11 thoughts on “Geo-inteligência”

  1. Ontem o Rui tavares lembrou-me que ainda não nos livrámos da vergonha de ser o país que inventou a lobotomização. Não sei como nos vamos redimir disto,

  2. está certo Valupi, e o Saramago veio nobelizar uma deslobotomização, após ensaio feito por um tal lara, larilas, portanto ainda bem

  3. (e a propósito de cérebros graníticos…)
    Valupi, seria demasiado abuso se eu pedisse umas legendas para o “boneco”?
    Porque é que o cérebro americano tem mais “coisas” que os outros? Quererá isso significar que um cérebro “em branco” tem mais hipóteses de se tornar culto porque está em estado virgem e não tem que ser despojado dos disparates que tem “inscritos”? Ou quer dizer que já foi lavado? Ou, ou…
    (as legendas, please, como se eu fosse muuuuuito burra)

  4. mc, abuso algum. A imagem não passa de uma chamada visual para o artigo em ligação. Mas cá vai a sua legenda:

    Brain activity in East Asians and Americans as they make relative and absolute judgments. The arrows point to brain regions involved in attention that are engaged by more demanding tasks. Americans show more activity during relative judgments than absolute judgments, presumably because the former task is less familiar and hence more demanding for them. East Asians show the opposite pattern.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.