confundir com o Seguro do PS), a sra. Ministra mandou destruir a papelada de trabalho dos últimos 3 anos, mesmo contrariando a Lei. Ficou só o Relatório, por ser favorável à sua história. Pela pressão da rua e por medo, deixaram cair a TSU. Mas ela aí está de novo com pezinhos de lã, mas com outro nome. Agora chama-se descida do IRC. São só uns módicos 300 milhões de euros, que vão ser transferidos para cerca de 27 empresas, as maiores contribuintes. Inevitavelmente que estes milhões, terão de ser compensados em termos de receitas no Orçamento. Já se sabe
    onde vão ser os cortes: saúde, educação, apoio social, investigação, reformas, etc. nos mesmos gastadores de sempre. Aqueles que tem tiques de ricos…

  2. para esta gentalha o detetor de mentiras não é necessario.mentem à descarada e em vergonha.como há muito vigaro neste pais, esta politica tem apoios! só depois da “inês” morta, e´que a generalidade dos jornalistas vai chamar os bois pelos nomes!que os pariu.

  3. São os estarolas no seu melhor, expeditos, espertos com olhos rasgados até à
    nuca, mentiram para alcançar o Pote, todos os dias mentem para disfarçar a sua
    atroz incompetência (vejam as lições do moedas na fatalidade de Verão do PSD e,
    o que se está a fazer na Educação)!
    Para quando um verdadeiro murro na mesa? Portugal está transformado numa
    república das bananas … a Justiça não funciona, o presidente está distraído e não
    há meio de apresentar a resignação e pedir desculpa aos portugueses!
    Por favor … não perguntem qual é a pressa???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.