Leite derramado

Ferreira Leite critica “fantasia tremenda” de Teixeira dos Santos

Manuela Ferreira Leite sustenta que depois de ter assumido a liderança do partido “já não se fala no esboroamento do PSD”, que é visto “como alternativa ao poder” e “tem um nível de intenção de voto nas sondagens que é o mais alto dos últimos anos”.

20 de Outubro de 2008 assinala o fim político de Ferreira Leite como dirigente de quem se espera responsabilidade. Ela começou por ser vista como a melhor possibilidade de resgate do partido face à loucura de Menezes, mas a seguir só cometeu erros, graves e imperdoáveis. A exibição de ontem à noite consagra o diagnóstico: autismo, estado de negação, projecção neurótica, disfuncionalidade executiva, delírio. Esta mulher é uma senhora que se comporta como menina, recusa-se a crescer. Não há mistério ou profundidade no seu silêncio, há capricho e snobismo. E quando fala, reduz-se à sua insignificância.

A crise do PSD começou com a fuga de Cavaco, como se sabe. A procissão de figuras tristes e toscas que temos visto passar, de Nogueira a Barroso, de Mendes a Santana, de Menezes a Ferreira, não parece ter fim. Porque Rio e Passos, Borges ou Sarmento, são mais do mesmo, apenas o pacote varia. Quando alguém no PSD conseguir vencer o Adamastor da Madeira, teremos fumo branco. Sem essa prova de coragem, será mais uma figurinha para esquecer.

9 thoughts on “Leite derramado”

  1. “Sem essa prova de coragem, é mais um para esquecer”.
    Caro Valupi, não queria dizer mais “uma”.

    É um facto de que o Aberto é o único que faz frente a qualquer um. Até hoje, nem o “peitaças” do Sócrates vai fazer as provas dos nove.

    Quem observou a caricatura do António no ultimo Expresso, pode concluir que a realidade é aquela. Lenha seca não dá fruta.

    Este povo dos partidos parecem as seitas da máfia em auto gestão, nem sabem por onde começar a por as mãos.

    Seguramente “há mais vida par além deste tristes tigres”.

  2. para esquecer? esquecer a bruxa que não teve pejo em construir a hipérbole do deficit para alcançar o poder? E vendeu Portugal a saldo ao citigroup sob a batuta do Burroso, com o negócio da indústria do fogo em níveis nunca vistos e até as jóias da coroa se foram na Holanda?

    e para quê? Lembro-me de ler nas notícias que só as assessorias jurídicas a um escritório de advogados chegaram aos 50 milhões de contos num ano…

    era bom de ver o património do filho em Londres, sim

    eu não esqueço: ratazanas para o galheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.