Louçã, por favor

Francisco, Chico pá, venho rogar-te pelas almas de Marx e Trotsky que acabes com a infernal barulheira que não me deixa dormir. Todas as noites, e a noite toda, o fragor do debate interno no teu glorioso partido atravessa as paredes do meu quarto e expulsa o sono dali para fora. Já perdi a conta às vezes em que fiquei horas a escutar brilhantes, apaixonadas, heróicas análises de dirigentes e militantes bloquistas acerca das estupendas decisões que tomaste depois das eleições de 2009. A vossa democracia é mesmo exemplar e o Sol do Mundo porque eles falam livre e entusiasticamente a respeito dos mais melindrosos assuntos. Como a tua extraordinária estratégia para entregar o poder à direita, a tua magnífica visão a respeito do melhor candidato para derrotar um Cavaco enterrado em BPN e escutas, a tua genial macaquice da moção de censura só para dar uma lição aos outros comunas, a tua sagrada missão como chefe insubstituível, por seres o único com três olhinhos num grupo de surdos, mesmo que o partido tenha de continuar a definhar até voltar a ter só dois deputados. Tu e o Fazenda, claro. Quem mais conhece o sentido da História ou estaria em condições de liderar a esquerda grande que mereces e sonhas? Maneiras que venho dizer-te que já chega. Isto é, já chegaram àquele ponto em que se fez luz. Já disseram o que tinham para dizer uns aos outros. Já percebemos. E já são horas de ir dormir, acaba lá com a algazarra.

27 thoughts on “Louçã, por favor”

  1. ehehehehe, muito bom. Mas esqueces-te que o BE é um partido dirigido às camadas mais jovens, pelo que essa discussão foi feita, sim, mas por troca furiosa de SMS. Quando, no final do ano, as operadoras revelarem mais uma subida vertiginosa no numero de mensagens enviadas, já sabes o que foi.

  2. É um barulho infernal,
    ‘té às tantas da manhã,
    quem grita aí no quintal?
    É o c*ão do Louçã!

    É um gajo engraçado,
    contador de anedotas,
    devia ser enrabado
    porque gosta de pichotas!

    Estes tipos do BE
    são uma grande encomenda,
    o Rosas está chéché,
    o Louçã e o Fazenda.

    Aquilo é gente fraca,
    mas gostam de dar nas vistas,
    tudo quanto sai é caca,
    armam-se em xuxialistas!

  3. Eu não gosto do BE; não gosto mesmo. Mas convenhamos: o PS não é um partido de esquerda, “maneiras que” estas críticas fáceis, sem legitimidade, também não caem bem. E ainda há pouco, num outro comentário a propósito d’ “O portador da tocha”, tive oportunidade de aludir a este estilo pseudo-popularucho de se falar de política: é uma coisa de homens mal-formados (e que as mulheres imitam), que resulta clownesco e desprezível. Uma mistura entre um académico e um grosseiro de tasca: é este o tom do Valupi e de tantos outros politiqueiros, da extrema esquerda à extrema direita. Dominam o poilitiquês, melhor que o papa o latim, mas depois querem-se dar ares populares que genuinamente não os caracterizam nem lhes interessam (sinceramente, desprezam-nos e criticam-nos). Uma farsa patética, estes políticos de que dispomos. Querida Angela Merkel, nunca estive tão feliz com as tuas palavras: não vejo a hora de perder a soberania. E não sei porquê, não me sinto assim tão sozinho neste desejo. É que tudo tem limites, e talvez aqueles a vocês se encostam, já tenham sido largamente ultrapassados. Este governo não é competente: quando muito é cumpridor, de um plano político traçado externamente. Se não há mal nisto, porquê o FMI só de vez em quando. Há quem prefira a imbecilidade ao patriotismo, eu escolho a competência patriótica, e que não tem (mesmo) de estar neste retangulozinho infeliz.

  4. oh barbie-saltos-altos! já percebi que és culta, inteligente, loira e de raça superior, só não entendi o que te traz à tasca e ao chulé. já abriram as inscrições na academia linda de suza, ainda vais a tempo para o novo ano lectivo.

  5. Ó Valupi, deixa lá os rapazes andarem felizes a fazer de conta que se importam com o zé pagante e com o estado do País. Afinal são apenas meia dúzia, imagina que eram tantos como o CDS/PP…

  6. A paneleira do anohnimoh (aka a doida oh dos prazeres) volta à carga com tudo menos uma ideia política que o distinga do racionalismo da macaca sexualmente satisfeita, apesar de nunca se esquecer da graxa devida ao socialismo dominante neste blogue. Paneleirona e chula, sempre! O que tu precisavas era com a linda de suza pelo olho acima até te sair uma mama pingante pela boca.

    Que micróbio!

  7. Parece que o avô do bestunto era oficial da Marinha, um tal Anacleto…
    O seu texto, caro Val, não sei por que carga d’água, recorda-me a “batalha naval”: porta-aviões ao fundo!
    Pimba!
    Mesmo no meio do casco!
    É cascar!
    É cascar!
    Se a irresponsabilidade deste mentecapto, deste tal Chico, que se toma a sério e por sério, pagasse a taxa mais elevada de IVA, 23%, amanhã, a nossa divida com a troika, estava saldada.

  8. oh metanos! o teu odor sente-se à distância e faz pendant com a prosápia quase digna de uma produção porno-chunga, vai treinando que chegas lá. tamém dás pelo nome de barbie ou foi solidariedade afectiva com a empregadeca de sapataria?

  9. KALATI MATANOS.

    Ó NAS, tou a ver que és intelectualmente superior, para quando um blog da tua autoria ia adorar ler, eu e o os teus 50% KALATI MATANOS.

    Depois avisa aqui a malta intelectualmente uns degraus mais abaixo.

  10. Oh! NAS por favor ensina aí à gente o que é ser de esquerda.
    Ando nisto há de 30 anos e nunca ninguém me explicou. O PCP diz que é de esquerda, o BE diz que de esquerda é. O PS não tenho dúvidas muito antes do 25 de Abril já era de esquerda. Às vezes o Pepeidocas e o CDS também dizem que têm uns laivos de esquerdalhos.
    de maneiras que parece que até que enfim vem alguém com a douta sabedoria da esquerda.
    Aguardemos, pois, pelo próximo folhetim. Estou ansioso.

  11. Porque é que o NAS não emigra? de vez?
    Por exemplo para Cuba, para a Coreia ou, porque não para a China que conseguiu a proeza de ser o regime comunista mais ultra-capitalista que se criou até agora?

  12. Por vezes, as pessoas nem imaginam o esforço que faço para não ser mais complexo e inacessível… e ainda assim, pago o preço da incompreensão. Mas pedindo desculpa a todos os básicos: mais básico, não consigo ser. Mea culpa. Ou culpa do divino espírito santo que me inspira em cada palavra e em cada pensamento.

    Mas avassalador mesmo é alguém pensar que eu e o Kalimatanos somos a mesma pessoa: é claro que me ri como um idiota quando vi essa sugestão. Gosto muito do que o Kalimatanos escreve, e tenho a certeza de que nos daríamos muito bem; mas não o conheço pessoalmente, e nem eu nem ele certamente, temos intenção de o fazer. Porque as pessoas podem ser amigas mesmo sem se conhecer. Tal como eu nunca fui à China, e adoro aquela gentalha toda a vergar mola para um défice zero. Isso é que é esquerda – daquela que da esquerda à direita todos gostam.

  13. Esqueci-me de uma coisa: é gente como eu que não se vai opor à perda de soberania de Portugal, e antes pelo contrário a vai defender. É bom que se vão acostumando à ideia, tal como se acostumaram à da troika.

  14. “…e adoro aquela gentalha toda a vergar mola para um défice zero.”

    andas a plagiar o castelo branco, o conde, claro.

  15. NAS vou-te explicar devagarinhooooo…

    “o teu 50%”, para mim pressupoe a metade de um casal. eras tu e o KALATI MATANOS, e não uma suposta dupla personalidade.

    Quanto ao te rires como um idiota, foi somente a confirmaçao daquilo que és, um idiota.

    Ah nao percas tempo a responder não quero que te canses a pensar o que vais escrever de uma maneira basica.

  16. Dou-me por satisfeito com a reação. Básica e previsível. Como a política neste país. Não é uma posição otimista; mas eu também desprezo o otimismo.

  17. Sr. JPFERRA (e lá está o hábito popularucho de se achar entre xuxialistas – “vá, toma lá o tu, mano”): não considero a minha reação nem patética nem idiota. Se quiser que eu repita esta resposta, até à exaustão, pode prolongar esta conversa em comentários, o tempo que quiser. Vamos ver quem consegue postar mais vezes a mesma coisa? Que idade tem? 5? 12? Eu tenho 9 anos, e acho que sou capaz de lhe fazer frente. Ou trás. É como preferires, joia. oops, desculpe, estava armado em xuxialista…

  18. Afinal estava à espera que o NAS nos ensinasse, ou melhor, me ensinasse o que é ser de esquerda e vai daí sai-me isto:
    “Tal como eu nunca fui à China, e adoro aquela gentalha toda a vergar mola para um défice zero. Isso é que é esquerda – daquela que da esquerda à direita todos gostam.”

    Também nunca fui à China nem quero lá ir. Mas aquilo é que é um país de esquerda? Há lá eleições ou não? Não houve para lá um massacre numa praça qualquer? É uma democracia ou não? Trabalha-se 8 horas por dia, com salário justo, descontos para a SS ou não?
    Ah! Ter um déficit zero é que é ser de esquerda. Andei eu tanto tempo pensando que os suecos não eram de esquerda e afinal são. Andei enganado estes anos todos pensando que a Alemanha não era de esquerda e afinal é. E a Finlândia e a Dinamarca e o Canadá e o Luxemburgo.
    E sendo assim a Coreia do Norte é de direita, Cuba nem se fala,e a Venezuela também.
    Porra! Eu estava a ver o mundo ao contrário. Peço desculpa aos esquerdalhos por ser tão básico.

  19. ESCLARECIMENTO

    “Tal como eu nunca fui à China, e adoro aquela gentalha toda a vergar mola para um défice zero. Isso é que é esquerda – daquela que da esquerda à direita todos gostam.” – estas frases estão escritas em tom sarcástico e irónico. De certa forma, pretendi ilustrar que a Esquerda tanto pode ser pervertida à Direita, com regimes ditatoriais, como à Esquerda, com regimes neo-liberais. Sim, temos que viver com o capital; mas assim sendo, não vale a pena viver com esperança.

    E obrigado Portuga, por muito simplesmente não ter partido para o insulto básico. Concordo com o que escreveu – a maior parte desses conteúdos são assaz factuais – mas creio ter feito uma leitura demasiado linear (i.e. denotativa) do que eu tinha escrito. Obrigado ainda assim pela educação (é coisa que tem de se agradecer neste blogue).

  20. NAS,

    Como acabaste de ver, a malta que andaste aí a defrontar é tudo gente de arroto e meio: um gajo acena-lhes com uma pena de peito de ganso e vão a correr cheios de medo amochar-se debaixo das saias das mamãs sucio-talmúdicas, ou afastam-se porque precisam de retiro e calma para a preparação dos grandes discursos sobre nicles, ou, se mais esmerados forem, de bitocles.

    Também é possivel que o teu estilo de gentleman os tenha desarmado, pois é preciso cuca para rebater os argumentos de gajos que os desafiam a isso.

    E repara na hiena oh oh, na cronicidade patológica respondona e reguilona do professor encapotado do “pugresso”, chincalheiro das travagens de texto para prolongar orgasmos de caixa. Mandou uma dentada inicial, sentiu o adversário espezinhar com bota de causar dor, e, cobarde que é, foi dar uma volta para ir beber uns copos de suco de nêspera com os rebeldes Alkaidenses da Libia. Tipico.

  21. atão oh tuga! agoras andas no imitanço ou encravaste o neurónio com a brilhantina do metanos e as boas maneiras da pindérica da frente nacional.

  22. Oh oh,

    Já não sabes para onde te voltares, pá. Agora temos PPB (plágio portuga à la brilhantina). Que é isso, cansaço ou falta de água nas planuras arenosas? Queixa-te à bombeira da NATA, filho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.