É desta que os cursos de Filosofia vão esgotar

Tive um professor de Filosofia muito velho. Tinha dúvidas sobre a necessidade de estudar certas coisas. Perguntou-me se queria ser treinador de futebol e disse-lhe que sim. Então, disse-me que um treinador se só sabe de futebol, nem sequer de futebol sabe. Aquilo fez-me pensar muito e acredito que foi a base da minha metodologia como técnico.

Mourinho

16 thoughts on “É desta que os cursos de Filosofia vão esgotar”

  1. pelos vistos a lição só lhe serviu de arranque – não consta que se tenha dedicado a estudar mais alguma coisa a não ser estratégia nem que coloque em prática coisas simples da vida como manter o crescimento dos filhos estável, sem andarem a mudar de escola e de amigos, só para ganhar mais dinheiro. também nunca ouvi que sabe perder e que faz gosto, porque sabe, em pendurar um candeeiro quando muda de casa. não vejo a filosofia, o pensamento, como uma tenda de campismo estóica: vejo-a como um lar. :-)

  2. Nem tudo o que reluz é oiro, nem tudo o que balança cai. Estas citações, às vezes, são pouco rigorosas quanto à sua origem. Deve ser para não aumentar o factor de impacto do verdadeiro autor e remeter os créditos para quem, neste momento, já não aquece nem arrefece.

    :))))

  3. O Professor Manuel Sérgio, já o disse e escreveu várias vezes “Portugal teve três grandes treinadores de futebol (nesta ordem) José Maria Pedroto, José Mourinho e Jorge Jesus”.
    Só o José Mourinho não foi jogador e tem uma licenciatura tirada na FMH de Lisboa. Os outros, foram práticos do jogo, mas sabiam de lideranças e de estratégia e táctica, ao modo de Su Tzé.
    Neste momento, o Professor Manuel Sérgio está a trabalhar (pro bono) com Jorge Jesus, no Benfica.
    Quanto à familia de Mourinho…dizem-me que os filhos são óptimos alunos e o pai não os troca por coisa alguma (lembram-se com quem ele festejou a Taça, que ganhou, com o Inter, contra o Bayern de Munique, no Barnabeu de Madrid?).
    Quando se fala, ou escreve, por palpites e preconceitos, sai asneira.
    Deixo, aqui, neste espaço de inteligência, bom gosto e boa escrita ( aos taumaturgos, a todos eles, em especial ao patrão da barca, Valupi de seu nome registado em BI blogoesférico) os desejos de sucessos e de um 2012 “mentiroso”, que não confirme nenhuma das desgraças anunciadas por Medinas, Duques, Catrogas e Gasparzinhos.
    Bem hajam.

  4. ” Um médico que só sabe de medicina, nem de medicina sabe” Abel Salazar, médico, professor, investigador, pintor e resistente ao regime salazarista português que trabalhou e viveu no Porto, que deu o nome ao ICBAS-UP [Instituto de Ciências Biomédicas ABEL SALAZAR – Uiversidade do Porto.]

    O seu a seu dono.

    Quanto aos eleitos de Manuel Sérgio, em grande parte contradizem o sentido da frase citada…

  5. p’ra bem era, josé albergaria, chamares de preconceito e palpite a uma opinião só porque é diferente da tua: repito, então, que não valorizo um homem que enche a alma de taças e anda a badalar que não sabe perder – não o faria, com toda a certeza, por tostões. e nem tu o exaltavas, talvez lhe chamasses Zé Mouro. :-)

  6. Caríssima mdsol,
    O Professor Manuel Sérgio, nas suas aulas, quando utilizava a frase (que Mourinho recuperou para o futebol…livremente) dava-lhe a autoria do professor Abel Salazar e pedia, aos seus alunos, para a contextualizarem.
    Nada disto é grave, nada disto é importante ou importa.
    O que importa é a ética, o mérito, a competência e a honradez, a compaixão, a humildade, a bondade e a humana humanidade.
    Conheço, pessoalmente, o Jorge Jesus.
    Do Mourinho, temos amigos comuns.
    Não conheci José Maria Pedroto.
    Mas nunca me passaria pela cabeça criticar artistas do Circo do Soleil, por que fazem filhos e por que andam sempre em bolandas, de país para país, de continente para continente…com os filhos atrás
    A minha boa amiga sabe-o, o Val também, eu sou benfiquista médio baixo.
    Um feliz 2012 e abraços magretianos.
    JA

  7. de facto, JA, já que és tímido e preferes mandar postais, comparar o novo circo – nascido das raízes culturais orientais e, mais tarde, de tradição cigana na Europa de famílias de saltimbancos – com o ego gigante, de perdedor impossível, de um treinador de futebol é a mesma coisa: em comum existe apenas a alegria que para um será implacavelmente a sua e para os outros a de todos os outros. É suposto a filosofia fazer desenvolver todos os tipos de inteligência e não apenas manter o status quo, como poltrona, a chamada pobreza de alma, de uma só.

    de resto, felicidade e alegria e filosofia para ti também. :-)

  8. Por acaso é verdade, um treinador que não percebe nada de futebol, é porque só percebe de futebol, porque um treinador que só percebe de futebol, não percebe nada de futebol.

  9. “Aquilo fez-me pensar muito e acredito que foi a base da minha metodologia como técnico.”

    Não é à toa que a frase do velho Prof. de Filosofia despertou o José Mourinho. Ele percebeu que para ser treinador é preciso ser conhecedor da Natureza humana. E é essa natureza que ele estudou e continua a estudar. Esse Saber torna-se sabor: ele é ‘amador’ de pessoas. Ele galvaniza as almas! Ele faz com que cada jogador acredite que pode ser mais e que consegue ser mais em conjunto com os outros.
    As Taças não meras taças. Para o José, as taças são as vitórias de TODOS os que integram o grupo. Ele não enche a alma de taças. As Taças são o resultado visível das almas Cheias dos jogadores: Cheias de Confiança, de Força, de Coragem, de Espírito de União! O José Mourinho transmite confiança genuína e isso é hidrogénio líquido!

    Quando se mostra orgulhoso do trabalho/resultados, está a ser humilde. Não há lugar para falsas modéstias. Ele é Excelente! A humildade é andar em verdade.
    Quanto à família (mulher e filhos) aposto que são muito Amados pelo José e muito Amantes do José!!!

  10. e é inerente à condição humana o perder, assim como a busca pelo conhecimento. o que ele faz é o que também um chefe de produção faz todos os dias, aceitando as peças defeituosas como relevantes para a melhoria contínua. nem uma taça nem um CD ou um livro campeão de vendas reflectem a alma de alguém – a alma e a grandiosidade são outra coisa que só se vê a ego nu. a natureza humana, ao contrário dos que se julgam mesmo brilhantes, não é previsível e é feita de muitas inteligências. se é excelente técnico nem sequer está em questão. mas não me parece um homem, excelente, que pense grande coisa sem ser nas coisas dele que pedem taças. regra geral a família, para esses, que são mato, são meros acessórios para a taça.:-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.