Dou 10 euros a quem me explicar isto

"É o que se espera de um governo que não pode repetir as bravatas de José Sócrates."


André Macedo

__

Portugal é pequenino. Culturalmente, não somos dados à leitura nem à reflexão. Sociologicamente, reina um anti-intelectualismo larvar, quando não impante, que está na origem tanto da baixa produtividade como do crescente império do esgoto a céu aberto, entre uma miríade de outras consequências negativas em todas as dimensões do que estrutura e dinamiza um país. Daí estarmos sempre a falar dos mesmos, os poucos mesmos. Se estes mesmos se apresentam com certas características públicas, é delas que falamos a partir do nosso ponto de vista.

Falar da imprensa é falar de cidadania e de liberdade. Falar do Diário de Notícias é falar da imprensa de referência. Falar do André Macedo é falar da linha editorial do DN. E falar de um editorial do DN assinado pelo André será falar disto tudo junto. Eis a génese da minha perplexidade. E tenho os 10 euros prontos para dar a alguém que me consiga explicar o que faz a frase citada no texto onde foi posta.

Independentemente do que possamos achar do resto da prosa – e acho que é uma bela merda que aparenta ter sido escrita apenas para ocupar espaço, dada a sua irrelevância e até confusão – o que está em causa é tentar descobrir quais os mecanismos mentais, qual a suposta lógica, que levou o André a colar Sócrates no retrato fotonovelesco que estava a fazer de Centeno. Qual o sentido? Qual era a necessidade? Qual é a intenção?

Ainda mais irritante é a ausência de referências, fazendo com que não se possa saber do que está a falar. Que bravatas foram essas a merecerem preciosa recordação num editorial do DN onde se fala de motas e blusões de cabedal? Adorava descobrir do que está a falar, nem que fosse só o conhecimento de uma dessas “bravatas” que pudesse ter comparação com a situação do actual Governo e seu Orçamento para 2016. Uma que fosse. Ou até meia.

Talvez a explicação seja simples, afinal. Embora o André não se possa de forma óbvia incluir no grupo dos “fazedores de opinião” para quem as referências a Sócrates são a manifestação de estados patológicos, como acontece com o Zé Manel ou o Henrique Monteiro por exemplo, ele recorre amiúde a Sócrates neste registo onde se lançam insultos de avaliação impossível ao serviço de uma certa imagem que pretende divulgar oficialmente. Está criado um novo recurso literário de apoio aos comentadores com dificuldades argumentativas, o Sócrates ex machina.

23 thoughts on “Dou 10 euros a quem me explicar isto”

  1. Acho que está ao nível do comentário do contra o Cristiano Ronaldo, já se sabe que no dia seguinte vai ser falado com toda a certeza.

  2. o povo gosta do socrates, e por isso nele votou duas vezes. sós os filhos da puta como os macedos e monteiros dizem mal dele sempre que podem,com medo do seu regresso. estou convencido que isso há-de acontecer ,e não vai ser numa manhã de nevoeiro!

  3. valupi,se não fosse o aspirina e outros blogues,afirmo com convicção que portugal está cercado pela direita.lamento, a disponibilidade da malta de esquerda para aparecer nas baldas que a imprensa e tvs lhes dá. não têm vergonha.

  4. Ó ignatz

    Não é só as gravatas é o fato completo, aqueles fatos da tal loja de Hollywood, coisa e tal. Deve ser isso. Mas também não lhes adiantava nada tentarem repetir as gravatas bonitas e menos ainda as fatiotas porque a eles não lhes ficavam bem. Não têm a elegância necessária.

  5. Agora a sério, e para candidatura aos 10 aérios:

    As “bravatas de José Sócrates” serão uma insinuação malévola com vista a iniciar um rumor de que os nossos juros subiram de 2008 a 2011 porque Sócrates foi “irresponsável” porque desacatava o rodinhas alemão nas reuniões ?

    Ou é simplesmente o gajo a pensar alto que se calhar quem mandou prender o Sócrates foi o rodinhas alemão porque já depois de sair do governo lhe chamou “estupor” e “filho da mãe”. A culpa é da Clara Ferreira Alves que publicou a entrevista no Expresso com os palavrões e tudo. E é esse pescoço de garça é quem tem a culpa disto tudo …!.

  6. Há alguns jornalistas que ainda não sabem para onde se virar nas suas deambulações escritas e faladas.

    Talvez seja do vento…..

  7. pois, para o macedo o governo não pode colocar as exportações a crescerem acima de 10%. o macedo que vá estudar; dá trabalho, eu sei, e é incompatível com os comentários taberneiros numa qualquer televisão ou num qualquer jornal.

  8. André Macedo= yuppie pelintra e fora de prazo. Pertence à cómica falange dos invejosos. Este também tem o Sócrates e a sua aisence trancados na garganta. Apetece recomendar-lhes que bebam uma gasosa, pode ser que arrotar os alivie.

  9. … quis dizer que a “geringonça”, apesar da sua estrutura mal parida, tem um gentleman a conduzi-la.
    Agora passa pra cá dez euricos, sff!

  10. Sócrates sempre Sócrates à lá c da mãnha em campanha da calúnia e do papão.
    Não vá o PS lembra-se de fazer a lista do muito bem que fez o Ex. PM começando nas energias limpas já a limpar toda a arenga.
    O André é mentecapto e direitolas burro. Venham os 10 euros para je.

  11. Já tive oportunidade de lhe deixar um recado ao a. macedo na cx de comentários
    do jornal que dirige! Eis a explicação que encontro para a citação insidiosa sobre
    José Sócrates, trata-se de compartir a dor do tal pivot j.r.santos da RTP onde com
    alguma frequência, vai debitar umas banalidades … fazendo-se entendido !
    Tudo se faz por amizade e por corporativismo até porque eles não têm espelhos!!!

  12. Mas valerá a pena perder tempo a falar dessa gente, de andrés, tavares, pulidos, etc. Isso é o que eles querem, isso é que lhes dá alguma importância. Eles não são estúpidos, são apenas indigentes. Para quê lê-los e ouvi-los? Pior ainda: para quê pagar para os ler ou para os ouvir, nos jornais e na elevisão? A culpa também é nossa.

  13. Exactíssimamente ignatz, o gajão queria falara das gravatas, sapatos, penteados, fatos e outras “artes manhosas” do PM que foram matéria constante deste macedo para tantos comentários destrutivos do carácter de Sócrates, junto dos apanhados e outros ignorantes prontos a deixar-se apanhar.
    E agora, tal como faz pachecal pereira, toda a merda de comentário que produzem tem de integrar uma qualquer comparação com Sócrates, absurda ou falsa, para dar o tom e porque estão convencidos que Sócrates é a medida de todas as maldades e pior, estão convencidos que todos os portugueses papam essa ideia que tentam vender a todo o tempo.
    Contudo, o simples facto de terem de o repetir e fazer comparações de maldades entre hoje e Sócrates, continuamente, já é prova de que destruiram Sócrates mas ainda não conseguiram emnterrá-lo e vivem desesperados com esse inconseguimento.
    Vivem aterrorizasos que o Homem sobreviva e dê a volta ao pensamento produzido pavloviamente sobre os ignaros e, um dia, lhes caia em cima deles as verdadeiras maldades atribuídas a Sócrates.
    Este macedo não é dos menores pulhas no contributo para as falsidades propaladas sobre Sócrates e o seu artigo é mais uma prova disso.

  14. José Sócrates foi a última barreira que separou Portugal das ortodoxias do FMI e das ortodoxias da extrema esquerda, à vez e convocadas uma pela outra.
    É uma satisfação ver caguinchas de Macedos e Observadores expiar nele a sua ignorância e má fé, estrebuchando inutilidades com essas botas a pisar-lhes o pescoço.

  15. Tenho uma tese, que passo a explicar: um tribunal pôs alguma ordem no segredo de justiça, obrigando, abruptamente, o Calúnias Matutinas (CM) a moderação e algum silêncio, causando forte impacto na saúde psicológica dos Macedos, quiçá, hipergonadismo.
    Foi então que me veio à memória a velha anedota do namorado tímido que passeava à noite com a namorada, que, sem descaramento para dizer ao que ia, foi procrastinando até que do nada se iluminou a noite, seguindo-se um trovão: com astúcia, não perdeu a oportunidade e, olhando-a, disse-lhe: está uma noite do car***lho; por falar nele, vamos dar uma?
    Pois é: a sublimação dos Macedos é o Sócrates: só por vergonha não assinam colunas de opinião no Calúnias.

    ( isto não vale 10 euros: mas o Macedo ainda vale menos)

  16. Nada do que se passa com Sócrates provoca surpresas, já que histórias dessas se repetem entre nós há séculos. Sempre que apareceu uma figura notável, a fazer sombra às elites, o país eliminou-a. Muitas vezes com sangue, daquele a sério, a esguichar.
    Talvez um dia possamos romper este fadário. Mas não temos nenhuma garantia, porque isso dá um trabalhão do caraças. Tanto como sermos gente, um dia!

  17. Arder-lhes-à o rabo, a cauda e os cornos! Cambada de menores,o TGV, o novo Aeroporto de Lisboa.o túnel do Marão, ligação por auto-estrada entre todas as capitais de Distrito, Inglês para as criancinhas,creches para os mais novos,escolas dignas para os mais crescidos,Magalhães para todos,Ciência como primeira prioridade,Energias renováveis, ete.,etc.,etc., era movimento a mais para aquelas limitadas cabeças! Nietzche falava do homem póstumo: aquele que só será devidamente avaliado muito tempo depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.