Porca miseria

Não vi ontem a entrevista a sua excelência. Mas tive ocasião de assistir à autêntica feira de comentadores que teve lugar imediatamente a seguir e que me alertou para a eventualidade de se ter passado algo de importante. Parece que o governo fazia 100 dias e que o presidente queria comemorar a efeméride daquela maneira, à conversa com a Judite de Sousa, aparentemente metendo no meio uma aula de economia e finanças para papalvos.

Mas o que aqui me traz é, em primeiro lugar, o espectáculo do autêntico corrupio de opinadores que, durante três horas, deram lustro às cadeiras dos três canais de cabo. Contei para aí uns vinte e tal! Ia ali uma grande excitação e eu, de repente, achei que este país não é muito normal. Perto da meia-noite ainda se comentava a entrevista?!

Quanto ao que ouvi, no geral em tom crítico, concluí que pouco se extraiu de substancial, que a questão da Madeira foi abordada da maneira previsível, ou seja, por evasivas ou argumentos esfarrapados, confirmando-se a estratégia de fazer eleger o Jardim a todo o custo, ocultando a dívida oculta, até onde foi possível, aos portugueses que a vão pagar, Cavaco dizendo que o homem não é caso único, que tem um estilo muito próprio (ouvi Pedro Santos Guerreiro dizer, com alguma graça, que, mais do que uma questão de estilo, era uma questão de estalo), etc. Que Cavaco tem uma óptima solução para a crise do Euro da qual ninguém se tinha ainda lembrado e que, talvez por isso, apenas a comunica aos portugueses.
Em suma, não perdi nada, como já não esperava perder, diga-se, e os canais de cabo passaram uma noite assaz animada e divertida.

Em segundo lugar, venho aqui dar conta do momento verdadeiramente lamentável da noite: os comentários do PS à entrevista, através de Zorrinho. E que disse ele? Que, bom, foi uma entrevista institucional. Uma entrevista institucional? Pouco mais disse. Ora, tendo em conta as mentiras, ofensas e ataques ao governo anterior (do qual Zorrinho fez parte) e os atentados à inteligência que foram certas passagens da entrevista e também os comentários e críticas posteriores feitas não só pelo Bloco e o PCP como também pela generalidade dos comentadores, isto não se admite. Portanto, claramente havia, quanto às palavras de Cavaco, muito mais a dizer e a oportunidade foi totalmente perdida.
Hoje leio no Público que a actuação do líder do PS e do líder parlamentar no debate de ontem com o governo foi considerada “patética e desastrosa” pelos outros deputados socialistas. Na minha opinião, já vem sendo assim há uns tempos. Para já não falar da ida de Seguro a São Bento para conversar com o amigo Passos…

Esta direcção não vai, não pode ir, longe.

16 thoughts on “Porca miseria”

  1. Desculpe lá, Penélope, mas está a fazer confusão. Aquilo, ontem, não foi uma entrevista; foi um “tempo de antena” que a TVI decidiu oferecer ao Venerando Chefe de Estado para comemorar os cem dias do seu governo.

  2. o actual líder do PS e o respectivo “líder de balneário” só me fazem reforçar a ideia de me abster em futuras eleições.

  3. Partilho da mesma opinião. Começa a ser confrangedor, em particular, a inabilidade para aquela função, do sr Zorrinho.

  4. “Esta direcção não vai, não pode ir, longe.” – iluminação! Que surpresa! Ninguém tinha dado conta disso desde o primeiro momento… Mas será possível que se divirtam e entretenham a fazer de conta que não sabem as coisas? Isso é que é discussão política? É óbvio que o Seguro vai cair, para subir o Assis ou uma coisa do género, que vai perder nas primeiras eleições, e ganhar nas segundas ao já ultra-gasto Passos… Prontos: acabou-se a novidade ó espertalhões. E isto vai ser mesmo assim. Mas enquanto não o for efetivamente, não vai faltar quem (se) tente convencer do contrário. Estupidez humana – perdão, portuguesa – em estado puro.

  5. Cara Penélope,
    lamento informar de que o PS de momento se encontra avariado por motivos alheios à minha vontade, o seu programa seguirá depois de longos momentos em que desesperará, puxará os cabelos e se calhar ainda há-de sair à rua para protestar.
    Eu, cá por mim, creio que sairei também e mais cedo do que pensava.

  6. Algarvio, as se em futuras eleições ambos os líderes (Passos e seu espelho, Seguro), tiverem concorrentes como o António Costa, não te abstenhas, pá.

    (não sei é o que sobrará para governar nessa altura)

  7. Ùltimas:Direcção de Associação Nacional de Farmácias demite-se em bloco: O governo não os contactou/ouviu sobre a decisão de triplicar o efeito penalizador preconizado pela troika.

    Sempre mais além, é o lema, até ficarmos aquém do imaginável.

    Entretanto, o distinto membro da máfia laranja, Isaltino, foi preso. Ao Jardim é que ninguém lhe chega. Tem protecção governamental e presidencial, embora os insulte todos os dias

  8. Penélope, tem de convencer-se, em definitivo, que Seguro se opôs ao PS liderado por Sócrates, durante seis ininterruptos anos. Foi a toupeira da restante oposição a Sócrates. Como espera que agora faça oposição aos “seus”? Bate tudo certo, até a falta de um minimo de pudor desse tal Zorrinho que vira conforme o vento. Quando for para bater no anterior governo, batam à vontade que o actual PS aplaude. Se, por uma réstia de pudor, não aplaudirem, calam-se para consentir.

  9. o tino foi dentro porque desviou subornos do partido para a conta do pato donald na ubs e a loira da cruz tem ordem do cavaco para vingança total ii.

  10. E NÃO FOI O QUE O SEGURO FEZ, MÁRIO? NÃO FOI ELE QUE ATÉ APLAUDIU O DISCURSO DE TOMADA DE POSSE DO SR DE BOLIQUEIME, DE FEROZ ATAQUE AO SEU GOVERNO E AO SEU PARTIDO?. A ATITUDE DESTE SEGURO NÃO ME SURPREENDE. ISTO ESTÁ TUDO CONLUIADO. O GOVERNO ATÉ CONTROLA O PRINCIPAL PARTIDO DA OPOSIÇÃO (PARA ALÉM DE TER O APOIO ESTRATÉGICO DO PCP E DO BLOCO).
    VAI SER LONGA E PENOSA, MUITO PENOSA, ESTA TRAVESSIA , A NÃO SER QUE…..

  11. Demasiados pseudo-factos, é pá, não consigo acompanhar.
    Zorrinho disse o quê? Zorrinho?
    É alguma coisa àquele espadachim gay de colãs pretos, capote e mascarilha?
    Vi o filme “O filho do Zorro”. Zorrinho, não estou a ver. Será a continuação?

  12. Já antes nas eleições dentro do PS me convenci que a escolha não tivesse sido a melhor, mas agora estou mais seguro de que eleger o seguro não foi bom.

  13. Não foi Cavaco que ao derrubar Sócrates abriu caminho a Seguro para chegar a Secretário geral do PS? No fundo não pode ser mau rapaz, percebem?
    Temos de ser meigos com ele, sem a sua gana anti-Sócrates, éramos um zero.
    Assim já somos um zero à esquerda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.