Escuta, laranjal: nem só de imbecis se faz Portugal

Cometeu-se um erro de irresponsabilidade. Os partidos levantaram-se em conjunto para chumbar o PEC para agora ter um programa pior que o anterior. Isso é que eu não consigo compreender. O PSD actuou por cobiça de poder, achou que esse era o momento para ganhar eleições.

Se o PSD queria eleições, podia ter viabilizado o PEC e depois, mais à frente, quando já não causasse prejuízos, provocava uma crise política. Cometeu-se um erro de pura leviandade que ficará nos anais da história política portuguesa.

Sócrates, 2011

__

O primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, considerou na terça-feira à noite que os sociais-democratas têm um «grau de identificação importante» com o programa acordado com a ‘troika’ e querem cumpri-lo porque acreditam nele.

«É curioso que o programa eleitoral que nós apresentámos no ano passado e aquilo que é o nosso Programa do Governo não têm uma dissintonia muito grande com aquilo que veio a ser o memorando de entendimento celebrado entre Portugal, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional», declarou Passos Coelho, durante uma sessão com militantes do PSD sobre a revisão do programa do partido, num hotel de Lisboa.

Depois de acrescentar que o diagnóstico da situação do país feito pelo PSD «não estava muito desviado da observação atenta especializada que o Banco Central Europeu, a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional tinham», Passos Coelho concluiu: «Quer dizer, há algum grau de identificação importante entre a opinião da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional e o que é a nossa convicção do que é preciso fazer».

Segundo o presidente do PSD, por esse motivo, «executar esse programa de entendimento não resulta assim de uma espécie de obrigação pesada que se cumpre apenas para se ter a noção de dever cumprido».

«Por isso, não fazemos a concretização daquele programa obrigados, como quem carrega uma cruz às costas.»

«Nós cumprimos aquele programa porque acreditamos que, no essencial, o que ele prescreve é necessário fazer em Portugal para vencermos a crise em que estamos mergulhados», reforçou.

Passos, 2012

26 thoughts on “Escuta, laranjal: nem só de imbecis se faz Portugal”

  1. Não se pode contar com o PSD. malandros.
    Nos a fazermos o “trabalho sujo” com os PECs e eles insensíveis.
    Malandros. Não agradecem nada. Só a pensarem no poder.

  2. ia bem neste post, como corolário, a frase de hoje do frasquilho.
    não há só imbecis no país mas eles estão de facto em maioria!

  3. Não há só imbecis, mas eles abundam. Há falta de melhor prova, e tendo em conta os “erros” das sondagens, ficámos a saber que ainda existem 28% de compatriotas que acham que este é o melhor caminho.

  4. Sócrates pergunta porque não se reconhece que Governo fez bom acordo
    Publicado a 05 MAI 11 às 00:42
    Em Leiria, José Sócrates disse compreender «incómodo de muita gente a propósito» do acordo de ajuda externa, que reiterou ter defendido os «interesses de Portugal».
    Este conteúdo necessita do Adobe Flash Player. Obter aqui
    Enviar por email Link

    José Sócrates diz compreender «incómodo de muita gente» acerca de acordo sobre ajuda externa

    O primeiro-ministro entende que o momento deveria de ser de reconhecimento ao Executivo pelo acordo conseguido com a troika sobre a ajuda externa e disse perceber porque a oposição demonstra um amargo de boca.
    «Depois de termos fechado esse acordo, pergunto-me se não há na política portuguesa a grandeza para reconhecer apenas este facto elementar que o Governo fez um bom acordo para o nosso país, um acordo para defender os interesses de Portugal», explicou José Sócrates.
    Num jantar com apoiantes na região de Leiria, onde Basílio Horta esteve presente, o chefe do Governo disse compreender o «incómodo de muita gente a propósito deste acordo».
    «Compreendo as dificuldades daqueles que tendo chumbado o PEC, aberto uma crise política, obrigado o país a pedir ajuda internacional têm de aceitar um programa de ajuda internacional cuja base essencial é o PEC que recusaram», acrescentou.

  5. Pois Val,

    é sempre bom recordar o que então se disse.

    A esquerdalhada rejubilava com a derrota de Sócrates. Tinham conseguido expulsar quem lhes fazia frente, por outro lado a direita via abrir-se-lhe um mar de oportunidades pois poderia asneirar à vontade pois com o PS degolado havia tempo de sobra para asneirar à vontade.

    O discurso oficial acompanha este mesmo raciocínio.

    Agora já a culpa – que não se sabe bem de quem foi – é do desenho da solução!

    Mas quem é que fez o boneco? Terá sido o governo anterior encostado às cordas e pressionado pela direita a acordar fosse o que fosse? Terá sido a “troika” que aproveitava a oportunidade para ensaiar mais uns passos de um balé nunca dançado num país periférico que não punha grande pressão na Europa? Terá sido a inteligência do PSD que andava eufórica a mandar bitatites pela comunicação social fora e a distribuir os tachos que iriam vagar? Terá sido o CDS que finalmente via a possibilidade de chegar ao pote sem passar pelo crivo de ter de apresentar um programa sério?

    O mote estava dado? Não se lembram? Tínhamos gasto demais! Não havia crise nenhuma! A megalomania socratiana tinha esvaziado os cofres. Já não havia dinheiro para pagar vencimentos nem pensões. A democracia estava em perigo. A juventude asfixiava sem empregos. O PEC IV era um terror de austeridade. Avaliação nunca, jamais!

    por estas e por outras anda ainda muita gente a atirar-se a quem por cá andou antes mas raramente se utilizam números no discurso, pois se calhar os mesmos não interessam nem se conjugam com o discurso.

  6. Val

    O primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, considerou na terça-feira à noite que os sociais-democratas têm um «grau de identificação importante» com o programa acordado com a ‘troika’ e querem cumpri-lo porque acreditam nele.

    «É curioso que o programa eleitoral que nós apresentámos no ano passado e aquilo que é o nosso Programa do Governo não têm uma dissintonia muito grande com aquilo que veio a ser o memorando de entendimento celebrado entre Portugal, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional», declarou Passos Coelho, durante uma sessão com militantes do PSD sobre a revisão do programa do partido, num hotel de Lisboa.

    Tu não podes ter dois discursos distintos ao mesmo tempo.
    Quando te convém justificar a demissão do Governo, dizes que este não tem legitimidade para fazer as políticas que está a seguir, pois não as apresentou no programa eleitoral. Por isso devia ser demitido.
    Quando te convém ilibar o teu querido líder da merda que negociou, vens com enxertos do discurso do Pedro Passos para o incriminares e, com isto, desresponsabilizar Sócrates de tudo o que ele negociou e assinou.

  7. Grande Bento, é assim mesmo, toca a citar o homem. Só é pena é não entenderes o que trazes, mas também não se pode exigir tudo a essa tua cabeça sectária, né?
    __

    assis, o Frasquilho é o pretexto, contexto e subtexto destas citações, precisamente.
    __

    aquaporina, o mundo está cheio de mistérios.
    __

    Atento., devem estar a olhar para o palácio, o de Belém.
    __

    Teofilo M, muito bem.
    __

    francisco rodrigues, és estúpido ou comes merda às colheres?

  8. «É curioso que o programa eleitoral que nós apresentámos no ano passado e aquilo que é o nosso Programa do Governo não têm uma dissintonia muito grande com aquilo que veio a ser o memorando de entendimento celebrado entre Portugal, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional», declarou Passos Coelho, durante uma sessão com militantes do PSD sobre a revisão do programa do partido, num hotel de Lisboa.”

    Mais curioso ainda é o Frasquilho vir dizer agora que afinal o memorando inicial é que é o culpado e estava todo errado. Quando o seu partido no governo até foi além do memorando e disso se vangloriou…
    A Sério, mas esta gente têm mesmo massa cinzenta naquelas cabeças ou é só serradura e correntes de ar?!

  9. Em relação ao francisco rodrigues nem vale a pena argumentar, é o mesmo que dar pérolas a porcos.
    Sim abelha, leva lá a bicicleta e espeta-te com ela contra a parede, com as palas que insistes em não tirar das ventas.

  10. 1- há um problema de datas: Sócrates 2011 DC; Passos 2012 DC;
    2- na campanha eleitoral Passos escondeu o programa: prometeu o contrário do que veio a decidir, desde logo no “estado social”, corte de subsidios à função pública, impostos, etc.;
    3- pensar que o povo lê programas eleitorais é puro delírio;
    4- depois das eleições já o corno está enganado;

    Não diria que Sócrates foi um líder de merda, mas que enterrou muita merda é um fato; desde logo as lixeiras a céu aberto; depois a coincineração em duas fases; restaram os ratos de esgotos em Belém, mais os merceeiros e banqueiros, procuradores e juízes, jornalistas e comentadores, em resumo, uns filhos da puta que nos empurraram para este beco sem saída. E Sócrates? bem, não precisa de favores para trabalhar e ganhar a vidinha, como os ex-líderes do PSD: todos com uma sinecura concedida pelo atual líder…um partido de ladrões e assassinos, e outra gente pouco recomendável…disse o que se me oferece de momento..

  11. francisco rodrigues, vamos ser serios.catroga está farto de dizer que o psd tambem meteu clausulas no memorando e as mais gravosas .lembro que na primeira declaraçao sobre o memorado socrates disse que os portugueses iam receber o subsdio de ferias e o 13 mes recebemos? isto é a verdade,portanto escusam de se por de fora.só lhes falta dizer que o programa eleitoral do psd foi todo vertido no memorando.o programa era uma coisa que ninguem viu. a campanha do vigarista foi outra,para enganar os incautos.

  12. Nunocm

    Até parece que não te lembras porque é que deixaste de receber o 13º mês. O buraco da Madeira que nem Sócrates sabia e que apanhou o Governo de Pedro Passos de surpresa.

  13. Val

    francisco rodrigues, és estúpido ou comes merda às colheres?

    Então agora isto virou clichê! Quando não tens argumentos, é esta a tua escapatória? Reparei, desde que o António Costa capitulou e que o Sócrates se fez à vida, tens andado um pouco desorientado.
    Amigo, tem calma, pois vivemos num país com mais de 800 anos de história e havemos de encontrar soluções e novos caminhos para Portugal. Não há razão para ficares assim.

    abraço

  14. realmente de valores percebem os tipos que defendem este governo; dois bancos e uma ilha só para eles, pagamos nós;
    13º mês e o buraco na madeira?? deve ser é um problema do bicho da madeira nas meninges…estórias da carochina?? ao menos sejam homenzinhos, e assumam as políticas e estratégias económicas que escolheram…por detr+as de uma desculpa estão sempre os cobardes…

  15. Jrrc

    Mas que cobardes, lá estas tu! Cobardia é andar a esconder os buracos orçamentais e a realidade ao povo, só para se manter no poleiro.

    Eu defendo um Estado que seja sustentado pelos portugueses e não pelos alemães ou outros gajos que se consideram nossos amigos, mas depois nos fodem quando estão em causa, os interesses egoístas dos países.

  16. Nunocm

    O subsidio de férias foi para continuares a ter o Estado social que tu tanto aprecias. Ou estás à espera que sejam os alemães a pagar?

  17. (Des)Atento

    Não necessitas de perguntar, porque quando surge disponibilidade aqui estou eu!
    Mas já agora, vai chamar camelo a quem te fez as orelhas!!!!

  18. Ó Francisco Rodrigues, se são os alemães a pagar porque raio é que confiscam o subsídio de férias? Não te parece estranho? Até parece que não pagámos os empréstimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.