Efeito Zeigarnik

Nesta terça-feira de manhã, no período imediatamente a seguir às clarividências criativas do despertar, cheguei às mesmas conclusões que podem ser consumidas neste artigo com autoridade científica.

Uma coincidência, uma recorrência e uma sabedoria ancestral, já por Hesíodo grafada:

ρλέον ἥμίσυ ρανṯός

17 thoughts on “Efeito Zeigarnik”

  1. O sono tem como objectivo precisamente armazenar a informação dos processos em curso e destruir os processos terminados (ou enviá-los para o “arquivo morto” do sub-consciente).

  2. (portanto deixa cá ver: parece que a gente tem que nacionalizar a Alemanha, andei a pensar, e de repente, por milagre, afinal lá vêm as compensações da Grande Guerra com juros, ou será que não é para cumprir a palavra dada? Estamos a falar da dívida soberana senhores, estamos a falar da dívida soberana da Alemanha a Portugal, assinada! Entretanto sim, Valupi, obrigado pela parte que me toca, recordar a virtude do meio com atributo de maioridade, calha-me que nem ginjas como lembrete agora mesmo.)

  3. as minhas clarividências criativas dizem-me, todos os dias, que há-se ser por isso que as mulheres têm montes (as que têm): andam empinadas por causa do peso dos escritos que carregam na traseira do cérebro. :-)

    (andam efeitiçadas) :-)

  4. (Pela espinha acima não é meu costume, Teresa, talvez seja uma questão de pólo magnético faralhado. E no caso em apreço tratou-se de um arrepio piqueno, de âmbito restrito e tendo em conta a questão linguística, quase diria regional.)

  5. Valupi, andas-me a enganar, é o que é. Tu experimenta pesquisar ρλέον ἥμίσυ ρανṯός no google e delicia-te com os resultados. Vá, sempre são dois…

    E queres dizer-me se é aquela coisa da metade e do todo ou não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.