Da regular disfunção das instituições democráticas

Bem sabemos que esperar de Cavaco que seja o garante do regular funcionamento das instituições democráticas, este mesmo Cavaco que conspirou contra um partido e dois Governos assim conspurcando a Presidência da República e violando a Constituição, será algo mais improvável do que ver Pacheco Pereira a organizar um jantar de desagravo a Sócrates. Porém, contudo, todavia, não existe mais ninguém a quem possamos fazer esta pergunta: o facto do Procurador-Geral da República ser desmentido pela Ministra da Justiça e, acto contínuo, a Ministra da Justiça ser desmentida pelo Procurador-Geral da República, sendo o assunto em causa um processo que envolve a possibilidade de corrupção ao mais alto nível do Estado, entra dentro do que a lei fundamental portuguesa considera como regular funcionamento dessas duas instituições democráticas em causa?

Não há nenhuma entidade, ou mera figura pública, que fale nesta inacreditável ausência de responsabilização entre dois titulares de cargos tão elevados em radical contradição entre si numa matéria do foro judicial. Nem à direita nem à esquerda, nem dentro dos partidos nem fora deles, nem para criticar nem para questionar, nada de nada de nadinha de nada é dito. É como se não tivesse acontecido, não estivesse a acontecer todos os dias, a toda hora, enquanto uma das partes não assumir o seu erro ou demonstrar o erro alheio.

Está a ser umas das mais reveladoras experiências políticas da minha vida.

3 thoughts on “Da regular disfunção das instituições democráticas”

  1. Parece que sim, que os corruptos podem sempre contar com uma ajudinha da alforreca de Boliqueime estacionada em Belém, desde os que foram conselheiros de Estado aos que foram conselheiros das suas finanças.

    Et pour cause…

  2. Portugal é, de facto, um país originalíssimo, não é? Só por isso, devíamos ter ainda mais turismo. Assim como há o turismo sexual, poderíamos promover o weird tourism ou turismo da aberração…

    Produtos exclusicos: ministro Relvas não é demitido, apesar de ter escândalo watergate com as secretas revelado na CS… presidente da República não é alvo de impeachment apesar de estar claramente esclerosado e envolvido em escândalo financeiro e sobretudo por se vir queixar que ficou prejudicado financeiramente no caso BPN (para além de também no caso das reformas)…etc, etc, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.