Em Março de 2011 isto estava muita mal, mas para alguns podia e devia ficar muito pior

Nas três reuniões que já tivemos com a troika, ficou evidente que os seus funcionários nada querem saber do que sofre este país e os seus trabalhadores, espoliados em salários, pensões e impostos para enriquecer o privilégio. A crise é mesmo a sua política. O nosso povo sabe por isso que a esquerda só conduzirá o país quando rejeitar o Memorando da troika, impuser o cancelamento da dívida abusiva e recuperar uma política esforçada de emprego. Temos por isso uma responsabilidade imensa, constituir uma alternativa de governo contra a bancarrota.

Louçã, o génio da Economia e o grande líder da Esquerda Grande que ao derrubar um Governo socialista largou esta pérola de uma clarividência ofuscante: “Rejeitar o PEC é o princípio da saída da crise.”

18 thoughts on “Em Março de 2011 isto estava muita mal, mas para alguns podia e devia ficar muito pior”

  1. Quando se lança nomes para a praça publica,as espingardas já foram contadas.daniel oliveira, vai para lá pregar para os peixinhos.eles até se podem dar ao luxo de dizer ao daniel o seguinte: nós pensamos tambem em ti,mas já sabiamos qual era a tua resposta!

  2. “Nas três reuniões que já tivemos com a troika…”

    afinal o gajo tem reuniões com a troika. ainda vai revelar um acordo com a merckla numa visita secreta à sede do tijolo. a bancarrota que se cuide com o eu génio da loiça.

  3. A cambada berloquista que faça acordos com o “entulho inaproveitavel do muro de Berlim”, leia se comunas, desapareça e vá morrer longe. Louçã antes de começar já cheirava mal. Agora…
    O PS pode aproveitar estas renovações de stock e despachar o xoninhas (in)Seguro.
    Reabilitar contra ventos e marés e a PORQUEIRA canalha da jornalice a figura de Sócrates é mais urgente. Basta ouvir a rua….

  4. No prof. Louçã predomina o messias politiqueiro.

    O Dr. Jekyll do ISEG é o Mr. Hyde da Rua da Palma e de S. Bento.

    O especialista de complexidade e turbulência na economia virou rapa-tachos da política bota-abaixista.

    E catedrático de “política suja” (Daniel Oliveira), mesmo para com os seus confrades.

    E especulador bolsista do quanto pior melhor.

  5. Agora com o anúncio do abandono da liderança do Bloco, não sabemos se é o Dr. Jekyll que quer voltar ao ISEG ou se é Mr. Hyde que planeia ir para Estrasburgo.

  6. é mais mais provável voltar ao iseg visto que para estrasburgo precisa de ser eleito, coisa dífícil mesmo sendo cabeça de lista ou por isso mesmo.

  7. Bem, aqui é quase impossível debater seja o que for. O enviesamento partidário é enorme e a desonestidade intelectual gritante. Agora, sobre isto:
    “(…)Rejeitar o PEC é o princípio da saída da crise.”.

    É simples explicar o que Francisco Louçã queria dizer sobre isso. A “austeridade” (seja em forma de PEC ou de memorando de entendimento com a troika) é contraproducente. Razão? Provoca recessão, aumenta as falências, aumenta o desemprego, destrói o Estado Social, diminui as receitas fiscais, aumenta a dívida pública, etc, etc. É o que está a acontecer e era o que Francisco Louçã referia. Agora, claro, vós, na ânsia de injuriar, preferem não interpretar as coisas como elas são. Uma dica: só perdem vocês. O PS só sairá do buraco onde está quando enfrentar a realidade, e esta passa por rejeitar esta “austeridade” e neoliberalismo predatório.

  8. Zé, tens toda a razão. Agora explica lá como é que se rejeita a austeridade ao mesmo tempo que se governa o País. Leva o teu tempo e não te acanhes. Não temos pressa, temos só muita vontade de aprender contigo.

  9. Rejeitar “esta austeridade” é um ato governativo, se for realizado pelas entidades governativas. Não há nada a explicar. Se eles a implementaram também conseguem rejeitá-la.

  10. Zé, bem que eu desconfiava que não tinhas nada para explicar. E assim ficou tudo explicado quanto ao sentido e valor do que escreveste.

  11. “Leva o teu tempo e não te acanhes. Não temos pressa, temos só muita vontade de aprender contigo.”

    Sabe, caso pretendesse uma discussão honesta eu ter-lhe-ia apresentado os meus [que não são meus, ressalve-se] argumentos sobre este assunto. Como bem saberá, você preferiu a outra via. São opções.

  12. Zé, és o maior. Cagas postas de pescada sobre o local onde aterras e és incapaz de responder ao que te perguntam. Depois, anuncias que tens o dom da telepatia. Quanto à via que preferi, foi essa de esperar que dissesses alguma coisa que se aproveitasse.

    Larga o vinho.

  13. “Zé, és o maior. Cagas postas de pescada sobre o local onde aterras e és incapaz de responder ao que te perguntam. Depois, anuncias que tens o dom da telepatia. Quanto à via que preferi, foi essa de esperar que dissesses alguma coisa que se aproveitasse.

    Larga o vinho.

    “E assim ficou tudo explicado quanto ao sentido e valor do que escreveste.”

  14. Nem Louçã derrubou um governo, nem o governo era socialista.
    PPC limitou-se a esperar pela altura certa de tirar-vos o pote e vcs zelaram para que ele não esperasse muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.