Fenómenos do entroncamento

Afinal, a auditoria feita pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças a pedido da ministra das Finanças mostra que Maria Luís Albuquerque deu parecer favorável a um contrato swap assinado pela Estradas de Portugal quando esta trabalhava como técnica no então Instituto de Gestão da Dívida Pública (IGCP).

O relatório, citado esta quinta-feira pelo «Diário de Notícias», contradiz assim as explicações dadas esta semana pelo Ministério das Finanças, segundo as quais, quando trabalhava no IGCP, a ministra das Finanças realizou apenas análises de pedidos de empresas públicas sobre empréstimos e não sobre swaps.

De acordo com o jornal, o relatório da auditoria mostra especificamente que o IGCP aceitou em 2009 o contrato swap da Estradas de Portugal e Maria Luís Albuquerque assinou o parecer favorável.

Fonte

__

Ontem foi publicada aquela que parece ser a prova indesmentível tanto das mentiras da ministra numa comissão de inquérito, como das mentiras dos comunicados do Ministério das Finanças a respeito do caso, como das mentiras das declarações dos responsáveis políticos do PSD, como das mentiras nas garantias dadas pelo primeiro-ministro ao Presidente da República. Porém, contudo, todavia, nem uma tomada de posição, nem sequer um comentário, apareceu da parte de qualquer força ou figura política face a tão monumental evidência. Nada. De ninguém.

Que se está a passar em Portugal?

5 thoughts on “Fenómenos do entroncamento”

  1. talvez aquela coisa, do individual passada a colectiva, de se acomodarem com o que não presta e não as faz felizes. assiste-lhes, talvez, o medo da solidão – e então preferem andar mal acompanhadas a estarem sozinhas na verdade e transparência e dignidade e carácter. é assim. :-(

  2. pois é, oh bécula! eu tamém gosto muito de passear pelos campos, durante o dia observo as borboletas e à noite faço palavras cruzadas à luz dos pirilampos. entretanto os contorcionistas do costume dizem que a culpa é do incompetente que queimou os papéis e do nabo que fez o relatório. vai ser giro quando a marilú for ao parlamento explicar o emprego/desemprego do marido na edp e quanto é que esta fífia custou em ventoínhas & carros chineses.

  3. O que se passa, Valupi, é que o Seguro parece ter um contrato com a direita, segundo o qual, mais cedo do que mais tarde (esteve prestes a acontecer, lembra-se?) vai coligar-se com ela. Ele sabe que é uma nulidade como Passos, e ser um “vice qualquer coisa” da direita é tudo o que almeja como realizaçâo política, depois de entronizado Secretario Geral dos (encartados) socialistas. Ou o PS acorda ou implode. Sinceramente, já nem sei se, mesmo acordando, vai a tempo de reparar o rombo aberto pelo Seguro e suas hostes. Sim, “os encartados” cavaram o buraco ao próprio partido elegendo Seguro. Para variar…Soares também disse, como de Passos e em tempo oportuníssimo, que era amigo dele. Do Seguro. Só para chatear o Sócrates ou para lisonjear a direita?

  4. “Que Se Está A Passar Em Portugal?” :Excelente Pergunta!(…)

    Quantas Horas Demorou António José Seguro A Responder Ao Fato de O Ex.Maoista Ter Decretado O Fim Da Obrigatoriedade Da Disciplina De Inglês Para O Primeiro Ciclo? Eu Respondo:48

    Assim nem papas nos vemos livres desta corja!!!

  5. Desde que foi “decretado” que era preciso nascer duas vezes para se ser mais
    onesto do que alguém que se sentiu caluniado! Basta uma qualquer palavra do
    maior aldrabão da política para que se aceite, como normal, o uso continuado
    da mentira no relacionamento dos “políticos” com os eleitores e não só !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.