Isto sim, isto é um politólogo, cambada

Como politólogo, como definiria António Costa?

Não o conheço a ponto de perceber quais são as suas convicções. Pelo que eu vi até agora, Costa não é um homem com uma cultura política, económica ou literária particular. Só posso julgá-lo pela sua conduta desde que assumiu funções políticas nacionais em outono de 2014. E a partir daí o que vi foi um homem obcecado com o poder e disponível para se apropriar da ideologia, do saco de ideias, que lhe proporcionasse a obtenção do poder. Neste caso foi a extrema-esquerda, mas não sei o que ele teria feito noutra conjuntura.


“António Costa é o primeiro-ministro da extrema-esquerda”

15 thoughts on “Isto sim, isto é um politólogo, cambada”

  1. Este tipo é uma extrema besta, pelo que pensa, pelo que diz e pela fronha que exibe. Pensar que Passos Coelho está completamente doutrinado por esta besta, o Marco António, o Relvas, o badalhoco do Portas e por aí for a, dá bem a medida de quanto o PSD desceu à lama e de quanto agrediu Portugal. For a com estes bandalhos!

  2. Um pardal da representação em Portugal do lobby neocon americano, ao qual se deve praticamente tudo o que tem corrido mal no mundo desde a queda do muro de Berlim.

  3. Val, este é o rapaz que levou o Pedro da PàF às lágrimas e que tanto excitou a Ângela Silva, o Bernardo Ferrão e o Candeias da bola na newsletter do Expresso. Que agora anda a fazer uma passagem de modelos à luz do dia, e a mostrar as misérias do passismo perante nós e aqueles que lhe devem o pilim dos ordenados, parece evidente. Exemplo: ontem, na SIC N, lá estava o rapaz no Expresso da Meia Noite a trocar tus para cá e tu para lá com o Bernardo Ferrão perante um incomodado, ou no mínimo deslocado, Nicolau Santos. Quantas manchetes, quantas notícias, quantas meias-
    verdades, mentiras e fraudes daquele que foi uma das «fontes próximas do gabinete» do Passos Coelho não passou ao director Ricardo Costa e ao/s editor(es de política do Expresso? Tu cá, tu lá, portanto.

    Se quiseres um esboço de script para a troca, dever-se-ia apanhar o vídeo respectivo porque é uma pena perder-se nos arquivos este naco poético da senhora do Blasfémias. Crime scene: estúdio da RTP 3, iluminado artificialmente. Notícia do dia, em análise: a aprovação parlamentar do programa de governo do PS. Personagem principal, Helena do Cabeleiro Matos. Idem, secundárias: o jornalista, que manterá um diálogo com uma frase fundamental, e outros.

    Helena, cito de memória a linha de (curto) raciocínio – Aliás, o balanço deste debate pode fazer-se pela duração das palmas dos partidos da esquerda…
    [da esquerda, não de esquerda ou da/s esquerda/s, disse-o com um aparente desdém, mas a verdade é que estamos perante um facto concreto, físico, sonoro ou orgânico que é bater as palmas… Clap, clap, clap, mecanicamente acompanhamos o raciocínio!]
    Jornalista da RTP 3, nem a deixa acabar a primeira frase, interrompe-a diz-lhe de repente – Mas vamos analisar o assunto com base na duração das palmas?!
    [risos, quem estava a ver deve ter soltado um riso ou uma gargalhada como eu]
    Helena, por momentos surpreendida – … não, claro que não, o facto é importante pela ausência de palmas!…

    Hilariante, e evidentemente falso, recomendo.
    (recorde-se o que fizeram os deputados do PS, BE e do PCP).

  4. Adenda, a senhora do CabeleiREiro está agora na RTP 3 e, num zapping inadvertido, apanhei-a aparentemente a meio de uma proclamação:
    – … Portugal terá de defender esse outro espaço que é África!

    África Minha, é? Sobre cabelos, pergunta: alguém tem ideias sobre se aquela nova cabeleireira sedosa que a Helena passou a exibir é uma peruca ou o resultado de alguma implantação capilar? É que ao vivo e a cores o seu fraco cabelo ia…

  5. Se um professor de ciência política considera fraude uma solução governativa saída da AR eleita democraticamente, imagine-se se o que pensa a grande masse PSD/CDS que não foram além da “escola primária” em ciência política. E foi esta gente que nos governou durante quatro anos! Acredito que devem andar todos muito acagaçados com a perspectiva de os portugueses verem ,pela primeira vez em quase cinco anos, um governo de verdade. Nem devem dormir, os pantomineiros.

  6. A iliteracia que grassa na nossa sociedade é confrangedora. Ninguém de direita se preocupou quando o PS se juntou ao CDS para formar governo, mas agora, como é uma situação idêntica mas com o PCP, arranham-se os direitistas e rasgam as vestes em público fazendo figuras tristes, pois põem ao léu a sua iliteracia política.

  7. Enquanto isto a Procuradeira-mor do Reino NOMEOU já um novo procurador para se preparar para ir a julgamento com o caso Sócrates.
    Nota-se que habitualmente o Procurador não é nomeado mas sim SORTEADO, e que tal sorteio só ocorre após ter sido deduzida a acusação, mas como este caso é muito complexo e é muita a sede em Boliqueime …
    E da-se o caso de o dito Procurador ser o que foi “sorteado ou terá sido “nomeado” para ir a julgamento com o caso dos submarinos que acabou com uma absolvição de todos os arguidos em 1a instância e ele INIGNADO recorreu para a Relação “como é possivel ? Haja Deus !”.
    E assim vai o Cavaquismo em Portugal …

  8. Se calhar este morgado será descendente de um outro Morgado que,
    em tempos idos, foi “embrulhado” pela deputada Natália Correia, na
    A.R. a propósito das discussões sobre procriação!
    Com feito, a atitude chocarreira que que pretendeu envolver o Ministro
    das Finanças, veio confirmar o que tinha visto num programa dos Prós e
    Contras, onde o deputado muito abria os olhos mas, a consistência da
    argumentação deixava muito a desejar! Na entrevista dada ao DN ficou
    explicada a razão de ser deste comportamento é prof. na Católica está
    tudo dito, o seu saber será de Teologia porque de Ciência Política nada se
    consegue apanhar … tudo passa pela fé! Daí, a ser um “garganta” funda,
    vai uma grande distancia, por outro lado, está explicada a forma por vezes,
    incompreensível, dos discursos do Passos Láparo, eram escritos por esta
    “estrela” da ciência política!!!

  9. antes da extrema esquerda que da direita.a extrema esquerda andou quarenta anos a fazer favores,muitas das vezes por inação. agora, acharam por bem terminar com a bandalheira. aguentem.daqui para a frente,nada será como dantes!não tarda muito para vermos o bloco e pcp no poder.o povo não perdoará nunca,que o momento que vivemos, seja interrompido por motivos que não o justifiquem.pergunto- haverá algum que justifique a entrega do poder à direita?

  10. […]
    Como a democracia é isto mesmo, o poder do voto popular e individual, o mesmo dia que marca a viragem da Frente Nacional assinala o princípio do fim de 17 anos de chavismo na Venezuela. O estilo bolivariano do Presidente Nicolas Maduro – o sucessor de Hugo Chávez – foi derrotado de forma categórica nas urnas. Com uma participação extraordinária de 74,25% dos eleitores, a MUD conseguir 99 lugares no Parlamento contra 46 de Maduro.

    Ainda falta apurar muitos votos, mas a diferença é de tal ordem que já é certo que Maduro vai ter que presidir à Venezuela com um parlamento hostil e que, pela ordem natural das coisas, vai acabar por perder o poder.

    Começam, assim, os dias do fim do chavismo, esse projeto de poder bolivariano demagógico que arrastou a Venezuela para a miséria, numa situação económica quase incontrolável, mas cujo populismo tanto agradou a alguns políticos portugueses, a começar pelo amigo José Sócrates (ladeado pela dupla Pinho & Lino) e a acabar em Paulo Portas, na sua versão Oliveira da Figueira, com a mala cheia de Magalhães.

    Valupi, para o pós-pequeno-almoço entra devagarinho ao mundo do Ricardo Costa. Isto está newsletter do Expresso, hoje, onde se começa por bater palmas à Le Pen e ao ao Sarkozy (vem aí um «duelo Marine vs Nicolas», presume-se que são uns vizinhos do seu prédio) e dá uns pontapés no… Sócrates.

    Venezuela da la espalda al chavismo
    http://internacional.elpais.com/internacional/2015/12/07/america/1449454340_373673.html

  11. “… mas cujo populismo tanto agradou a alguns políticos portugueses, a começar pelo amigo José Sócrates (ladeado pela dupla Pinho & Lino) e a acabar em Paulo Portas, na sua versão Oliveira da Figueira, com a mala cheia de Magalhães.”

    sócras, pinho & lino fizeram o que deviam ter feito, negócios e boas relações com o chefe de estado de um país que acolhe uma comunidade significativa de emigrantes portugueses. o panilhas do caldas andou a dizer mal e acabou por aproveitar a boleia do trabalho do sócras e foi o que lhe valeu para viajar à conta e apresentar serviço, as tais exportações a subir com trabalho e investimentos decididos e aprovados pelo tal governo que levou o país à bancarrota. não é por nada, mas nestas cenas convém ser sério.

  12. Ignatz, é por isso que o rapaz vive no mundo da fantasia e da mentira reescrevendo o que aconteceu em função de um objectivo obsessivo. Não é um grande player sabe-se, e isso viu-se ainda há pouco quando esperava que o Cavaco Silva lançasse uma fatwa contra o Augusto Santos Silva, e não tem a manha do Zé Manel quando destruiu o jornal da Sonae. Mas o que o outro faz com a realidade, esacrevendo sempre com um objectivo qualquer, o Ricardo Costa fá-lo reescrevendo os factos.

    Passou despercebido, mas a última newsletter assinada pelo Henrique Monteiro dizia que ele é um dactilógrafo de primeira. É giro ler mas é um daqueles elogios dispensáveis…

  13. Deve ter sido aquela cara de 2.º sargento tarimbeiro que fez com que o Pingo Doce o convidasse para escrever sobre Ótoridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.