2 thoughts on “Exactissimamente”

  1. Concordo com o diagnostico.

    A esquerda europeia caiu de facto na armadilha das suas cedências, e é justo salientar que teria sido irrealista pensar que era possivel ir para a frente sem quaisquer cedências…

    A unica resposta que vejo, esta numa (melhor) organização das propostas de esquerda a nivel europeu, com vista a reconquistar aquilo que foi cedido. Isto não se faz de bandeira em riste. Faz-se admitindo que as cedências são necessarias para avançar, mas que so se justificam nesta exacta medida e que devemos poder debater sem tabus.

    Por exemplo, proteger fronteiras é uma cedência, e uma incoerência. Mas fazê-lo a nivel europeu parece-me ser a medida certa, que so o é por não ser sagrada, mas razoavel.

    Por exemplo flexibilizar o mercado de trabalho é uma cedência, posso até admitir que razoavel, mas desde que não seja por baixo e a troco do sacrificio total da protecção do trabalhador dentro do espaço europeu.

    Por exemplo pôr em causa os mecanismos vigentes de redistribuição, por exemplo as pensões, é uma cedência, mas so é admissivel em nome da harmonização dos mecanismos de redistribuição a nivel europeu.

    A Europa conservadora existe, e esta ai para as curvas, cheia de saude e arrogância. Não pode existir um projecto europeu de esquerda, exequivel ? So se nos andamos a enganar redondamente estes anos todos… Nesse caso, o erro foi claramente sobre nos proprios, ou seja sobre a propria consistência da esquerda. Pessoalmente, não acredito nisso.

    Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.