Má sorte, ser um imbecil na esquerda imbecil

Ser imbecil é chato. E ser da esquerda imbecil é galo. Mas ser um imbecil da esquerda imbecil, indo para a cama com a direita reaça e salazarenta, alinhando nas campanhas de assassinato de carácter de Sócrates, passando ao lado de um tempo na História de Portugal em que a democracia se vê ameaçada a partir da instituição suprema do Estado, já não tem nada a ver com imbecilidade. É muito pior.

34 thoughts on “Má sorte, ser um imbecil na esquerda imbecil”

  1. É proverbial a cegueira política da esquerda desmiolada.

    Os imbecis da esquerda desmiolada dão para tudo. Deram o seu concurso à génese de movimentos anti-semitas e fascistas em França e noutros países. Foram para a cama com os fascistas, quando não se tornaram fascistas. Serviram, aos milhares, de idiotas úteis aos partidos comunistas de todo o mundo, acabando muitas vezes, e bem, por ser vítimas deles. Adoptaram a acusação de «social-fascistas» feita aos social-democratas europeus, acusação inventada por Moscovo nos anos 30. Sempre viram nos socialistas democráticos o seu maior inimigo, porque lhes invejam o apoio popular e não aceitam nem compreendem o seu socialismo, que consideram falso. Como verdadeiros imbecis, acham sempre que os eleitores socialistas andam enganados, porque não aderem à sua verdade desmiolada.

    Não há nada a fazer, senão denunciar a sua imbecilidade, pois a doença não tem cura.

  2. O que o Compincha Zé castro queria dizer é que é um vergonhoso Alarve, conforme referência ao tacho. E realmente o Valupi teve uma esmerada educação, ou o Zé ficava à porta.

    ALARVE: comportamento esfaimado; sempre faminto; insaciável

  3. bem, não sei se isto é sobre o Louçã mas não concordo. A minha inimiga é a ferrugenta e o cavaquismo não tanto pelas pessoas mas pelas mentalidades e atitudes que representam. Que eu saiba o Loução foi o único político com responsabilidades (deputado e líder) que disse que cavaco não estava à altura do cargo que exercia, a propósito deste caso nojento das “escutas” e do Público. Ora é bom que alguém diga isto e eu creio que ele foi o único nesta altura do campeonato. Já outra coisa é que não posso votar Bloco enquanto se mantiver esta posição. Têm uma semana para introduzir uma deixa que permita concluir que o BE está disposto a uma plataforma de convergência com o PS a bem de Portugal, e terão, porventura, o meu voto. Senão não.

  4. alarde
    s. m.
    1. Ostentação apregoada (com o fim de intimidar).
    2. Por ext. Ostentação; aparato, vanglória.

    Compincha? Já mijámos juntos? Não me lembro de ma teres sacudido!

  5. Nik, nem mais. Mas acredito que a doença tem cura, havendo remédio…
    __

    Zé castro, larga o vinho.
    __

    jrrc, cá na casa segue-se a máxima monacal: quando batem à porta, deixa-se entrar e trata-se como rei, por mais miserável que pareça – pois pode ser Cristo disfarçado.
    __

    Z, não é sobre o Louçã, mas podia ser. É sobre os imbecis na esquerda imbecil. Ora, a esquerda imbecil tem muitos que não são imbecis, tal como há muitos imbecis que não estão na esquerda imbecil. Assim, do que falo é da coligação de comunas e reaças, imbecis e ranhosos, a que se tem assistido na blogosfera.

  6. Ao domingo também se trabalha ó moço de recados. O pior é que tu nem ao domingo nem noutro qualquer, transcreves meros recados e provocações a troco de tacho e colo da ala gay do ps

  7. Val
    Entrei neste blogue com bastante facilidade. Tentei entrar em vários, pediam-me o número da conta, a palavra-chave, não sabia como proceder, sou um leigo na matéria. A primeira vez que aqui entrei, foi a dar resposta a um comentário de José Carmo Francisco, a esse meu texto intitularam-no. “Filho de gente pobre” Fui recebido com carinho e por isso estou bastante grato. De há uns tempos a esta parte sinto nalguns comentários, um certo ataque a pessoas que aqui se expressam com insultos pessoais. Podiam combater ideias mas em lugar disso vociferam impropérios, não sabendo quem está do outro lado, se é idoso, se é culto, se é ignorante, parece que vêem a sua (dele) figura reflectida no ecrã do seu computador ou como na casa dos espelhos, não sabem distinguir a sua cara.
    Vou dar um exemplo:
    Há uns anos um colega meu de baixo porte e magricelas tinha um potente carro – devia de ser o inverso – queria ultrapassar tudo e todos tivesse condições ou não, era o chamado puto reguila, que não tinha civismo para com ninguém, várias vezes o chamamos à realidade mas só interessava as suas conveniências. Numa certa viagem ia atrás de um carro que ia numa velocidade moderada, como o meu amigo tinha pressa para tudo, buzinava, buzinava, não era atendido ou por o condutor não se aperceber ou porque não o queria deixar passar – às vezes faço isso a muitos. Apareceu-lhe uma oportunidade meteu o acelerador a fundo e à que o ultrapassar, sem deixar de ao passar por ele fazer um cesto de dobrar os dedos médio e anelar e endireitar o indicador e mindinho, um gesto com intenções idênticas às do Manuel Pinho. Acontece que chegado a Novelas, freguesia do concelho de Penafiel, a passagem de nível estava fechada, teve de esperar pela sua abertura. Entretanto aproxima-se dele um sujeito de alto porte e com um peso de cem quilos, que lhe disse, não quer voltar a fazer o gesto que fez há pouco. Resposta do meu amigo, fazer fiz, mas pode ter a certeza que nunca pensei que a passagem de nível estivesse fechada. O que se devia fazer perante tal resposta? Deixo à vossa consideração.

  8. estes que vêm com os colos gay têm este problema, que se há-de fazer? Talvez casando, quem sabe…

    Manuel: o Aspirina é que anda muito mansinho agora porque isto era frequentemente sulfuroso e a passar ao sulfúrico num instante. Não fiques incomodado, também é treino de combate, ri-te ou assim.

  9. «indo para a cama com a direita reaça e salazarenta, alinhando nas campanhas de assassinato» Ao ler este pedaço até pensei que a partilha de cama era com os “socialistas”.

  10. Bom, estamos com um imbecil na caixa de comentários dos imbecis da esquerda imbecil. Faz todo o sentido. Neste momento, este mesmo imbecil já assinou como “Zé castro”, “António João”, “Manuel Pacheco” (às 21.31 e 21.39), “Bruno Soares” e “Alexandra Dias”.

    O que é grave, para a salubridade do espaço, é a cópia intencional da identidade de outrem. Por isso, se voltares a repetir a façanha, os teus comentários passam a ser apagados – todos. É contigo. Quanto à invenção e repetição de pseudónimos teus, fica à-vontade. O tempo é teu, faz com ele o que quiseres.

  11. Intelectualóide da treta, este é mais um blogue do partido socialista que é tudo menos um partido de esquerda. Nós portugueses temos boa memória e vamos acabar com o tacho para muita gente (como tu, aposto); vai mais é trabalhar, chupista! és uma merda, e se queres incendiar vais provar do teu veneno!

  12. E apaga o que quiseres. É essa a vossa liberdade há muito; vivemos isso todos os dias nos nossos empregos. E vocês são cada vez mais a mamar à conta no nosso suor. Na minha casa somos cinco pessoas e ninguém vai votar PS; este partido nada tem de socialista. Não queremos gente falsa no poder, temos boa memória. Queremos a democracia de volta.

  13. “Nenhum de nós deve ter o direito de proibir os fascistas, os comunistas, os racistas, ou os idiotas mais perigosos de se organizarem em partidos”.

    A estupidez não é um crime (mesmo a estupidez do Zé Castro).

    A esquerda (Soviet)PCP e a Esquerda Caviar(BE) representam o passado, estes partidos são manifestações tristes de recusa em compreender o mundo em que vivemos.

  14. Cassete Zé Castro, Cassete Alexandra Dias, Cassete Cunhal, Cassete Jeronimo, Cassete Louçã…

    Sempre a mesma treta de conversa, inovem… a do camião já é passadista.

  15. Ganhas por este post uma morteirada nos cornos.
    Mas como não tens cabeça levas um balde de merda.
    Só por pensares que ofendes impunemente quem quiseres.
    jojoratazana
    Por viver no meio de tantos ratos, como tu Val.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.