De cócoras, ó vítimas da fome

Este será, de longe, o Governo que mais rapidamente envelheceu aos olhos do público desde o 25 de Abril. Os dois meses passados parecem dois anos. E até a sua base de apoio mais fanática se mostra descrente e cansada.

Não admira. A direita portuguesa está decadente desde a traição de Barroso. Por isso, depois do vexame Santana, não tinham mais nada com que fazer oposição para além do ódio. Só que o ódio, quando é mantido por longos períodos, passa a consumir as reservas de inteligência e esperança do portador. O resultado é a subnutrição política, a fome moral e intelectual.

9 thoughts on “De cócoras, ó vítimas da fome”

  1. Há PECS todos os dias
    e para nosso desgosto
    lá se vão as alegrias,
    é imposto atrás d’imposto.

    Os PECS são mais que as mães,
    e não há nada de novo,
    os PPDs são uns cães
    só sabem foder o povo!

    Promessas destas figuras
    que ainda ninguém viu
    pois só faltam as gorduras
    da puta que os pariu!

  2. Esta porcaria de governo que nos calhou em desgraça é um mero cobrador de impostos. Em boa verdade, para além do colossal ministro com as suas robustas arremetidas ao bolso do cidadão médio, não existe mais nada. Ontem, enquanto prestava vassalagem à Merkel, a lastimável figura que temos a infelicidade de ter como 1º ministro, saiu-se com outra pérola de refinada estupidez: a participação que o Estado tem na EDP vai ser cedida, diz ele, tendo em conta os interesses da empresa e não tanto os do Estado. Como é que chegámos a este ponto, o do chefe do governo estar mais preocupado com interesses particulares do que com o interesse geral que é suposto garantir?

  3. “O Povo, insatisfeito com um Governo Democrata que só lhe roubava quanto tinha, elegeu um Governo Republicano que, não só lhe roubou tudo o que tinha, como lhe exigiu uma promissória pelo saldo devedor, coberta por uma hipoteca sobre a sua esperança de morte” (Ambrose Bierce, “Fábula do Rei Toro e da Raínha Cegonha”)… Isto não vai acabar bem…

  4. JP!,

    “Vai acabar mal” é precisamente o título do último artigo do Manuel Pinho no Expresso.
    Diz ele que “ainda pior que a crise ´da economia é estarmos a assistir a situações indignas para o país que causam repulsa e são impossíveis de explicar a um estrangeiro, por exemplo, a venda ao desbarato das empresas do sector da energia e das águas, a transferência de superespiões para empresas privadas e a impunidade dos responsáveis pelo maior escândalo financeiro desde Alves dos Reis.” (…) “no mundo inteiro, 95% dos recursos hídricos naturais não são geridos por privados e não há país em que o Estado ou interesses nacionais não tenham grande influência no sector da energia. Não é preciso muita imaginação para ver os cenários dantescos que a médio prazo podem resultar por o Estado sair de sectores que têm uma importância estratégica”.

  5. voces só veem ps, ps e ps. O kim il sung e o mao não diriam melhor. Cito estes nomes: manuel alegre, ana gomes, cravinho,antónio arnaut, seguro. Perão: nao e ps: é socrates socrates socrates. Deus nosso senhor amén :D

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.