Much ado about nothing

PSD e CDS começaram a nova legislatura com a cassete da maioria parlamentar e de como o Governo tinha de se sujeitar às novas regras. Entretanto, o Governo preparava a elaboração e aprovação do Orçamento desde a primeira hora após ter tomado posse. Chegada a hora da verdade, PSD e CDS tiveram juizinho.

Fica como um dos maiores enigmas da política nacional isto destes dois partidos só terem juízo uma vez por ano, ou menos.

6 thoughts on “Much ado about nothing”

  1. É que bastou uma pequena observação de que o governo se demitiria para que desaparecessem todas as questões que impediam um acordo com o PS.
    Até faziam fila de espera e tiravam a senha da vez…
    Afinal quais foram as cedências? Onde estão elas?
    Obras Públicas? Népias
    PEC? Ainda não foi desta
    Quotas e escalões para professores e demais Função Pública? Zero
    Cheque ensino? Talvez mais tarde
    Rendimento Mínimo ? Um dia talvez, logo podendo…
    Polícias aos molhos? Tomamos nota
    Dinheiro em barda para a Madeira? Isso vê-se mais tarde, em podendo
    Barragens? Quando estiverem cheias a gente reune-se e toma banho
    Afinal quais eram os obstáculos intransponíveis?
    Do que eles têm medo, muito medo é de que um dia o PS se chateie e os mande governar só para ver o efeito…

  2. Não é enigma nenhum, Valupi. É o terror de que o governo se demita, seja obrigatório convocar eleições, o PS ganharia quase de certeza outra vez e, muito importante, tudo isso prejudicaria, e muito, a releição de Cavaco.

  3. Socrates tem as cartas todas na mão. As suas opções condicionarão o futuro politico do país no médio longo prazo. A reeleição de Cavaco obrigou a esta negociação”fantoche” por parte da direita. Existe no entanto uma carta fora do baralho, PPCoelho que esperto já veio avisar que com ele Cavaco não mandará no PSD, por isso este será o ultimo orçamento antes da reestruturação do PSD e da direita e que o PS poderá “amedontrar” com a instabilidade politica. Com PPCoelho o CDS/PP tenderá a voltar aos resultados residuais (como já se viu pelas entrevistas dadas) e o PSD crescerá à direita e ao centro.O PS não pode alienar o centro esquerda e tem que entrar pelo BE e PCP adentro o que será facil dado o programa desregulador de PPcoelho juntando-se-lhe o voto util.

  4. Mas não deixaram de trabalhar nos bastidores, como tanto gostam.

    Este fim de semana, um semanário alemão publicou uma noticia onde dava conta de várias situações problemáticas ao nível da politica interna portuguesa. Falava da classificação que as agência de rating atribuem e Portugal, e espante-se, falava de casos graves de corrupção em Portugal mencionando objectivamente o Freeport (naturalmente chamando a atenção para o suposto envolvimento do PM no caso) e do Face Oculta.

    Casos como BPN e BCP, não foram abordados nem por sugestão.

    Se isto não é trabalhinho desta oposição medíocre, eu não sei o que será.

  5. Não espanta as notícias irem parar ao tal jornal alemão. Então a Dª Manuela não foi ao beija-mão à Merkel antes das eleições? E os casos BPN e BCP não envolvem figurões graúdos do PSD ? Claro , só interessa o Freeport, e o Face Oculta, os outros são “lana caprina” (que tal o latinorum?) . Só nesta terrinha , só nesta terrinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.